Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

SOMBRAS DO ENVELHECIMENTO:QUANDO O AMOR VIVIFICA AS PERDAS

Palavra-chaves: CINEMA, ENVELHECIMENTO, PSICANÁLISE, IDOSO Tema Livre (TL) / Oral Papers Submission AT 8: SEXUALIDADE E A PESSOA IDOSA
"2016-11-23 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 24717
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 517
    "inscrito_id" => 580
    "titulo" => "SOMBRAS DO ENVELHECIMENTO:QUANDO O AMOR VIVIFICA AS PERDAS"
    "resumo" => "O estudo sobre o envelhecimento vem adquirindo cada vez mais notoriedade. Com os avanços científicos, conseguimos, com maior acuidade, investigar e avaliar o desenvolvimento humano, penetrando no mundo do idoso. As artes conseguem promover novas análises e reflexões sobre o ser humano. Não obstante, também nos fazem refletir sobre o envelhecimento e seus efeitos, dando novos olhares, novos conceitos, quebrando paradigmas. As artes visuais, mas especificamente, as obras fílmicas conduzem à reflexão e à reelaboração de pensamentos e, porque não, de ideias de vida. Permite-nos, ainda, enveredar por uma interface entre a arte erigida pela dimensão humana (ideias e subjetividades envolvidas para elaboração da obra) junto com as ciências, das mais diversas. Neste estudo, trataremos de observar e analisar a velhice que se redesenha na obra fílmica Amour (2012), dirigida por Michael Haneke, deixando-se guiar pelos constructos teóricos da psicanálise, ciência que permite compreender a subjetividade humana, através do discurso e da palavra. Entender a velhice não é um processo fácil nem para o sujeito que envelhece nem para quem acompanha o envelhecimento alheio. Envelhecer é se colocar diante de diversos paradigmas, como em relação à atividade laboral, ao contexto familiar, desejo sexual, ao matrimônio, e a diversos sentimentos, como o amor. Nessa película, que mostra a velhice de forma dura, racional, e humana, acompanhamos a historia de Georges e seu esposa Anne, casados há sessenta anos, mas a partir do adoecimento de Anne coloca a relação em dimensões antes não refletidas pelo casal quando jovem. Prova de amor, que coloca o amor das gerações atuais em prova. Como embasamento teórico, utilizaremos o viés psicanalítico, como também, perpassaremos pelos caminhos da psicologia social e da psicologia do desenvolvimento."
    "modalidade" => "Tema Livre (TL) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "AT 8: SEXUALIDADE E A PESSOA IDOSA"
    "palavra_chave" => "CINEMA, ENVELHECIMENTO, PSICANÁLISE, IDOSO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD2_SA9_ID580_10102016221652.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ANGELI RAQUEL RAPOSO LUCENA DE FARIAS"
    "autor_nome_curto" => "ANGELI FARIAS"
    "autor_email" => "angeliraposo@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-23 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 24717
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 517
    "inscrito_id" => 580
    "titulo" => "SOMBRAS DO ENVELHECIMENTO:QUANDO O AMOR VIVIFICA AS PERDAS"
    "resumo" => "O estudo sobre o envelhecimento vem adquirindo cada vez mais notoriedade. Com os avanços científicos, conseguimos, com maior acuidade, investigar e avaliar o desenvolvimento humano, penetrando no mundo do idoso. As artes conseguem promover novas análises e reflexões sobre o ser humano. Não obstante, também nos fazem refletir sobre o envelhecimento e seus efeitos, dando novos olhares, novos conceitos, quebrando paradigmas. As artes visuais, mas especificamente, as obras fílmicas conduzem à reflexão e à reelaboração de pensamentos e, porque não, de ideias de vida. Permite-nos, ainda, enveredar por uma interface entre a arte erigida pela dimensão humana (ideias e subjetividades envolvidas para elaboração da obra) junto com as ciências, das mais diversas. Neste estudo, trataremos de observar e analisar a velhice que se redesenha na obra fílmica Amour (2012), dirigida por Michael Haneke, deixando-se guiar pelos constructos teóricos da psicanálise, ciência que permite compreender a subjetividade humana, através do discurso e da palavra. Entender a velhice não é um processo fácil nem para o sujeito que envelhece nem para quem acompanha o envelhecimento alheio. Envelhecer é se colocar diante de diversos paradigmas, como em relação à atividade laboral, ao contexto familiar, desejo sexual, ao matrimônio, e a diversos sentimentos, como o amor. Nessa película, que mostra a velhice de forma dura, racional, e humana, acompanhamos a historia de Georges e seu esposa Anne, casados há sessenta anos, mas a partir do adoecimento de Anne coloca a relação em dimensões antes não refletidas pelo casal quando jovem. Prova de amor, que coloca o amor das gerações atuais em prova. Como embasamento teórico, utilizaremos o viés psicanalítico, como também, perpassaremos pelos caminhos da psicologia social e da psicologia do desenvolvimento."
    "modalidade" => "Tema Livre (TL) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "AT 8: SEXUALIDADE E A PESSOA IDOSA"
    "palavra_chave" => "CINEMA, ENVELHECIMENTO, PSICANÁLISE, IDOSO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD2_SA9_ID580_10102016221652.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ANGELI RAQUEL RAPOSO LUCENA DE FARIAS"
    "autor_nome_curto" => "ANGELI FARIAS"
    "autor_email" => "angeliraposo@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-23 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

O estudo sobre o envelhecimento vem adquirindo cada vez mais notoriedade. Com os avanços científicos, conseguimos, com maior acuidade, investigar e avaliar o desenvolvimento humano, penetrando no mundo do idoso. As artes conseguem promover novas análises e reflexões sobre o ser humano. Não obstante, também nos fazem refletir sobre o envelhecimento e seus efeitos, dando novos olhares, novos conceitos, quebrando paradigmas. As artes visuais, mas especificamente, as obras fílmicas conduzem à reflexão e à reelaboração de pensamentos e, porque não, de ideias de vida. Permite-nos, ainda, enveredar por uma interface entre a arte erigida pela dimensão humana (ideias e subjetividades envolvidas para elaboração da obra) junto com as ciências, das mais diversas. Neste estudo, trataremos de observar e analisar a velhice que se redesenha na obra fílmica Amour (2012), dirigida por Michael Haneke, deixando-se guiar pelos constructos teóricos da psicanálise, ciência que permite compreender a subjetividade humana, através do discurso e da palavra. Entender a velhice não é um processo fácil nem para o sujeito que envelhece nem para quem acompanha o envelhecimento alheio. Envelhecer é se colocar diante de diversos paradigmas, como em relação à atividade laboral, ao contexto familiar, desejo sexual, ao matrimônio, e a diversos sentimentos, como o amor. Nessa película, que mostra a velhice de forma dura, racional, e humana, acompanhamos a historia de Georges e seu esposa Anne, casados há sessenta anos, mas a partir do adoecimento de Anne coloca a relação em dimensões antes não refletidas pelo casal quando jovem. Prova de amor, que coloca o amor das gerações atuais em prova. Como embasamento teórico, utilizaremos o viés psicanalítico, como também, perpassaremos pelos caminhos da psicologia social e da psicologia do desenvolvimento.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.