Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

MARCAS SOCIAS: UM ESTUDO ETNOGRÁFICO DIGITAL ACERCA DE LINGUAGEM SEXISTA NA ENFERMAGEM

Palavra-chaves: GÊNERO, DOMINAÇÃO MASCULINA, LINGUAGEM SEXISTA, ENFERMAGEM Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero
"2015-06-03 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 10707
    "edicao_id" => 31
    "trabalho_id" => 40
    "inscrito_id" => 474
    "titulo" => "MARCAS SOCIAS: UM ESTUDO ETNOGRÁFICO DIGITAL ACERCA DE LINGUAGEM SEXISTA NA ENFERMAGEM"
    "resumo" => "Os corpos são acrescidos de marcas culturais conduzidas em estímulos para a construção dos gêneros que se moldam pelas redes de poder de uma sociedade estabelecendo padrões compostos e definidos por relações sociais. Tais relações influenciam até as escolhas profissionais, marcadas por uma cultura hegemônica, predominando a dominação masculina que reflete na linguagem. Este estudo pretende analisar o uso de linguagem sexista na página “notas à imprensa” no site do Conselho federal de enfermagem (COFEN). Salienta-se que o objetivo deste trabalho não é comentar sobre equívocos no cenário analisado, mas mostrar nos discursos a presença da dominação masculina que reforçam a discriminação social. Para tanto, realizou-se um estudo etnográfico digital, com abordagem qualitativa entre fevereiro e março de 2015. A fonte de observação foi a página “notas à imprensa” do COFEN. Como aporte teórico/metodológico utilizou-se manuais de linguagem não sexista e BOURDIER (2002). Para analise, foi realizada leitura crítica sobre o material coletado e teceu-se reflexões a luz da literatura pertinente à temática. Encontrou-se nas notas pouco material se comparado a proporção da mídia em abordagens que perpetuam representações que necessitam ser desconstruída pelas pessoas a respeito das(os) profissionais de enfermagem. Nos achados dos discursos, houve predomínio da linguagem sexista, ilustrando as marcas da dominação masculina, que foram naturalizadas ao longo dos anos e reforçam formas de discriminação na atualidade. Encontra-se a necessidade para a construção de equidade de gênero e da adequação à linguagem igualitária na escrita de textos, buscando a visibilidade dos excluídos nos discursos."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero"
    "palavra_chave" => "GÊNERO, DOMINAÇÃO MASCULINA, LINGUAGEM SEXISTA, ENFERMAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV046_MD1_SA8_ID474_02042015195654.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:57"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:14:40"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "LAIS VASCONCELOS SANTOS"
    "autor_nome_curto" => "LAIS VASCONCELOS"
    "autor_email" => "lais_lvs@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xi-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XI CONAGES"
    "edicao_evento" => "XI Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2015"
    "edicao_logo" => "5e4d926732858_19022020165415.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1840e819853_22072020103640.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-06-03 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 10707
    "edicao_id" => 31
    "trabalho_id" => 40
    "inscrito_id" => 474
    "titulo" => "MARCAS SOCIAS: UM ESTUDO ETNOGRÁFICO DIGITAL ACERCA DE LINGUAGEM SEXISTA NA ENFERMAGEM"
    "resumo" => "Os corpos são acrescidos de marcas culturais conduzidas em estímulos para a construção dos gêneros que se moldam pelas redes de poder de uma sociedade estabelecendo padrões compostos e definidos por relações sociais. Tais relações influenciam até as escolhas profissionais, marcadas por uma cultura hegemônica, predominando a dominação masculina que reflete na linguagem. Este estudo pretende analisar o uso de linguagem sexista na página “notas à imprensa” no site do Conselho federal de enfermagem (COFEN). Salienta-se que o objetivo deste trabalho não é comentar sobre equívocos no cenário analisado, mas mostrar nos discursos a presença da dominação masculina que reforçam a discriminação social. Para tanto, realizou-se um estudo etnográfico digital, com abordagem qualitativa entre fevereiro e março de 2015. A fonte de observação foi a página “notas à imprensa” do COFEN. Como aporte teórico/metodológico utilizou-se manuais de linguagem não sexista e BOURDIER (2002). Para analise, foi realizada leitura crítica sobre o material coletado e teceu-se reflexões a luz da literatura pertinente à temática. Encontrou-se nas notas pouco material se comparado a proporção da mídia em abordagens que perpetuam representações que necessitam ser desconstruída pelas pessoas a respeito das(os) profissionais de enfermagem. Nos achados dos discursos, houve predomínio da linguagem sexista, ilustrando as marcas da dominação masculina, que foram naturalizadas ao longo dos anos e reforçam formas de discriminação na atualidade. Encontra-se a necessidade para a construção de equidade de gênero e da adequação à linguagem igualitária na escrita de textos, buscando a visibilidade dos excluídos nos discursos."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero"
    "palavra_chave" => "GÊNERO, DOMINAÇÃO MASCULINA, LINGUAGEM SEXISTA, ENFERMAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV046_MD1_SA8_ID474_02042015195654.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:57"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:14:40"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "LAIS VASCONCELOS SANTOS"
    "autor_nome_curto" => "LAIS VASCONCELOS"
    "autor_email" => "lais_lvs@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xi-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XI CONAGES"
    "edicao_evento" => "XI Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2015"
    "edicao_logo" => "5e4d926732858_19022020165415.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1840e819853_22072020103640.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-06-03 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 03 de junho de 2015

Resumo

Os corpos são acrescidos de marcas culturais conduzidas em estímulos para a construção dos gêneros que se moldam pelas redes de poder de uma sociedade estabelecendo padrões compostos e definidos por relações sociais. Tais relações influenciam até as escolhas profissionais, marcadas por uma cultura hegemônica, predominando a dominação masculina que reflete na linguagem. Este estudo pretende analisar o uso de linguagem sexista na página “notas à imprensa” no site do Conselho federal de enfermagem (COFEN). Salienta-se que o objetivo deste trabalho não é comentar sobre equívocos no cenário analisado, mas mostrar nos discursos a presença da dominação masculina que reforçam a discriminação social. Para tanto, realizou-se um estudo etnográfico digital, com abordagem qualitativa entre fevereiro e março de 2015. A fonte de observação foi a página “notas à imprensa” do COFEN. Como aporte teórico/metodológico utilizou-se manuais de linguagem não sexista e BOURDIER (2002). Para analise, foi realizada leitura crítica sobre o material coletado e teceu-se reflexões a luz da literatura pertinente à temática. Encontrou-se nas notas pouco material se comparado a proporção da mídia em abordagens que perpetuam representações que necessitam ser desconstruída pelas pessoas a respeito das(os) profissionais de enfermagem. Nos achados dos discursos, houve predomínio da linguagem sexista, ilustrando as marcas da dominação masculina, que foram naturalizadas ao longo dos anos e reforçam formas de discriminação na atualidade. Encontra-se a necessidade para a construção de equidade de gênero e da adequação à linguagem igualitária na escrita de textos, buscando a visibilidade dos excluídos nos discursos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.