Artigo Anais XII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 210
“UMA MULHER DAMA”: DINÂMICAS DE GENÊRO E SEXUALIDADES EM UMA PEÇA DE LOURDES RAMALHO

Palavra-chaves: GÊNERO E SEXUALIDADES, DINÂMICAS SOCIAIS, IDENTIDADE(S), PERSONAGEM, PERSONAGEM Comunicação Oral (CO) Gênero, Sexualidades e Modos de Subjetivação

Resumo

Trata-se de uma análise-interpretação acerca do texto Uma mulher dama (1979), de Lourdes Ramalho. Para tanto, discute-se a maneira como a protagonista Aga e a personagem Pedro, no âmbito da representação dramatúrgica refletem e problematizam os espaços de pertença e de pertencimento dos sujeitos face a dinâmicas socioculturais, de modo a problematizá-las e alterá-las. Tem-se como objetivo interpretar um aspecto de ordem temática relevante no que tange à discussão dessa obra, enfatizando a expressão as dinâmicas que envolvem questões de gênero e sexualidade, mediante os diálogos que são travados entre a manutenção e a ruptura com os padrões preestabelecidos e normatizados. Pretende-se, assim, apontar como, neste texto, tem-se uma equalização com os debates em torno da dramaturgia moderna/contemporânea, para a representação dos temas expressos na peça. Concomitantemente, uma vez da inversão dos papéis masculinos e femininos na representação dramatúrgica em questão, propõe-se investigar como a dimensão intergênero, no que diria respeito a uma visada teórica, faz a passagem do âmbito temático para o âmbito formal em no texto, dado que ao mesmo tempo em que há uma dimensão travesti ou transgênero em Pedro, é importante também considerar que essa questão está formalizada na peça, posto que, ao mesmo tempo em que há uma dimensão travesti ou transgênero em Pedro, é importante também considerar essa questão formalizada na dramaturgia, que entra nessa área de hibridização dos gêneros literários, via a perspectiva de “dramaturgia transgênero”.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.