Artigo Anais I CONAPESC

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DA ÁGUA DE UMA CISTERNA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE BARRA DE SÃO MIGUEL - PB

Palavra-chaves: QUALIDADE DA ÁGUA, CISTERNA PÚBLICA, ABASTECIMENTO, LEGISLAÇÃO, LEGISLAÇÃO Pôster (PO) Engenharia de Alimentos
"2016-06-01 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 18149
    "edicao_id" => 41
    "trabalho_id" => 296
    "inscrito_id" => 817
    "titulo" => "PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DA ÁGUA DE UMA CISTERNA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE BARRA DE SÃO MIGUEL - PB"
    "resumo" => "A água é um elemento essencial à vida, porém, é necessário que tenha qualidade. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 4 (quatro) milhões de crianças morrem anualmente de doenças relacionadas com águas contaminadas. Diante disso, torna-se de extrema importância a análise da mesma, e neste caso, físico-química. Nosso trabalho objetivou analisar os parâmetros físico-químicos da água proveniente de uma cisterna pública no município de Barra de São Miguel, PB, localizado na microrregião do Cariri Oriental, distante 175 quilômetros da capital João Pessoa. Trata-se de uma análise investigativa sobre a qualidade físico-química da água exportada de uma cisterna pública da cidade de Barra de São Miguel, PB. Os parâmetros analisados foram: pH, temperatura, acidez carbônica, as durezas total, de cálcio e magnésio, respectivamente, alcalinidade, cloreto, cor, condutividade elétrica, cinzas e sólidos dissolvidos totais. No que diz respeito ao pH, verificou-se que o da água analisada foi de 7,57, demonstrando ser pH básico. O valor obtido encontra-se compatível com o a faixa permitida pela portaria nº 2914/2004, do Ministério da Saúde que estabelece um valor de pH entre 6,0 a  9,5.  O cloreto foi de 339,99 mg/L de Cl-. O valor encontra-se superior ao limite máximo permitido pela portaria nº 2914 do Ministério da Saúde, que é de 250,0 mg/L. Presentes nas formas de cloretos de sódio, cálcio e magnésio, concentrações acima de 250,0 mg/L podem causar sabor desagradável e efeito laxativo no intestino. Dessa forma, a água é classificada como imprópria para o consumo, em virtude do cloreto elevado. Com relação à dureza total, o valor obtido foi de 376,0 mg/L CaCO3, estando de acordo com a portaria 2914 do Ministério da Saúde, que estabelece para dureza o teor máximo de 500 mg/L de CaCO3 como permitido para água potável. A alcalinidade resultou em 47,0 mg/L de CaCO3; vale ressaltar que a legislação não regulariza nenhum valor máximo permitido para este parâmetro. Observou-se que a temperatura média da água foi de 27,9°C. Os sólidos totais dissolvidos resultaram numa média de 571,6 ppm a 25°C. No que se refere ao teor de cinzas, o valor obtido foi de 0,693% de cinzas a 25°C. Observou-se que a condutividade elétrica resultou em 1173,0 µS/cm² a 25°C. O valor médio obtido para a cor da água foi de 12,0 uH (unidade Hazen). Conclui-se que a água de uma cisterna pública do município de Barra de São Miguel – PB apresentou todos os parâmetros físico-químicos compatíveis com a legislação e também com a literatura, com exceção do íon cloreto, que apresentou valor superior ao limite máximo estabelecido pela portaria de Nº 2914 do Ministério da Saúde. Assim, a água em questão não pode ser destinada ao consumo humano, do contrário poderá causar efeitos laxativos no intestino, em decorrência dos sais advindos dos cloretos."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Engenharia de Alimentos"
    "palavra_chave" => "QUALIDADE DA ÁGUA, CISTERNA PÚBLICA, ABASTECIMENTO, LEGISLAÇÃO, LEGISLAÇÃO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV058_MD4_SA80_ID817_09052016220254.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:03"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:20:00"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "AIRTON SILVA BRAZ"
    "autor_nome_curto" => "AIRTON BRAZ"
