Artigo Anais ABRALIC

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

Visualizações: 197
AS COUSAS SÃO O ÚNICO SENTIDO ÍNTIMO DAS COUSAS - METÁFORA E ANTROPOMORFIZAÇÃO EM ALBERTO CAEIRO E FRIEDRICH NIETZSCHE

Resumo

A filosofia de Friedrich Nietzsche representa uma ruptura com o pensamento racionalista e a linguagem conceitual usada para exprimi-lo. Para Nietzsche toda palavra é uma metáfora, na medida em que não há continuidade entre os objetos e as palavras que os designam, e ao tentar explicar o mundo por meio de conceitos, o homem acaba igualando aquilo que é diferente e, assim, produzindo ilusões de conhecimento. Esta visão encontra paralelo na poesia de Alberto Caeiro. O poeta propunha um olhar para a natureza que não buscasse nela uma essência ou sentido íntimo, e que não lhe atribuísse qualidades que ela não possui. Este trabalho visa fazer uma leitura de alguns poemas de Caeiro, à luz do pensamento de Nietzsche, investigando como ambos assinalam a antropomorfização imposta à natureza através da linguagem.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.