Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

Visualizações: 181
A SEGURANÇA DO PACIENTE IDOSO FRENTE AO TRATAMENTO CLÍNICO MEDICAMENTOSO

Palavra-chaves: SEGURANÇA DO PACIENTE, IDOSO, MEDICAMENTO Pôster (PO) / Poster Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA

Resumo

RESUMO- Introdução: A segurança do paciente na administração de fármacos é um tema considerado extremamente importante para o trabalho da enfermagem. Para tanto, o enfermeiro precisa ter competência para classificar o tipo de medicação, a dosagem, as vias de administração e as reações adversas, como também princípios científicos que fundamentam suas ações no aspecto da segurança do paciente como um todo. A quantidade elevada de drogas prescritas e consequentemente consumida pela população idosa, assim como a complexidade da dinâmica dos fármacos, requer da enfermagem a avaliação regular da necessidade real do medicamento e sua continuidade; dosagem apropriada e efeitos adversos a qualquer medicamento prescrito. Objetivo: discutir o uso de medicamentos caracterizando os aspectos clínicos e medicamentos prescritos, para os idosos cardiopatas. Metodologia: Trata-se de pesquisa bibliográfica subsidiada pela literatura pertinente ao uso de medicamentos pelo idoso para o tratamento de doenças do sistema cardiovascular e contextualizando a repercussão na prática de enfermagem. Resultados e Discussão: Problemas relacionados com interações medicamentosas e reações adversas têm sido observados em todas as faixas etárias, porém preponderam na população idosa. Medicamento com administração equivocada, omissão e excesso de drogas, cálculos errados, via de administração incorreta, aplicação de drogas incompatíveis com o paciente, podem se tornar um transtorno com sérias consequências para a segurança do paciente e do profissional. O fenômeno de sobreposição de horário na administração de medicação ao idoso é muitas vezes ignorado até mesmo dentro de uma clínica médica. Conclusão: A segurança do paciente no que tange à administração de fármacos será sempre um assunto atual e pertinente devido aos vários aspectos envolvendo a segurança química do paciente. Aos profissionais da saúde, especificamente ao enfermeiro, cabe a responsabilidade de lidar com as limitações decorrentes da senescência, educar e orientar os idosos e seus cuidadores para adotarem esquemas terapêuticos simples para maximizar a eficiência terapêutica do medicamento, minimizando o surgimento de reações adversas.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.