    "autor_email" => "airton_silva_braz@hotmail"
    "autor_ies" => "INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - IFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conapesc"
    "edicao_nome" => "Anais I CONAPESC"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Pesquisa e Ensino em Ciências"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conapesc/2016"
    "edicao_logo" => "5e49fdc4b2730_16022020234316.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1841adc3860_22072020103957.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-01 00:00:00"
    "publicacao_id" => 28
    "publicacao_nome" => "Anais do Conapesc"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 18149
    "edicao_id" => 41
    "trabalho_id" => 296
    "inscrito_id" => 817
    "titulo" => "PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DA ÁGUA DE UMA CISTERNA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE BARRA DE SÃO MIGUEL - PB"
    "resumo" => "A água é um elemento essencial à vida, porém, é necessário que tenha qualidade. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 4 (quatro) milhões de crianças morrem anualmente de doenças relacionadas com águas contaminadas. Diante disso, torna-se de extrema importância a análise da mesma, e neste caso, físico-química. Nosso trabalho objetivou analisar os parâmetros físico-químicos da água proveniente de uma cisterna pública no município de Barra de São Miguel, PB, localizado na microrregião do Cariri Oriental, distante 175 quilômetros da capital João Pessoa. Trata-se de uma análise investigativa sobre a qualidade físico-química da água exportada de uma cisterna pública da cidade de Barra de São Miguel, PB. Os parâmetros analisados foram: pH, temperatura, acidez carbônica, as durezas total, de cálcio e magnésio, respectivamente, alcalinidade, cloreto, cor, condutividade elétrica, cinzas e sólidos dissolvidos totais. No que diz respeito ao pH, verificou-se que o da água analisada foi de 7,57, demonstrando ser pH básico. O valor obtido encontra-se compatível com o a faixa permitida pela portaria nº 2914/2004, do Ministério da Saúde que estabelece um valor de pH entre 6,0 a  9,5.  O cloreto foi de 339,99 mg/L de Cl-. O valor encontra-se superior ao limite máximo permitido pela portaria nº 2914 do Ministério da Saúde, que é de 250,0 mg/L. Presentes nas formas de cloretos de sódio, cálcio e magnésio, concentrações acima de 250,0 mg/L podem causar sabor desagradável e efeito laxativo no intestino. Dessa forma, a água é classificada como imprópria para o consumo, em virtude do cloreto elevado. Com relação à dureza total, o valor obtido foi de 376,0 mg/L CaCO3, estando de acordo com a portaria 2914 do Ministério da Saúde, que estabelece para dureza o teor máximo de 500 mg/L de CaCO3 como permitido para água potável. A alcalinidade resultou em 47,0 mg/L de CaCO3; vale ressaltar que a legislação não regulariza nenhum valor máximo permitido para este parâmetro. Observou-se que a temperatura média da água foi de 27,9°C. Os sólidos totais dissolvidos resultaram numa média de 571,6 ppm a 25°C. No que se refere ao teor de cinzas, o valor obtido foi de 0,693% de cinzas a 25°C. Observou-se que a condutividade elétrica resultou em 1173,0 µS/cm² a 25°C. O valor médio obtido para a cor da água foi de 12,0 uH (unidade Hazen). Conclui-se que a água de uma cisterna pública do município de Barra de São Miguel – PB apresentou todos os parâmetros físico-químicos compatíveis com a legislação e também com a literatura, com exceção do íon cloreto, que apresentou valor superior ao limite máximo estabelecido pela portaria de Nº 2914 do Ministério da Saúde. Assim, a água em questão não pode ser destinada ao consumo humano, do contrário poderá causar efeitos laxativos no intestino, em decorrência dos sais advindos dos cloretos."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Engenharia de Alimentos"
