Artigo Anais II CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PERSPECTIVAS PARA A TRANSVERSALIZAÇÃO DO CONCEITO DE GÊNERO

Palavra-chaves: RELAÇÕES DE GÊNERO, OFICINA DE PESQUISA, ESTEREÓTIPOS, EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Gênero, Sexualidade e Educação
"2015-10-14 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 15520
    "edicao_id" => 38
    "trabalho_id" => 1803
    "inscrito_id" => 6218
    "titulo" => "AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PERSPECTIVAS PARA A TRANSVERSALIZAÇÃO DO CONCEITO DE GÊNERO"
    "resumo" => "O campo da educação tem-se constituído em cenário profícuo para a discussão acerca das relações de gênero. Na educação infantil, o tema vem recrudescendo com temáticas que focam o espaço escolar, a interação entre meninos e meninas, entre as crianças e a ludicidade e das crianças com os adultos. Aqui se destaca uma ação contida no projeto de extensão universitária Tecendo o Fio de Ariadne com Professoras da Educação Infantil que se espraiou em uma oficina de pesquisa – Quem é a atriz, quem é o ator? Participaram da oficina meninos e meninas de ambos os sexos, do Pré-I, com faixa etária entre quatro a cinco anos de idade. A abordagem etnográfica inspirou o trabalho de campo, oportunizando a convivência com a cultura escolar, a compreensão de sua realidade e a contextualização das evidências na elaboração das análises. Fez-se uso da observação participante, com registros em diário de campo, fotografias, áudio e diagnóstico da realidade escolar. A dimensão da pesquisa contida no projeto de extensão revelou que desde tenra idade as crianças assimilam padrões de gênero a partir de sua vivência com o mundo adulto. Por isso, a escola não pode ser considerada a única responsável pela disseminação dos estereótipos de gênero. Inclusive, o desafio de transversalizar as relações de gênero na universidade se constitui, ainda, em um desafio para as instituições de ensino que têm o papel de formar formadoras/es em todos os níveis, etapas e modalidades de ensino."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "Gênero, Sexualidade e Educação"
    "palavra_chave" => "RELAÇÕES DE GÊNERO, OFICINA DE PESQUISA, ESTEREÓTIPOS, EDUCAÇÃO INFANTIL"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV045_MD1_SA11_ID6218_08092015115759.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:00"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:15:03"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GISLAINE DA NÓBREGA CHAVES"
    "autor_nome_curto" => "GISLAINE"
    "autor_email" => "nchaves@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais II CONEDU"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2015"
    "edicao_logo" => "5e4a05cfac134_17022020001735.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1848ba64e27_22072020111002.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-10-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 15520
    "edicao_id" => 38
    "trabalho_id" => 1803
    "inscrito_id" => 6218
    "titulo" => "AS RELAÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PERSPECTIVAS PARA A TRANSVERSALIZAÇÃO DO CONCEITO DE GÊNERO"
    "resumo" => "O campo da educação tem-se constituído em cenário profícuo para a discussão acerca das relações de gênero. Na educação infantil, o tema vem recrudescendo com temáticas que focam o espaço escolar, a interação entre meninos e meninas, entre as crianças e a ludicidade e das crianças com os adultos. Aqui se destaca uma ação contida no projeto de extensão universitária Tecendo o Fio de Ariadne com Professoras da Educação Infantil que se espraiou em uma oficina de pesquisa – Quem é a atriz, quem é o ator? Participaram da oficina meninos e meninas de ambos os sexos, do Pré-I, com faixa etária entre quatro a cinco anos de idade. A abordagem etnográfica inspirou o trabalho de campo, oportunizando a convivência com a cultura escolar, a compreensão de sua realidade e a contextualização das evidências na elaboração das análises. Fez-se uso da observação participante, com registros em diário de campo, fotografias, áudio e diagnóstico da realidade escolar. A dimensão da pesquisa contida no projeto de extensão revelou que desde tenra idade as crianças assimilam padrões de gênero a partir de sua vivência com o mundo adulto. Por isso, a escola não pode ser considerada a única responsável pela disseminação dos estereótipos de gênero. Inclusive, o desafio de transversalizar as relações de gênero na universidade se constitui, ainda, em um desafio para as instituições de ensino que têm o papel de formar formadoras/es em todos os níveis, etapas e modalidades de ensino."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "Gênero, Sexualidade e Educação"
    "palavra_chave" => "RELAÇÕES DE GÊNERO, OFICINA DE PESQUISA, ESTEREÓTIPOS, EDUCAÇÃO INFANTIL"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV045_MD1_SA11_ID6218_08092015115759.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:00"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:15:03"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GISLAINE DA NÓBREGA CHAVES"
    "autor_nome_curto" => "GISLAINE"
    "autor_email" => "nchaves@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais II CONEDU"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2015"
    "edicao_logo" => "5e4a05cfac134_17022020001735.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1848ba64e27_22072020111002.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-10-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 14 de outubro de 2015

Resumo

O campo da educação tem-se constituído em cenário profícuo para a discussão acerca das relações de gênero. Na educação infantil, o tema vem recrudescendo com temáticas que focam o espaço escolar, a interação entre meninos e meninas, entre as crianças e a ludicidade e das crianças com os adultos. Aqui se destaca uma ação contida no projeto de extensão universitária Tecendo o Fio de Ariadne com Professoras da Educação Infantil que se espraiou em uma oficina de pesquisa – Quem é a atriz, quem é o ator? Participaram da oficina meninos e meninas de ambos os sexos, do Pré-I, com faixa etária entre quatro a cinco anos de idade. A abordagem etnográfica inspirou o trabalho de campo, oportunizando a convivência com a cultura escolar, a compreensão de sua realidade e a contextualização das evidências na elaboração das análises. Fez-se uso da observação participante, com registros em diário de campo, fotografias, áudio e diagnóstico da realidade escolar. A dimensão da pesquisa contida no projeto de extensão revelou que desde tenra idade as crianças assimilam padrões de gênero a partir de sua vivência com o mundo adulto. Por isso, a escola não pode ser considerada a única responsável pela disseminação dos estereótipos de gênero. Inclusive, o desafio de transversalizar as relações de gênero na universidade se constitui, ainda, em um desafio para as instituições de ensino que têm o papel de formar formadoras/es em todos os níveis, etapas e modalidades de ensino.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.