Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

DIVERSIDADE FAMILIAR E CASAMENTO CIVIL IGUALITÁRIO

Palavra-chaves: ARRANJOS FAMILIARES, DIVERSIDADE FAMILIAR, CASAMENTO CIVIL IGUALITÁRIO Pôster (PO) / Poster Submission Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero
"2015-06-03 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 10593
    "edicao_id" => 31
    "trabalho_id" => 89
    "inscrito_id" => 1013
    "titulo" => "DIVERSIDADE FAMILIAR E CASAMENTO CIVIL IGUALITÁRIO"
    "resumo" => "Segundo o Art. 5º da Constituição Federal Brasileira de 1988, todos os indivíduos desta nacionalidade ou estrangeiros residentes no País têm os mesmos direitos e obrigações perante a lei, de forma inerente sem distinções de qualquer natureza. Entretanto, ainda nos deparamos com inúmeras formas de desigualdades sociais e civis, onde diferentes grupos enfrentam com dificuldades e entraves a aplicabilidade de seus direitos enquanto cidadão de uma sociedade regida por um Estado democrático. Para tanto podemos citar a comunidade LGBT, que visa enquanto cidadãos brasileiros assegurar o direito civil à união legal de indivíduos de mesmo sexo em seus regimes formais e burocráticos, assim como se constitui entre pessoas de sexos opostos. Deste modo, diante de tal situação, o tema do presente estudo visa examinar as questões relacionadas à necessidade de que os novos arranjos familiares, principalmente os formados por pares homoafetivos, possuem em ter seus direitos fundamentais assegurados. Direitos esses pautados nos princípios da isonomia e da dignidade da pessoa humana, procuramos argumentar acerca da união homoafetiva enquanto seguridade de direitos fundamentais estabelecidos constitucionalmente, entendendo a proibição do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo como uma violação dos direitos humanos, e dos cidadãos e cidadãs brasileiros (as). O direito à união matrimonial homoafetiva deve encontrar respaldado de forma clara por meio de lei, não permitindo um mau entendimento no qual procura marginalizar o casamento homoafetivo gerando um contexto de desrespeito e negatividade ao dar reconhecimento à celebração do matrimônio, eliminando a repetição insistente de entendimentos e discursos preconceituosos e incoerentes."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero"
    "palavra_chave" => "ARRANJOS FAMILIARES, DIVERSIDADE FAMILIAR, CASAMENTO CIVIL IGUALITÁRIO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV046_MD4_SA8_ID1013_20042015155629.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:57"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:14:40"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ARISTIDES ARIEL BERNARDO"
    "autor_nome_curto" => "ARIEL BERNARDO"
    "autor_email" => "aryel_bernardo@hotmail.co"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xi-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XI CONAGES"
    "edicao_evento" => "XI Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2015"
    "edicao_logo" => "5e4d926732858_19022020165415.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1840e819853_22072020103640.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-06-03 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 10593
    "edicao_id" => 31
    "trabalho_id" => 89
    "inscrito_id" => 1013
    "titulo" => "DIVERSIDADE FAMILIAR E CASAMENTO CIVIL IGUALITÁRIO"
    "resumo" => "Segundo o Art. 5º da Constituição Federal Brasileira de 1988, todos os indivíduos desta nacionalidade ou estrangeiros residentes no País têm os mesmos direitos e obrigações perante a lei, de forma inerente sem distinções de qualquer natureza. Entretanto, ainda nos deparamos com inúmeras formas de desigualdades sociais e civis, onde diferentes grupos enfrentam com dificuldades e entraves a aplicabilidade de seus direitos enquanto cidadão de uma sociedade regida por um Estado democrático. Para tanto podemos citar a comunidade LGBT, que visa enquanto cidadãos brasileiros assegurar o direito civil à união legal de indivíduos de mesmo sexo em seus regimes formais e burocráticos, assim como se constitui entre pessoas de sexos opostos. Deste modo, diante de tal situação, o tema do presente estudo visa examinar as questões relacionadas à necessidade de que os novos arranjos familiares, principalmente os formados por pares homoafetivos, possuem em ter seus direitos fundamentais assegurados. Direitos esses pautados nos princípios da isonomia e da dignidade da pessoa humana, procuramos argumentar acerca da união homoafetiva enquanto seguridade de direitos fundamentais estabelecidos constitucionalmente, entendendo a proibição do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo como uma violação dos direitos humanos, e dos cidadãos e cidadãs brasileiros (as). O direito à união matrimonial homoafetiva deve encontrar respaldado de forma clara por meio de lei, não permitindo um mau entendimento no qual procura marginalizar o casamento homoafetivo gerando um contexto de desrespeito e negatividade ao dar reconhecimento à celebração do matrimônio, eliminando a repetição insistente de entendimentos e discursos preconceituosos e incoerentes."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero"
    "palavra_chave" => "ARRANJOS FAMILIARES, DIVERSIDADE FAMILIAR, CASAMENTO CIVIL IGUALITÁRIO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV046_MD4_SA8_ID1013_20042015155629.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:57"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:14:40"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ARISTIDES ARIEL BERNARDO"
    "autor_nome_curto" => "ARIEL BERNARDO"
    "autor_email" => "aryel_bernardo@hotmail.co"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xi-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XI CONAGES"
    "edicao_evento" => "XI Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2015"
    "edicao_logo" => "5e4d926732858_19022020165415.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1840e819853_22072020103640.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-06-03 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 03 de junho de 2015

Resumo

Segundo o Art. 5º da Constituição Federal Brasileira de 1988, todos os indivíduos desta nacionalidade ou estrangeiros residentes no País têm os mesmos direitos e obrigações perante a lei, de forma inerente sem distinções de qualquer natureza. Entretanto, ainda nos deparamos com inúmeras formas de desigualdades sociais e civis, onde diferentes grupos enfrentam com dificuldades e entraves a aplicabilidade de seus direitos enquanto cidadão de uma sociedade regida por um Estado democrático. Para tanto podemos citar a comunidade LGBT, que visa enquanto cidadãos brasileiros assegurar o direito civil à união legal de indivíduos de mesmo sexo em seus regimes formais e burocráticos, assim como se constitui entre pessoas de sexos opostos. Deste modo, diante de tal situação, o tema do presente estudo visa examinar as questões relacionadas à necessidade de que os novos arranjos familiares, principalmente os formados por pares homoafetivos, possuem em ter seus direitos fundamentais assegurados. Direitos esses pautados nos princípios da isonomia e da dignidade da pessoa humana, procuramos argumentar acerca da união homoafetiva enquanto seguridade de direitos fundamentais estabelecidos constitucionalmente, entendendo a proibição do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo como uma violação dos direitos humanos, e dos cidadãos e cidadãs brasileiros (as). O direito à união matrimonial homoafetiva deve encontrar respaldado de forma clara por meio de lei, não permitindo um mau entendimento no qual procura marginalizar o casamento homoafetivo gerando um contexto de desrespeito e negatividade ao dar reconhecimento à celebração do matrimônio, eliminando a repetição insistente de entendimentos e discursos preconceituosos e incoerentes.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.