Artigo Anais VI FIPED

ANAIS de Evento

ISSN: 2316-1086

VIVÊNCIAS DE ESTÁGIO: UMA BREVE REFLEXÃO DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Palavra-chaves: ESTÁGIO SUPERVISIONADO, EDUCAÇÃO INFANTIL, GÊNERO Comunicação Oral (CO) GÊNERO E DIVERSIDADE NA ESCOLA: DESAFIOS PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA
"2014-07-30 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 6600
    "edicao_id" => 20
    "trabalho_id" => 48
    "inscrito_id" => 926
    "titulo" => "VIVÊNCIAS DE ESTÁGIO: UMA BREVE REFLEXÃO DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL"
    "resumo" => "O presente artigo tem por objetivo discutir a construção de gênero na educação na infantil, a partir das vivências da Disciplina Estágio Supervisionado em Educação Infantil. O interesse pelo tema surgiu da necessidade de refletirmos sobre nossa formação inicial frente às questões de gênero, pois para a nossa surpresa e estranhamento o professor titular da sala de aula qual estagiamos era um homem, o que de modo quase que imediato, nos inquietou devido às nossas crenças já fixas em nosso modo de pensar e agir nos trouxe à tona a questão do preconceito pelo fato de um homem lecionar para crianças de 4 e 5 anos. Daí surgiu como questão mobilizadora o seguinte questionamento: Qual é realmente o papel da escola frente à construção de gênero na educação infantil? Percebemos, durante as observações realizadas na vivência do estágio, que a escola ajuda a produzir ou a reproduzir valores relacionados às questões de gêneros diante de pequenas práticas e ações cotidianas. Diante destas constatações defendemos que o papel do professor no âmbito desta questão é transformar o ambiente escolar em um local colaborativo, onde as crianças possam desempenhar variadas tarefas e brincadeiras que não necessariamente sejam rotuladas como masculinas ou femininas."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GÊNERO E DIVERSIDADE NA ESCOLA: DESAFIOS PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA"
    "palavra_chave" => "ESTÁGIO SUPERVISIONADO, EDUCAÇÃO INFANTIL, GÊNERO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_2datahora_18_05_2014_16_52_59_idinscrito_926_68af3ed8a7baa1303492837590fd5059.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:53"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:46:21"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JOÃO ANTÔNIO DE SOUSA LIRA"
    "autor_nome_curto" => "JOÃO LIRA"
    "autor_email" => "joao.lira.antonio@hotmail"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-vi-fiped"
    "edicao_nome" => "Anais VI FIPED"
    "edicao_evento" => "VI Fórum Internacional de Pedagogia"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/fiped/2014"
    "edicao_logo" => "5e49aec952f7c_16022020180617.png"
    "edicao_capa" => "5f186e2e282dd_22072020134950.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-07-30 00:00:00"
    "publicacao_id" => 1
    "publicacao_nome" => "Revista FIPED"
    "publicacao_codigo" => "2316-1086"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 6600
    "edicao_id" => 20
    "trabalho_id" => 48
    "inscrito_id" => 926
    "titulo" => "VIVÊNCIAS DE ESTÁGIO: UMA BREVE REFLEXÃO DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL"
    "resumo" => "O presente artigo tem por objetivo discutir a construção de gênero na educação na infantil, a partir das vivências da Disciplina Estágio Supervisionado em Educação Infantil. O interesse pelo tema surgiu da necessidade de refletirmos sobre nossa formação inicial frente às questões de gênero, pois para a nossa surpresa e estranhamento o professor titular da sala de aula qual estagiamos era um homem, o que de modo quase que imediato, nos inquietou devido às nossas crenças já fixas em nosso modo de pensar e agir nos trouxe à tona a questão do preconceito pelo fato de um homem lecionar para crianças de 4 e 5 anos. Daí surgiu como questão mobilizadora o seguinte questionamento: Qual é realmente o papel da escola frente à construção de gênero na educação infantil? Percebemos, durante as observações realizadas na vivência do estágio, que a escola ajuda a produzir ou a reproduzir valores relacionados às questões de gêneros diante de pequenas práticas e ações cotidianas. Diante destas constatações defendemos que o papel do professor no âmbito desta questão é transformar o ambiente escolar em um local colaborativo, onde as crianças possam desempenhar variadas tarefas e brincadeiras que não necessariamente sejam rotuladas como masculinas ou femininas."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GÊNERO E DIVERSIDADE NA ESCOLA: DESAFIOS PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA"
    "palavra_chave" => "ESTÁGIO SUPERVISIONADO, EDUCAÇÃO INFANTIL, GÊNERO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_2datahora_18_05_2014_16_52_59_idinscrito_926_68af3ed8a7baa1303492837590fd5059.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:53"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:46:21"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JOÃO ANTÔNIO DE SOUSA LIRA"
    "autor_nome_curto" => "JOÃO LIRA"
    "autor_email" => "joao.lira.antonio@hotmail"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-vi-fiped"
    "edicao_nome" => "Anais VI FIPED"
    "edicao_evento" => "VI Fórum Internacional de Pedagogia"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/fiped/2014"
    "edicao_logo" => "5e49aec952f7c_16022020180617.png"
    "edicao_capa" => "5f186e2e282dd_22072020134950.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-07-30 00:00:00"
    "publicacao_id" => 1
    "publicacao_nome" => "Revista FIPED"
    "publicacao_codigo" => "2316-1086"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 30 de julho de 2014

Resumo

O presente artigo tem por objetivo discutir a construção de gênero na educação na infantil, a partir das vivências da Disciplina Estágio Supervisionado em Educação Infantil. O interesse pelo tema surgiu da necessidade de refletirmos sobre nossa formação inicial frente às questões de gênero, pois para a nossa surpresa e estranhamento o professor titular da sala de aula qual estagiamos era um homem, o que de modo quase que imediato, nos inquietou devido às nossas crenças já fixas em nosso modo de pensar e agir nos trouxe à tona a questão do preconceito pelo fato de um homem lecionar para crianças de 4 e 5 anos. Daí surgiu como questão mobilizadora o seguinte questionamento: Qual é realmente o papel da escola frente à construção de gênero na educação infantil? Percebemos, durante as observações realizadas na vivência do estágio, que a escola ajuda a produzir ou a reproduzir valores relacionados às questões de gêneros diante de pequenas práticas e ações cotidianas. Diante destas constatações defendemos que o papel do professor no âmbito desta questão é transformar o ambiente escolar em um local colaborativo, onde as crianças possam desempenhar variadas tarefas e brincadeiras que não necessariamente sejam rotuladas como masculinas ou femininas.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.