Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

Visualizações: 186
PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA E DIABETES MELLITUS EM IDOSOS NO BRASIL NO PERÍODO DE 2006 A 2016

Palavra-chaves: ENFERMAGEM, HIPERTENSÃO, DIABETES, IDOSO, IDOSO Tema Livre (TL) / Oral Papers Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA

Resumo

O presente estudo teve como objetivos investigar a prevalência da hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus em idosos acompanhados pelo Sistema Único de Saúde através do programa do hiperdia e, disseminar tais dados, considerando que os mesmos podem servir como aporte para possíveis diálogos sobre a temática, com intuito de promover melhorias nos serviços de saúde, especialmente, à pessoa idosa. Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo com abordagem quantitativa. Para o desenvolvimento da pesquisa utilizou-se dados alocados na página do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), referentes a relação de pessoas acometidas por hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus e as variáveis sexo, faixa etária e local, no período compreendido entre julho de 2006 e julho de 2016. Os resultados do estudo estão dispostos em duas tabelas. Na primeira tabela os resultados fazem referência à prevalência de hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e de diabéticos com hipertensão, conforme o tipo de morbidade e sexo no contexto nacional. Na segunda tabela observa-se a prevalência de idosos diabéticos, hipertensos e diabéticos com hipertensão arterial sistêmica, conforme as variáveis faixa etária e sexo no Brasil. Depreende-se no estudo que, as doenças crônicas investigadas são prevalentes no âmbito nacional, das quais a hipertensão arterial sistêmica é a mais prevalente entre as duas morbidades, seguida do grupo de diabéticos com hipertensão. Verificou-se também que o sexo com maior quantitativo foi o feminino, demonstrando que tais morbidades são mais prevalentes entre as mulheres. A faixa etária com maior prevalência foi a de 60 a 64 anos. Conclui-se que esses achados corroboram para a compreensão de que a hipertensão arterial sistêmica e o diabetes mellitus são doenças crônicas que promovem a vulnerabilidade física, incapacidades físicas dentre outros danos à saúde dos idosos, sendo assim, se faz necessária a atuação na conscientização da população por parte do enfermeiro, com intuito de promover uma velhice ativa e com qualidade de vida para a pessoa idosa.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.