Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

Visualizações: 179
VIVÊNCIAS SUBJETIVAS DE IDOSOS PORTADORES DE TRANSTORNOS MENTAIS

Palavra-chaves: ENFERMAGEM, SAÚDE MENTAL, IDOSO Pôster (PO) / Poster Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA

Resumo

O processo de envelhecimento é natural, acomete os indivíduos, levando a uma série de alterações em seu organismo. No entanto, com o aumento da expectativa de vida da população brasileira, inicia-se um desafio para a atenção à saúde desta população, pois junto com o envelhecimento vem junto suas comorbidades, e com isso requer uma atenção maior com boas estratégias para preveni-las. O presente estudo caracteriza-se por um estudo descritivo, onde relata a experiência vivenciada por enfermeiro com abordagem terapêutica com idosos assistidos em um Centro de Atenção Psicossocial I (CAPS I) da cidade de Jacaraú-PB, no período de fevereiro a julho de 2016. Os principais sintomas relatados por idosos portadores de transtornos mentais foi a perca do sentido da vida, choro com facilidade, sentimento de abandono. Alguns idosos relatam que sentem-se abandonados pela família por não ter mais utilidade, por não estarem contribuindo ativamente e economicamente para a família. Além disso, outros mostram-se sentimento de inutilidade na sociedade, relatando perca de sentido na vida, não aparesentando ânimo para viver. Com as vivências no CAPS I de Jacaraú, muitos que antes relatavam os sentimentos citados anteriormente, hoje referem que “não tenho mais tempo nem para pensar sobre isso, aqui no CAPS o tempo passa tão rápido e me sinto tão bem que não penso mais como pensava antes”, e além disso com as oficinas de artesanato, onde elas produzem suas peças como por exemplo: crochê, fuxico, pintura, etc. Além de relatarem melhora no seu estado psiquico, relataram uma melhora significativa na relação interpessoal em casa e na comunidade, obtendo uma olhar diferenciado para esses idosos portadores de transtornos mentais, ganhando o respeito e confiança destas pessoas. O estudo relatou a experiência vivenciada pelo enfermeiro sobre as vivências subjetivas de idosos portadores de transtornos mentais, constatou-se que a socialização, atividades desenvolvidas em forma de grupo, socialização e atuação, ajudou de forma positiva na vida de cada usuário. O enfermeiro foi de suma importância nesse processo multiprofissional, contribuindo não apenas com ações técnicas em momentos de crises, como ator desse processo de reabilitação psicossocial. Sugerimos novos estudos aprofundados e específicos sobre os transtornos mentais que acarretam esses idosos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.