Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES GESTACIONAIS NA ANEMIA FALCIFORME

Palavra-chaves: ANEMIA FALCIFORME, GRAVIDEZ DE ALTO RISCO, QUALIDADE DE VIDA Pôster (PO) Enfermagem Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

INTRODUÇÃO: A anemia falciforme é uma hemoglobinopatia decorrente de uma mutação responsável pela substituição do ácido glutâmico pela valina, resultando em uma hemoglobina com características físico-químicas alteradas, assim sendo, a anemia falciforme caracteriza-se por uma anemia hemolítica crônica grave, que ocorre em pessoas homozigotas para o gene falciforme. OBJETIVO: Descrever as complicações mais comuns na gestação da doença falciforme. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo do tipo revisão integrativa da literatura realizado em livros e bases de dados SciELO, utilizando os seguintes descritores: Anemia Falciforme, Gravidez de alto risco, Qualidade de vida, usamos como critérios de inclusão artigos publicados na língua portuguesa e publicados na íntegra. RESULTADOS: A gestação pode agravar a doença, com piora da anemia e aumento da frequência e gravidade das crises dolorosas e das infecções. Por outro lado, a doença falciforme pode influenciar desfavoravelmente a evolução da gestação. As gestantes com anemia falciforme estão sob maior risco de desenvolver parto prematuro, sendo que 30% a 50% evoluem para o parto antes de completar 36 semanas de gestação. A idade gestacional média na ocasião do parto é de 34 semanas nesses indivíduos. A causa mais comum de morbidade na gestação da doença falciforme são as crises dolorosas, além de outras complicações como infecções pré e pós-parto (especialmente a pielonefrite e as pneumonias), piora da anemia, restrição do crescimento fetal, parto prematuro, natimortalidade, abortamentos espontâneos, agravamento das lesões ósseas e da retinopatia, baixo peso ao nascimento e pré-eclâmpsia. As complicações ocorrem com maior frequência no terceiro trimestre da gestação, tanto nas pacientes SS quanto nas SC. Sempre que possível, os fatores precipitantes mais frequentes das crises álgicas devem ser afastados, como desidratação, exposição ao frio, exercícios físicos extenuantes e stress. CONCLUSÕES: Os resultados mostraram que apesar de ser uma doença que vem deste a antiguidade, ainda percebemos certa escassez sobre as informações da anemia falciforme na gestação, aumentando os riscos predisponentes ao surgimento de sintomas e outras patologias, havendo a necessidade de implantação de uma política mais eficaz para a gravidez de alto risco, buscando melhor qualidade de vida a mãe e o recém nascido, bem como, reduzindo os números de ocorrências existentes no período gestacional.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.