Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 243
ENSINO E APRENDIZAGEM DOS GÊNEROS DO DISCURSO EM SALA DE AULA

Palavra-chaves: GÊNEROS, PRÁTICAS SOCIAIS, LÍNGUA PORTUGUESA Comunicação Oral (CO) ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

As pesquisas acerca dos gêneros discursivos não são recentes, entretanto despertam interesses em variadas áreas disciplinares. E no tocante ao ensino e a aprendizagem desses tipos relativamente estáveis, a temática suscita questionamentos pertinentes para a construção de um trabalho docente que fortaleça ou que ponha em evidencia a relação entre as práticas sociais e os gêneros discursivos. Assim, esta pesquisa contribui para o trabalho desenvolvido na sala de aula. Para tal, foram utilizados como pressupostos teóricos autores como BAKTHIN (2003) e MARCUSCHI (2008), referentes a discussão acerca de gêneros e tipos textuais; e ZOZZOLI (no prelo) no tocante ao trabalho e as reflexões sobre gêneros na aula de língua portuguesa. E a partir da observação da prática do professor de uma turma do ensino médio buscou-se focalizar a utilização, ou o possível não uso, na sala de aula de diferentes gêneros do discurso. Tratando-se de uma pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, os dados foram coletados a partir das próprias produções escritas dos alunos, dos registros de aulas (gravações em áudio e notas de campo) e de entrevistas com o docente. Percebeu-se, inicialmente, que as práticas relacionadas aos textos apresentados em sala não possibilitarão uma articulação entre os gêneros inseridos no contexto das aulas e os gêneros que os alunos necessitarão para a lida com as práticas sociais. E nesse caso, esse contexto além de revelar uma fragmentação na qual o ensino da língua portuguesa encontra-se inserido no ensino básico; sugere certo distanciamento do saber vinculado na escola e a vida do aluno. Esse contexto acaba por enfraquecer a ligação entre os gêneros e a vida de que fala Bakhtin. Na análise dos dados, foram examinadas as categorias textuais T1, T2 e T3; observou-se que o docente demonstrou maior interesse na categoria T2 (textos/gêneros que neste caso se relacionaram ao ensino de literatura), mas na abordagem das atividades em sala constatou-se certa ênfase nos textos da categoria T3. E ainda que as atividades fundamentadas na escolha de um gênero que manteve ligações com as práticas sociais dos alunos, como verificado com a crônica, e a prática da leitura vocalizada desse gênero, realizada pelo professor, contribuíram decisivamente para uma recepção positiva da turma em relação ao ensino e aprendizagem dos gêneros. Assim, evidenciou-se a possibilidade de um trabalho em sala com os gêneros do discurso, no qual ocorra a articulação entre o gênero/texto, escolhido pelo professor com os temas e interesses presentes no cotidiano e na realidade dos próprios alunos; destacando-se que a formação do professor pode oferecer-lhe significativas contribuições para o aprofundamento de seus conhecimentos sobre os gêneros e de sua utilização no ensino da Língua Portuguesa.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.