Artigo Anais XIII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

A CRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO COMO UMA EXPRESSÃO DE SUBJETIVIDADE DO SOFRIMENTO FEMININO

Palavra-chaves: ABORTO, SAÚDE DA MULHER, DIREITO DE ESCOLHA Comunicação Oral (CO) GT 10 – Mulheres, feminismos, políticas do corpo
"2018-07-13 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 42052
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 143
    "inscrito_id" => 137
    "titulo" => "A CRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO COMO UMA EXPRESSÃO DE SUBJETIVIDADE DO SOFRIMENTO FEMININO"
    "resumo" => "A partir de um pressuposto sociocultural, compreende-se que o papel da mulher na sociedade é tornar-se mãe, sendo assim inconcebível a ideia de que ocorra um aborto induzido, tendo em vista que é considerado crime no Brasil. Entretanto, a criminalização do aborto no país não impede que o mesmo ocorra e nem reduz as desigualdades sociais, inclusive aumenta o risco de infecções e outras condições de saúde que trazem prejuízos no contexto biopsicossocial da mulher, que pode optar por realizá-lo de forma clandestina. Considerando as crenças sociais, bem como os valores atribuídos moralmente, levanta-se o seguinte questionamento: como a sociedade influencia na subjetividade da mulher perante seu poder de decisão relacionado ao aborto? A partir dessa questão, este trabalho teve como objetivo compreender a influência da sociedade no tocante ao direito de escolha da mulher perante sua gestação, bem como identificar sua repercussão no que tange a saúde física e psicológica do público feminino. Trata-se de um levantamento bibliográfico realizado a partir do banco de dados Periódicos Capes, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações do IBICT e do Google acadêmico. A partir dos artigos encontrados, foi possível observar que os valores morais impostos socialmente, bem como a criminalização do aborto induzido no Brasil, além de não serem uma barreira para sua realização, tornam-se um fator desencadeador para outras condições de saúde, que repercutem negativamente para a mulher. Portanto, conclui-se que a sociedade influencia no poder de escolha da mulher, tendo em vista os valores morais e religiosos pré-estabelecidos."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 10 – Mulheres, feminismos, políticas do corpo"
    "palavra_chave" => "ABORTO, SAÚDE DA MULHER, DIREITO DE ESCOLHA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA11_ID137_09052018212725.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "LANNA JENNIFER ELIAS PEREIRA"
    "autor_nome_curto" => "LANNA"
    "autor_email" => "lanna.psicologia@outlook."
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 42052
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 143
    "inscrito_id" => 137
    "titulo" => "A CRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO COMO UMA EXPRESSÃO DE SUBJETIVIDADE DO SOFRIMENTO FEMININO"
    "resumo" => "A partir de um pressuposto sociocultural, compreende-se que o papel da mulher na sociedade é tornar-se mãe, sendo assim inconcebível a ideia de que ocorra um aborto induzido, tendo em vista que é considerado crime no Brasil. Entretanto, a criminalização do aborto no país não impede que o mesmo ocorra e nem reduz as desigualdades sociais, inclusive aumenta o risco de infecções e outras condições de saúde que trazem prejuízos no contexto biopsicossocial da mulher, que pode optar por realizá-lo de forma clandestina. Considerando as crenças sociais, bem como os valores atribuídos moralmente, levanta-se o seguinte questionamento: como a sociedade influencia na subjetividade da mulher perante seu poder de decisão relacionado ao aborto? A partir dessa questão, este trabalho teve como objetivo compreender a influência da sociedade no tocante ao direito de escolha da mulher perante sua gestação, bem como identificar sua repercussão no que tange a saúde física e psicológica do público feminino. Trata-se de um levantamento bibliográfico realizado a partir do banco de dados Periódicos Capes, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações do IBICT e do Google acadêmico. A partir dos artigos encontrados, foi possível observar que os valores morais impostos socialmente, bem como a criminalização do aborto induzido no Brasil, além de não serem uma barreira para sua realização, tornam-se um fator desencadeador para outras condições de saúde, que repercutem negativamente para a mulher. Portanto, conclui-se que a sociedade influencia no poder de escolha da mulher, tendo em vista os valores morais e religiosos pré-estabelecidos."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 10 – Mulheres, feminismos, políticas do corpo"
    "palavra_chave" => "ABORTO, SAÚDE DA MULHER, DIREITO DE ESCOLHA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA11_ID137_09052018212725.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "LANNA JENNIFER ELIAS PEREIRA"
    "autor_nome_curto" => "LANNA"
    "autor_email" => "lanna.psicologia@outlook."
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 13 de julho de 2018

Resumo

A partir de um pressuposto sociocultural, compreende-se que o papel da mulher na sociedade é tornar-se mãe, sendo assim inconcebível a ideia de que ocorra um aborto induzido, tendo em vista que é considerado crime no Brasil. Entretanto, a criminalização do aborto no país não impede que o mesmo ocorra e nem reduz as desigualdades sociais, inclusive aumenta o risco de infecções e outras condições de saúde que trazem prejuízos no contexto biopsicossocial da mulher, que pode optar por realizá-lo de forma clandestina. Considerando as crenças sociais, bem como os valores atribuídos moralmente, levanta-se o seguinte questionamento: como a sociedade influencia na subjetividade da mulher perante seu poder de decisão relacionado ao aborto? A partir dessa questão, este trabalho teve como objetivo compreender a influência da sociedade no tocante ao direito de escolha da mulher perante sua gestação, bem como identificar sua repercussão no que tange a saúde física e psicológica do público feminino. Trata-se de um levantamento bibliográfico realizado a partir do banco de dados Periódicos Capes, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações do IBICT e do Google acadêmico. A partir dos artigos encontrados, foi possível observar que os valores morais impostos socialmente, bem como a criminalização do aborto induzido no Brasil, além de não serem uma barreira para sua realização, tornam-se um fator desencadeador para outras condições de saúde, que repercutem negativamente para a mulher. Portanto, conclui-se que a sociedade influencia no poder de escolha da mulher, tendo em vista os valores morais e religiosos pré-estabelecidos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.