Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

PRÁTICAS HISTORIOGRÁFICAS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS

Palavra-chaves: CULTURA AFRICANA, MÚSICA POPULAR BRASILEIRA, ENSINO DE HISTÓRIA Pôster (PO) EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 7818
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 450
    "inscrito_id" => 3211
    "titulo" => "PRÁTICAS HISTORIOGRÁFICAS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS"
    "resumo" => "A forma de uma História e historiografia escritas sob um fio condutor cronológico-linear e eurocêntrica-ocidental é facilmente identificada em vários países do mundo. Por muito tempo, a ideia de que a História mundial fora escrita pela ação e intervenção dos povos europeus na África e no “Novo Mundo” e, consequentemente, a importância considerável que tiveram os grandes nomes, os heróis e os grandes personagens do “velho continente” se fizeram presentes em nosso imaginário e ensino (CARR, 1985). Todavia, a bem da verdade, desde a Revolução provocada pelos Annales, ganhamos a capacidade de criticar. Mas, hoje, não só criticamos, como realizamos uma nova forma de se ver e entender a História. Assim, nós trazemos de volta: as vozes, a riqueza e a cultura de povos e personagens escamoteados da escrita histórica euro-ocidental. Diante disso, com esse trabalho procuraremos evidenciar a cultura africana nas canções da Música Popular Brasileira (MPB) e, em consequência, apontar propostas e possibilidades de sua aplicação nas salas de aula do ensino básico. Tal proposta justifica-se, em primeiro lugar, por colocar em prática os cumprimentos da lei nº 10.639/03 que estipula a obrigatoriedade do ensino de História da África nas escolas públicas. Com efeito, em segundo lugar, em ampliar as opções didático-pedagógicas para o trabalho em sala de aula, procurando contribuir para o processo de crítica e “revisão” histórica e historiográfica do Brasil e do continente africano, visto a sua igual riqueza cultural, patrimonial, social entre outras quanto à dos países euro-ocidentais. Nesse sentido, as pesquisas feitas em torno das obras de Circe Bittencourt (2011) e Marcos Napolitano (2002) nos serviram de referencial teórico-metodológico e nos conduziram a escolha de duas músicas da MPB voltadas para essa temática e, consequentemente, para a possibilidade de sua aplicação na prática docente, a saber, Mama África (1995), do cantor e compositor Chico César e Morro Velho (1977), de Milton Nascimento. Assim, a partir dessas canções, verificamos a importância dessas músicas para o processo de ensino-aprendizagem, evidenciando as continuidades e/ou rupturas presentes na História e na historiografia, apontando, consequentemente, maneiras e/ou possibilidades de como elas poderão ser utilizadas em sala de aula pelo profissional docente."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS"
    "palavra_chave" => "CULTURA AFRICANA, MÚSICA POPULAR BRASILEIRA, ENSINO DE HISTÓRIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_07_08_2014_19_14_26_idinscrito_3211_1aadb72e9a5124a1f578abf3f1bcdb1d.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:27"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "NATHALY DE OLIVEIRA DANTAS FIGUEIREDO"
    "autor_nome_curto" => "NATHALY"
    "autor_email" => "nathalymaga@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 7818
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 450
    "inscrito_id" => 3211
    "titulo" => "PRÁTICAS HISTORIOGRÁFICAS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS"
    "resumo" => "A forma de uma História e historiografia escritas sob um fio condutor cronológico-linear e eurocêntrica-ocidental é facilmente identificada em vários países do mundo. Por muito tempo, a ideia de que a História mundial fora escrita pela ação e intervenção dos povos europeus na África e no “Novo Mundo” e, consequentemente, a importância considerável que tiveram os grandes nomes, os heróis e os grandes personagens do “velho continente” se fizeram presentes em nosso imaginário e ensino (CARR, 1985). Todavia, a bem da verdade, desde a Revolução provocada pelos Annales, ganhamos a capacidade de criticar. Mas, hoje, não só criticamos, como realizamos uma nova forma de se ver e entender a História. Assim, nós trazemos de volta: as vozes, a riqueza e a cultura de povos e personagens escamoteados da escrita histórica euro-ocidental. Diante disso, com esse trabalho procuraremos evidenciar a cultura africana nas canções da Música Popular Brasileira (MPB) e, em consequência, apontar propostas e possibilidades de sua aplicação nas salas de aula do ensino básico. Tal proposta justifica-se, em primeiro lugar, por colocar em prática os cumprimentos da lei nº 10.639/03 que estipula a obrigatoriedade do ensino de História da África nas escolas públicas. Com efeito, em segundo lugar, em ampliar as opções didático-pedagógicas para o trabalho em sala de aula, procurando contribuir para o processo de crítica e “revisão” histórica e historiográfica do Brasil e do continente africano, visto a sua igual riqueza cultural, patrimonial, social entre outras quanto à dos países euro-ocidentais. Nesse sentido, as pesquisas feitas em torno das obras de Circe Bittencourt (2011) e Marcos Napolitano (2002) nos serviram de referencial teórico-metodológico e nos conduziram a escolha de duas músicas da MPB voltadas para essa temática e, consequentemente, para a possibilidade de sua aplicação na prática docente, a saber, Mama África (1995), do cantor e compositor Chico César e Morro Velho (1977), de Milton Nascimento. Assim, a partir dessas canções, verificamos a importância dessas músicas para o processo de ensino-aprendizagem, evidenciando as continuidades e/ou rupturas presentes na História e na historiografia, apontando, consequentemente, maneiras e/ou possibilidades de como elas poderão ser utilizadas em sala de aula pelo profissional docente."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS"
    "palavra_chave" => "CULTURA AFRICANA, MÚSICA POPULAR BRASILEIRA, ENSINO DE HISTÓRIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_07_08_2014_19_14_26_idinscrito_3211_1aadb72e9a5124a1f578abf3f1bcdb1d.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:27"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "NATHALY DE OLIVEIRA DANTAS FIGUEIREDO"
    "autor_nome_curto" => "NATHALY"
    "autor_email" => "nathalymaga@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

