Artigo Anais XIII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

DO ECLIPSE AO ALVORECER LGBT NO ÍNTERIM EDUCACIONAL BRASILEIRO: ITINERÁRIOS EMANCIPATÓRIOS

Palavra-chaves: GÊNERO, SEXUALIDADE, EDUCAÇÃO BRASILEIRA, LGBT Comunicação Oral (CO) GT 02 – Gênero, Sexualidades e Educação
"2018-07-13 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 42113
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 119
    "inscrito_id" => 236
    "titulo" => "DO ECLIPSE AO ALVORECER LGBT NO ÍNTERIM EDUCACIONAL BRASILEIRO: ITINERÁRIOS EMANCIPATÓRIOS"
    "resumo" => "No seio de uma “educação heteronormativa”, pela lógica da abjeção, valida-se um verdadeiro cerceamento na construção das identidades sexuais e de gênero, inclusive das subjetividades, no espaço educacional escolar e acadêmico. Este artigo apresenta, pois, como objetivo central deslindar itinerários emancipatórios para uma política nacional de Educação consoante com os direitos do segmento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT). É imprescindível na conjuntura nacional hodierna o resgate do gênero humano “para si” por parte, em especial, dessa população. Isto significa transladar de um eclipse ou não reconhecimento dos direitos desse público para o raiar ou a visibilidade dos mesmos. Utilizou-se, nesse sentido, a pesquisa de abordagem qualitativa dos tipos descritiva e explicativa, averiguando-se que o processo de desumanização, enraizado em função da ordem do capital, reflete atualmente o não nutrimento de uma perspectiva emancipatória LGBT na educação brasileira. Isto porque os pilares de tal ordenamento social não aquiescem uma transformação da realidade objetiva e concreta, pautada em princípios e valores éticos de respeito às pluralidades. Para mais, esta investigação encontra-se decomposta em três seções que circundam o objetivo proposto. Assevera-se, portanto, em cada uma delas, o quanto não cabe o binarismo dos gêneros e das sexualidades, em decorrência da debilidade de seus cânones, na educação brasileira. Sugere-se como conditio sine qua non uma política educacional em prol de um devir ou vir-a-ser social, propondo-se repensar sobre os valores heteronormativos nela envoltos, estabelecendo-se caminhos emancipatórios."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 02 – Gênero, Sexualidades e Educação"
    "palavra_chave" => "GÊNERO, SEXUALIDADE, EDUCAÇÃO BRASILEIRA, LGBT"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA3_ID236_07052018185749.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "POLIANA MACHADO GOMES DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "POLIANA"
    "autor_email" => "polly.mach@hotmail.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 42113
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 119
    "inscrito_id" => 236
    "titulo" => "DO ECLIPSE AO ALVORECER LGBT NO ÍNTERIM EDUCACIONAL BRASILEIRO: ITINERÁRIOS EMANCIPATÓRIOS"
    "resumo" => "No seio de uma “educação heteronormativa”, pela lógica da abjeção, valida-se um verdadeiro cerceamento na construção das identidades sexuais e de gênero, inclusive das subjetividades, no espaço educacional escolar e acadêmico. Este artigo apresenta, pois, como objetivo central deslindar itinerários emancipatórios para uma política nacional de Educação consoante com os direitos do segmento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT). É imprescindível na conjuntura nacional hodierna o resgate do gênero humano “para si” por parte, em especial, dessa população. Isto significa transladar de um eclipse ou não reconhecimento dos direitos desse público para o raiar ou a visibilidade dos mesmos. Utilizou-se, nesse sentido, a pesquisa de abordagem qualitativa dos tipos descritiva e explicativa, averiguando-se que o processo de desumanização, enraizado em função da ordem do capital, reflete atualmente o não nutrimento de uma perspectiva emancipatória LGBT na educação brasileira. Isto porque os pilares de tal ordenamento social não aquiescem uma transformação da realidade objetiva e concreta, pautada em princípios e valores éticos de respeito às pluralidades. Para mais, esta investigação encontra-se decomposta em três seções que circundam o objetivo proposto. Assevera-se, portanto, em cada uma delas, o quanto não cabe o binarismo dos gêneros e das sexualidades, em decorrência da debilidade de seus cânones, na educação brasileira. Sugere-se como conditio sine qua non uma política educacional em prol de um devir ou vir-a-ser social, propondo-se repensar sobre os valores heteronormativos nela envoltos, estabelecendo-se caminhos emancipatórios."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 02 – Gênero, Sexualidades e Educação"
    "palavra_chave" => "GÊNERO, SEXUALIDADE, EDUCAÇÃO BRASILEIRA, LGBT"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA3_ID236_07052018185749.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "POLIANA MACHADO GOMES DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "POLIANA"
    "autor_email" => "polly.mach@hotmail.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 13 de julho de 2018

Resumo

No seio de uma “educação heteronormativa”, pela lógica da abjeção, valida-se um verdadeiro cerceamento na construção das identidades sexuais e de gênero, inclusive das subjetividades, no espaço educacional escolar e acadêmico. Este artigo apresenta, pois, como objetivo central deslindar itinerários emancipatórios para uma política nacional de Educação consoante com os direitos do segmento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT). É imprescindível na conjuntura nacional hodierna o resgate do gênero humano “para si” por parte, em especial, dessa população. Isto significa transladar de um eclipse ou não reconhecimento dos direitos desse público para o raiar ou a visibilidade dos mesmos. Utilizou-se, nesse sentido, a pesquisa de abordagem qualitativa dos tipos descritiva e explicativa, averiguando-se que o processo de desumanização, enraizado em função da ordem do capital, reflete atualmente o não nutrimento de uma perspectiva emancipatória LGBT na educação brasileira. Isto porque os pilares de tal ordenamento social não aquiescem uma transformação da realidade objetiva e concreta, pautada em princípios e valores éticos de respeito às pluralidades. Para mais, esta investigação encontra-se decomposta em três seções que circundam o objetivo proposto. Assevera-se, portanto, em cada uma delas, o quanto não cabe o binarismo dos gêneros e das sexualidades, em decorrência da debilidade de seus cânones, na educação brasileira. Sugere-se como conditio sine qua non uma política educacional em prol de um devir ou vir-a-ser social, propondo-se repensar sobre os valores heteronormativos nela envoltos, estabelecendo-se caminhos emancipatórios.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.