Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

ANÁLISE DA MODULAÇÃO AUTONÔMICA CARDÍACA DURANTE O TESTE DE SOBRECARGA MENTAL APÓS ESTIMULAÇÃO AUDITIVA MUSICAL CLÁSSICA EM HOMENS.

Palavra-chaves: MÚSICA, SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO, FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR Pôster (PO) Fisioterapia
"2014-04-09 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 5618
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 92
    "inscrito_id" => 2071
    "titulo" => "ANÁLISE DA MODULAÇÃO AUTONÔMICA CARDÍACA DURANTE O TESTE DE SOBRECARGA MENTAL APÓS ESTIMULAÇÃO AUDITIVA MUSICAL CLÁSSICA EM HOMENS."
    "resumo" => "Introdução: Estudos mostraram que músicas relaxantes em longo tempo melhoram a modulação autonômica cardíaca. Entretanto, não está claro na literatura se a exposição a determinadas músicas clássicas antes da realização de testes autonômicos pode afetar a regulação autonômica cardíaca. Objetivo: Verificar os efeitos do estímulo auditivo musical com estilo clássico sobre as respostas autonômicas cardíacas induzidas pelo teste de sobrecarga mental. Método: O estudo foi realizado com 28 sujeitos saudáveis do sexo masculino com idade de 20.1+2 anos. Não foram incluídos sujeitos com distúrbios auditivos, cardiorrespiratórios, neurológicos e demais comprometimentos conhecidos ou relatados que impediam a realização dos procedimentos, bem como uso de medicamentos que influenciavam a regulação autonômica cardíaca, consumo de cafeína ou estimulantes nas 24 horas anteriores à avaliação e fumantes. O primeiro protocolo de avaliação teve como base o registro em repouso durante 10 minutos com o fone de ouvido desligado. Subsequentemente, os sujeitos tiveram 5 minutos para realização do teste aritmético mental seguido de 5 minutos de repouso pós-teste com o fone de ouvido desligado. No segundo protocolo, os sujeitos foram expostos à música clássica (Pachelbel: Canon in D, 64-83 dB) por 10 minutos antes da realização do teste aritmético mental. Foram avaliados os índices geométricos (RRtri, TINN, SD1, SD2 e razão SD1/SD2) da VFC durante 10 minutos antes do teste sem exposição à música, 10 minutos antes do teste com exposição à música, 5 minutos durante o teste e 5 minutos após o teste. Resultados: No protocolo sem música não houve alterações significantes nos índices analisados (p>0,05). No protocolo com música os índices RRtri (p:0,021), TINN (p:0,040) e SD2 (p:0,020) foram reduzidos após o estímulo auditivo musical clássico durante o teste e após o teste quando comparados ao repouso inicial. Conclusão: A exposição prévia ao estímulo auditivo musical utilizado intensificou a resposta autonômica cardíaca induzida pelo teste de sobrecarga mental."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Fisioterapia"
    "palavra_chave" => "MÚSICA, SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO, FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_11_03_2014_15_18_03_idinscrito_2071_08b19b7deba37ca6640763de3eee8a3f.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ANNE MICHELLI GOMES GONÇALVES FONTES"
    "autor_nome_curto" => "ANNE MICHELLI GOMES"
    "autor_email" => "anne.m.gomes@hotmail.com"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 5618
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 92
    "inscrito_id" => 2071
    "titulo" => "ANÁLISE DA MODULAÇÃO AUTONÔMICA CARDÍACA DURANTE O TESTE DE SOBRECARGA MENTAL APÓS ESTIMULAÇÃO AUDITIVA MUSICAL CLÁSSICA EM HOMENS."
    "resumo" => "Introdução: Estudos mostraram que músicas relaxantes em longo tempo melhoram a modulação autonômica cardíaca. Entretanto, não está claro na literatura se a exposição a determinadas músicas clássicas antes da realização de testes autonômicos pode afetar a regulação autonômica cardíaca. Objetivo: Verificar os efeitos do estímulo auditivo musical com estilo clássico sobre as respostas autonômicas cardíacas induzidas pelo teste de sobrecarga mental. Método: O estudo foi realizado com 28 sujeitos saudáveis do sexo masculino com idade de 20.1+2 anos. Não foram incluídos sujeitos com distúrbios auditivos, cardiorrespiratórios, neurológicos e demais comprometimentos conhecidos ou relatados que impediam a realização dos procedimentos, bem como uso de medicamentos que influenciavam a regulação autonômica cardíaca, consumo de cafeína ou estimulantes nas 24 horas anteriores à avaliação e fumantes. O primeiro protocolo de avaliação teve como base o registro em repouso durante 10 minutos com o fone de ouvido desligado. Subsequentemente, os sujeitos tiveram 5 minutos para realização do teste aritmético mental seguido de 5 minutos de repouso pós-teste com o fone de ouvido desligado. No segundo protocolo, os sujeitos foram expostos à música clássica (Pachelbel: Canon in D, 64-83 dB) por 10 minutos antes da realização do teste aritmético mental. Foram avaliados os índices geométricos (RRtri, TINN, SD1, SD2 e razão SD1/SD2) da VFC durante 10 minutos antes do teste sem exposição à música, 10 minutos antes do teste com exposição à música, 5 minutos durante o teste e 5 minutos após o teste. Resultados: No protocolo sem música não houve alterações significantes nos índices analisados (p>0,05). No protocolo com música os índices RRtri (p:0,021), TINN (p:0,040) e SD2 (p:0,020) foram reduzidos após o estímulo auditivo musical clássico durante o teste e após o teste quando comparados ao repouso inicial. Conclusão: A exposição prévia ao estímulo auditivo musical utilizado intensificou a resposta autonômica cardíaca induzida pelo teste de sobrecarga mental."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Fisioterapia"
    "palavra_chave" => "MÚSICA, SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO, FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_11_03_2014_15_18_03_idinscrito_2071_08b19b7deba37ca6640763de3eee8a3f.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ANNE MICHELLI GOMES GONÇALVES FONTES"
    "autor_nome_curto" => "ANNE MICHELLI GOMES"
    "autor_email" => "anne.m.gomes@hotmail.com"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