A forma de uma História e historiografia escritas sob um fio condutor cronológico-linear e eurocêntrica-ocidental é facilmente identificada em vários países do mundo. Por muito tempo, a ideia de que a História mundial fora escrita pela ação e intervenção dos povos europeus na África e no “Novo Mundo” e, consequentemente, a importância considerável que tiveram os grandes nomes, os heróis e os grandes personagens do “velho continente” se fizeram presentes em nosso imaginário e ensino (CARR, 1985). Todavia, a bem da verdade, desde a Revolução provocada pelos Annales, ganhamos a capacidade de criticar. Mas, hoje, não só criticamos, como realizamos uma nova forma de se ver e entender a História. Assim, nós trazemos de volta: as vozes, a riqueza e a cultura de povos e personagens escamoteados da escrita histórica euro-ocidental. Diante disso, com esse trabalho procuraremos evidenciar a cultura africana nas canções da Música Popular Brasileira (MPB) e, em consequência, apontar propostas e possibilidades de sua aplicação nas salas de aula do ensino básico. Tal proposta justifica-se, em primeiro lugar, por colocar em prática os cumprimentos da lei nº 10.639/03 que estipula a obrigatoriedade do ensino de História da África nas escolas públicas. Com efeito, em segundo lugar, em ampliar as opções didático-pedagógicas para o trabalho em sala de aula, procurando contribuir para o processo de crítica e “revisão” histórica e historiográfica do Brasil e do continente africano, visto a sua igual riqueza cultural, patrimonial, social entre outras quanto à dos países euro-ocidentais. Nesse sentido, as pesquisas feitas em torno das obras de Circe Bittencourt (2011) e Marcos Napolitano (2002) nos serviram de referencial teórico-metodológico e nos conduziram a escolha de duas músicas da MPB voltadas para essa temática e, consequentemente, para a possibilidade de sua aplicação na prática docente, a saber, Mama África (1995), do cantor e compositor Chico César e Morro Velho (1977), de Milton Nascimento. Assim, a partir dessas canções, verificamos a importância dessas músicas para o processo de ensino-aprendizagem, evidenciando as continuidades e/ou rupturas presentes na História e na historiografia, apontando, consequentemente, maneiras e/ou possibilidades de como elas poderão ser utilizadas em sala de aula pelo profissional docente.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.