    "palavra_chave" => "QUALIDADE DA ÁGUA, CISTERNA PÚBLICA, ABASTECIMENTO, LEGISLAÇÃO, LEGISLAÇÃO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV058_MD4_SA80_ID817_09052016220254.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:03"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:20:00"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "AIRTON SILVA BRAZ"
    "autor_nome_curto" => "AIRTON BRAZ"
    "autor_email" => "airton_silva_braz@hotmail"
    "autor_ies" => "INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - IFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conapesc"
    "edicao_nome" => "Anais I CONAPESC"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Pesquisa e Ensino em Ciências"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conapesc/2016"
    "edicao_logo" => "5e49fdc4b2730_16022020234316.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1841adc3860_22072020103957.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-01 00:00:00"
    "publicacao_id" => 28
    "publicacao_nome" => "Anais do Conapesc"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 01 de junho de 2016

Resumo

A água é um elemento essencial à vida, porém, é necessário que tenha qualidade. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 4 (quatro) milhões de crianças morrem anualmente de doenças relacionadas com águas contaminadas. Diante disso, torna-se de extrema importância a análise da mesma, e neste caso, físico-química. Nosso trabalho objetivou analisar os parâmetros físico-químicos da água proveniente de uma cisterna pública no município de Barra de São Miguel, PB, localizado na microrregião do Cariri Oriental, distante 175 quilômetros da capital João Pessoa. Trata-se de uma análise investigativa sobre a qualidade físico-química da água exportada de uma cisterna pública da cidade de Barra de São Miguel, PB. Os parâmetros analisados foram: pH, temperatura, acidez carbônica, as durezas total, de cálcio e magnésio, respectivamente, alcalinidade, cloreto, cor, condutividade elétrica, cinzas e sólidos dissolvidos totais. No que diz respeito ao pH, verificou-se que o da água analisada foi de 7,57, demonstrando ser pH básico. O valor obtido encontra-se compatível com o a faixa permitida pela portaria nº 2914/2004, do Ministério da Saúde que estabelece um valor de pH entre 6,0 a 9,5. O cloreto foi de 339,99 mg/L de Cl-. O valor encontra-se superior ao limite máximo permitido pela portaria nº 2914 do Ministério da Saúde, que é de 250,0 mg/L. Presentes nas formas de cloretos de sódio, cálcio e magnésio, concentrações acima de 250,0 mg/L podem causar sabor desagradável e efeito laxativo no intestino. Dessa forma, a água é classificada como imprópria para o consumo, em virtude do cloreto elevado. Com relação à dureza total, o valor obtido foi de 376,0 mg/L CaCO3, estando de acordo com a portaria 2914 do Ministério da Saúde, que estabelece para dureza o teor máximo de 500 mg/L de CaCO3 como permitido para água potável. A alcalinidade resultou em 47,0 mg/L de CaCO3; vale ressaltar que a legislação não regulariza nenhum valor máximo permitido para este parâmetro. Observou-se que a temperatura média da água foi de 27,9°C. Os sólidos totais dissolvidos resultaram numa média de 571,6 ppm a 25°C. No que se refere ao teor de cinzas, o valor obtido foi de 0,693% de cinzas a 25°C. Observou-se que a condutividade elétrica resultou em 1173,0 µS/cm² a 25°C. O valor médio obtido para a cor da água foi de 12,0 uH (unidade Hazen). Conclui-se que a água de uma cisterna pública do município de Barra de São Miguel – PB apresentou todos os parâmetros físico-químicos compatíveis com a legislação e também com a literatura, com exceção do íon cloreto, que apresentou valor superior ao limite máximo estabelecido pela portaria de Nº 2914 do Ministério da Saúde. Assim, a água em questão não pode ser destinada ao consumo humano, do contrário poderá causar efeitos laxativos no intestino, em decorrência dos sais advindos dos cloretos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.