Introdução: Estudos mostraram que músicas relaxantes em longo tempo melhoram a modulação autonômica cardíaca. Entretanto, não está claro na literatura se a exposição a determinadas músicas clássicas antes da realização de testes autonômicos pode afetar a regulação autonômica cardíaca. Objetivo: Verificar os efeitos do estímulo auditivo musical com estilo clássico sobre as respostas autonômicas cardíacas induzidas pelo teste de sobrecarga mental. Método: O estudo foi realizado com 28 sujeitos saudáveis do sexo masculino com idade de 20.1+2 anos. Não foram incluídos sujeitos com distúrbios auditivos, cardiorrespiratórios, neurológicos e demais comprometimentos conhecidos ou relatados que impediam a realização dos procedimentos, bem como uso de medicamentos que influenciavam a regulação autonômica cardíaca, consumo de cafeína ou estimulantes nas 24 horas anteriores à avaliação e fumantes. O primeiro protocolo de avaliação teve como base o registro em repouso durante 10 minutos com o fone de ouvido desligado. Subsequentemente, os sujeitos tiveram 5 minutos para realização do teste aritmético mental seguido de 5 minutos de repouso pós-teste com o fone de ouvido desligado. No segundo protocolo, os sujeitos foram expostos à música clássica (Pachelbel: Canon in D, 64-83 dB) por 10 minutos antes da realização do teste aritmético mental. Foram avaliados os índices geométricos (RRtri, TINN, SD1, SD2 e razão SD1/SD2) da VFC durante 10 minutos antes do teste sem exposição à música, 10 minutos antes do teste com exposição à música, 5 minutos durante o teste e 5 minutos após o teste. Resultados: No protocolo sem música não houve alterações significantes nos índices analisados (p>0,05). No protocolo com música os índices RRtri (p:0,021), TINN (p:0,040) e SD2 (p:0,020) foram reduzidos após o estímulo auditivo musical clássico durante o teste e após o teste quando comparados ao repouso inicial. Conclusão: A exposição prévia ao estímulo auditivo musical utilizado intensificou a resposta autonômica cardíaca induzida pelo teste de sobrecarga mental.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.