Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

QUANDO O ENVELHECIMENTO SUPERA A IDADE: UMA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PROMOVENDO SAÚDE E LAZER EM UMA COMUNIDADE DE CAMPINA GRANDE – PB

Palavra-chaves: IDOSOS, PLANTAS MEDICINAIS, EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Tema Livre (TL) Saúde Coletiva Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

Tanto o envelhecimento da população brasileira como as questões relacionadas aos idosos, fazem parte dos grandes desafios que devem ser enfrentados a partir da elaboração de espaços que priorizem as demandas desses atores sociais. Em se tratando de especial atenção nos idosos, às atividades de extensão universitária procuravam impregnar pensamentos, sonhos, intermediar as relações e a responsabilidade pela formação, transformação e transmissão do conhecimento. O objetivo do trabalho ora proposto se arrolou na possibilidade de investigar a partir de um grupo de extensão da comunidade Malvinas do município de Campina Grande – PB as nuances inerentes ao processo do envelhecimento e os fatores importantes na determinação do discurso do/com o idoso com relação à prática popular com plantas medicinais. Para tanto, partimos de uma perspectiva sócio-histórica, bem como uma leitura cultural do envelhecimento, embasados em uma pesquisa de cunho qualitativo, descritivo e exploratório. Além de que essa proposta tem como base a experiência de um grupo de extensão considerando a importância da comunicação e dinâmicas na interação social dos idosos em seu contexto social O grupo de extensão era composto por um publico fixo, contendo dos seus 10 participantes, 7 com idade superior a 60 anos, no encontro se discutia questões pertinentes as formas de consumo, cultivo, armazenamento, higiene, preparo e uso das plantas medicinais, e para que houvesse uma maior apreensão dos assuntos foram utilizados dinâmicas de interesse e muitas vezes do conhecimento dos idosos, além das atividades serem estimulantes e impulsionantes da necessidade e o desejo de comunicar algo a alguém, num ambiente permissivo e desafiador, os idosos se viam tranquilos como em um lazer nas horas em que nos encontrávamos. A extensão indica o interesse dos idosos em cultivar as suas próprias plantas medicinais, assim como o sentimento de querer dar continuidade a essa prática complementar de cuidado à saúde. Dessa forma, percebe-se que o uso de plantas medicinais assume grande valor na vida destas pessoas em vista de reflexões e observações sem perder a consciência do dinamismo do tempo, dos valores, contextos e mudanças sociais.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.