Artigo E-book SINAFRO

E-books

ISBN: 978-85-61702-51-9

Visualizações: 193
A REPRESENTAÇÃO DA RESISTÊNCIA E DA IDENTIDADE DA MULHER NEGRA NOS CONTOS ?DAS ÁGUAS? DE CRISTIANE SOBRAL E ?QUANDO PAREI DE MANDAR BEIJOS? DE TAÍS ESPÍRITO SANTO

Resumo

Este artigo teve como objetivo fazer uma análise sobre a forma como é representada o ato de resistência e a construção da identidade feminina negra nos contos: ?Das águas?, da escritora Cristiane Sobral, e ?Quando parei de mandar beijos?, de Taís Espírito Santo, retirados da obra Olhos de Azeviche. Assim sendo, as análises e discussões presentes neste trabalho compartilham as reflexões teóricas de: Crenshaw (2002), Hall (2006), Gonzalez (1982), Souza (1983) e Fanon (2008). Ressaltamos como a identidade da mulher negra é afetada a partir das experiências racistas vivenciadas por esta mulher em espaços de poder negados historicamente a população negra. Analisamos e concluímos que no conto ?Das aguas?, da escritora Cristiane Sobral, é representado uma mulher negra que constrói sua identidade negra exaltando e amando seus traços negros. A personagem também possui amor e respeito pelo seu povo negro, logo, ela encontra nesse mesmo povo e em Oxum a força que ela precisa para sobreviver ao racismo. Essa mesma mulher negra ao ocupar uma universidade é obrigada a resistir para sobreviver em um ambiente predominantemente branco e racista, que tenta destruir sua identidade negra. No conto ?Quando parei de mandar beijos?, de Taís Espírito Santo, a personagem principal é uma mulher negra que sofreu profundamente com o racismo, como consequência, o simples ato de mandar beijos se tornou algo impossível, porque sua boca carnuda foi considerada algo desprezível pelos brancos presentes na escola em que ela estudava.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.