Artigo Anais II CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

ASSOCIAÇÃO ENTRE SÍNDROME METABÓLICA E NÍVEIS DE PROTEÍNA-C REATIVA EM IDOSOS

Palavra-chaves: SÍNDROME METABÓLICA, PROTEÍNA-C REATIVA, IDOSO Pôster (PO) AT 15: Envelhecimento e Interdisciplinaridade
"2018-11-21 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 50277
    "edicao_id" => 102
    "trabalho_id" => 223
    "inscrito_id" => 549
    "titulo" => "ASSOCIAÇÃO ENTRE SÍNDROME METABÓLICA E NÍVEIS DE PROTEÍNA-C REATIVA EM IDOSOS"
    "resumo" => "Objetivo: Estimar a associação entre a síndrome metabólica e os níveis de proteína-C reativa ultrassensível sérica (PCR-us) em idosos. Métodos: Pesquisa de caráter transversal, de base populacional e domiciliar, conduzido com 604 idosos (≥60 anos) participantes do estudo EpiFloripa Idoso em 2013, 2014 e 2015, no município de Florianópolis/SC. A presença de inflamação foi avaliada através da dosagem de proteína-C reativa ultrassensível sérica, classificada como nível inflamatório baixo (3mg/L). A síndrome metabólica foi caracterizada como a presença de três ou mais componentes: circunferência da cintura aumentada, glicemia de jejum aumentada, colesterol HDL baixo, hipertrigliceridemia e pressão arterial. Utilizou-se regressão logística multinomial (bruta e ajustada) para verificar a associação entre a variável independente e a PCR-us. Resultados: Foram analisados 546 idosos com idade média de 72,0 (±6,3) anos. Na análise bruta, a síndrome metabólica foi associada aos níveis inflamatórios intermediários e elevados de PCR-us. Na análise ajustada, os idosos com síndrome metabólica apresentaram mais chances de ter nível inflamatório intermediário e elevado, quando comparados aos seus pares. Conclusão: Os resultados mostram que idosos com síndrome metabólica apresentam maiores chances de ter níveis inflamatórios intermediários e elevados de PCR-us. Sabe-se que a presença de níveis aumentados de PCR-us são preditores de complicações cardiovasculares e, somados à síndrome metabólica, podem elevar ainda mais a chance de complicações nessa população."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT 15: Envelhecimento e Interdisciplinaridade"
    "palavra_chave" => "SÍNDROME METABÓLICA, PROTEÍNA-C REATIVA, IDOSO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV114_MD4_SA15_ID549_31102018174919.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:37"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:07:04"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "THAMARA HUBLER FIGUEIRÓ"
    "autor_nome_curto" => "THAMARA"
    "autor_email" => "thamara.hf@gmail.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais II CNEH"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2018"
    "edicao_logo" => "5e49f6503c6b5_16022020231128.png"
    "edicao_capa" => "5f183e545df20_22072020102540.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-11-21 23:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 50277
    "edicao_id" => 102
    "trabalho_id" => 223
    "inscrito_id" => 549
    "titulo" => "ASSOCIAÇÃO ENTRE SÍNDROME METABÓLICA E NÍVEIS DE PROTEÍNA-C REATIVA EM IDOSOS"
    "resumo" => "Objetivo: Estimar a associação entre a síndrome metabólica e os níveis de proteína-C reativa ultrassensível sérica (PCR-us) em idosos. Métodos: Pesquisa de caráter transversal, de base populacional e domiciliar, conduzido com 604 idosos (≥60 anos) participantes do estudo EpiFloripa Idoso em 2013, 2014 e 2015, no município de Florianópolis/SC. A presença de inflamação foi avaliada através da dosagem de proteína-C reativa ultrassensível sérica, classificada como nível inflamatório baixo (3mg/L). A síndrome metabólica foi caracterizada como a presença de três ou mais componentes: circunferência da cintura aumentada, glicemia de jejum aumentada, colesterol HDL baixo, hipertrigliceridemia e pressão arterial. Utilizou-se regressão logística multinomial (bruta e ajustada) para verificar a associação entre a variável independente e a PCR-us. Resultados: Foram analisados 546 idosos com idade média de 72,0 (±6,3) anos. Na análise bruta, a síndrome metabólica foi associada aos níveis inflamatórios intermediários e elevados de PCR-us. Na análise ajustada, os idosos com síndrome metabólica apresentaram mais chances de ter nível inflamatório intermediário e elevado, quando comparados aos seus pares. Conclusão: Os resultados mostram que idosos com síndrome metabólica apresentam maiores chances de ter níveis inflamatórios intermediários e elevados de PCR-us. Sabe-se que a presença de níveis aumentados de PCR-us são preditores de complicações cardiovasculares e, somados à síndrome metabólica, podem elevar ainda mais a chance de complicações nessa população."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT 15: Envelhecimento e Interdisciplinaridade"
    "palavra_chave" => "SÍNDROME METABÓLICA, PROTEÍNA-C REATIVA, IDOSO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV114_MD4_SA15_ID549_31102018174919.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:37"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:07:04"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "THAMARA HUBLER FIGUEIRÓ"
    "autor_nome_curto" => "THAMARA"
    "autor_email" => "thamara.hf@gmail.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais II CNEH"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2018"
    "edicao_logo" => "5e49f6503c6b5_16022020231128.png"
    "edicao_capa" => "5f183e545df20_22072020102540.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-11-21 23:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 21 de novembro de 2018

Resumo

Objetivo: Estimar a associação entre a síndrome metabólica e os níveis de proteína-C reativa ultrassensível sérica (PCR-us) em idosos. Métodos: Pesquisa de caráter transversal, de base populacional e domiciliar, conduzido com 604 idosos (≥60 anos) participantes do estudo EpiFloripa Idoso em 2013, 2014 e 2015, no município de Florianópolis/SC. A presença de inflamação foi avaliada através da dosagem de proteína-C reativa ultrassensível sérica, classificada como nível inflamatório baixo (3mg/L). A síndrome metabólica foi caracterizada como a presença de três ou mais componentes: circunferência da cintura aumentada, glicemia de jejum aumentada, colesterol HDL baixo, hipertrigliceridemia e pressão arterial. Utilizou-se regressão logística multinomial (bruta e ajustada) para verificar a associação entre a variável independente e a PCR-us. Resultados: Foram analisados 546 idosos com idade média de 72,0 (±6,3) anos. Na análise bruta, a síndrome metabólica foi associada aos níveis inflamatórios intermediários e elevados de PCR-us. Na análise ajustada, os idosos com síndrome metabólica apresentaram mais chances de ter nível inflamatório intermediário e elevado, quando comparados aos seus pares. Conclusão: Os resultados mostram que idosos com síndrome metabólica apresentam maiores chances de ter níveis inflamatórios intermediários e elevados de PCR-us. Sabe-se que a presença de níveis aumentados de PCR-us são preditores de complicações cardiovasculares e, somados à síndrome metabólica, podem elevar ainda mais a chance de complicações nessa população.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.