Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

Visualizações: 249
TRABALHANDO A AUTOESTIMA NA TERCEIRA IDADE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Palavra-chaves: AUTOESTIMA, IDOSO, ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE Pôster (PO) / Poster Submission AT-10: EDUCAÇÃO E ENVELHECIMENTO Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

O presente relato de experiência diz respeito a ações sobre o resgate da autoestima dos idosos realizadas através de uma parceria entre uma UBS e um CRAS localizados no bairro Alto do Sumaré, no município de Mossoró/RN e desenvolvida pela equipe de Residentes Multiprofissionais em Atenção Básica, Saúde da Família e Comunidade – RMABSFC, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Tratar a autoestima na terceira idade é de fundamental importância uma vez que visa fortalecer os laços do idoso consigo mesmo, consigo e sua família e sociedade, de modo a demonstrar que embora muitas vezes nesta altura da vida o indivíduo encontre-se fora do mercado de trabalho, o que altera em muitos casos sua percepção de vida, seus significados e importâncias ainda estão presentes e são essenciais no contexto onde se está inserido. Com a participação no grupo de idosos e o desenvolvimento de atividades participativas foi possível observar que os idosos ao serem incluídos em ações que trabalham com seu cognitivo sentem-se mais seguros e abertos à participação bem como à exposição de opiniões. A partir das atividades e discussões realizadas tornou-se visível que as mudanças conjunturais na sociedade estão ocasionando transformações em nível macro e microsocial, visto que estas alterações têm modificado as formas de se relacionar das pessoas, os encontros com os idosos evidenciaram que as inflexões da atual conjuntura vêm corroborando para que a temática da autoestima na terceira seja discutida e trabalhada como meio de se evitar possíveis problemas relacionados ao bem estar do idoso. Tratar a temática da autoestima na terceira idade dentro da atenção primária é de fundamental importância para a promoção de atividades que enfoquem o bem estar emocional dos idosos proporcionando a identificação de possíveis casos que podem evoluir para o desenvolvimento de patologias. Ao se propiciar um momento de conversa e troca de informações os idosos reconhecem em si e nos outros, questões que podem ser trabalhadas no cotidiano de suas famílias bem como se sentem mais seguros em buscar ajuda seja em âmbito profissional, seja no âmbito familiar. Ao fim dos encontros foi possível notar que os idosos encontravam-se mais seguros em suas relações com os demais participantes e também com a equipe profissional sentindo-se a vontade para externar seus pensamentos bem como propondo a execução de novas atividades acerca da temática abordada.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.