Artigo Anais III CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO IMUNE: RELATO DE CASO

Palavra-chaves: ANEMIA HEMOLÍTICA AUTOIMUNE, AUTOANTICORPOS, CORTICOTERAPIA Pôster (PO) AT-01: Medicina
"2018-06-13 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 40721
    "edicao_id" => 88
    "trabalho_id" => 944
    "inscrito_id" => 2736
    "titulo" => "ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO IMUNE: RELATO DE CASO"
    "resumo" => "A anemia hemolítica autoimune (AHAI) é um distúrbio hematológico caracterizado pela destruição de hemácias por autoanticorpos. A AHAI pode ser classificada de acordo com sua etiologia, primária ou secundária, sendo a forma primária mais comum ou de acordo com a temperatura de reatividade dos anticorpos aos eritrócitos: autoanticorpos quentes (temperatura 37°C) ou frios (temperatura entre 4-18°C). Trata-se de uma entidade rara, com baixa prevalência e manifestações clínicas bastante variáveis, dependentes da classificação da AHAI. Os sintomas mais comuns são dispneia, fadiga, palpitações e cefaleia, com o curso da doença variável. Em adultos, geralmente é crônica com exacerbações e remissões ao longo do tempo. O diagnóstico é dado pelos sintomas de anemia nos seus demais níveis junto a exames laboratoriais com provas de hemólise, sendo importante a identificação do anticorpo ligado à superfície das hemácias para dar seguimento ao tipo de tratamento adequado a sua classificação. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 42 anos diagnosticado com anemia hemolítica autoimune de etiologia ainda não esclarecida, porém com resposta clínica e laboratorial importante ao corticoide. CONCLUSÃO: A anemia hemolítica autoimune pode ser primeira manifestação de doenças sistêmicas assim como ser causada por uso crônico de drogas, a identificação da etiologia é fator primordial para tratamento adequado e prevenção de remissão de doença."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT-01: Medicina"
    "palavra_chave" => "ANEMIA HEMOLÍTICA AUTOIMUNE, AUTOANTICORPOS, CORTICOTERAPIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV108_MD4_SA1_ID2736_21052018225548.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:25"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:35:31"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JÉSSICA GOMES VIRGÍNIO CABRAL"
    "autor_nome_curto" => "JÉSSICA"
    "autor_email" => "jessicagvcabral@yahoo.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais III CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "III Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2018"
    "edicao_logo" => "5e4a0164e65af_16022020235844.png"
    "edicao_capa" => "5f1844cf3c5b5_22072020105319.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-06-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 40721
    "edicao_id" => 88
    "trabalho_id" => 944
    "inscrito_id" => 2736
    "titulo" => "ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO IMUNE: RELATO DE CASO"
    "resumo" => "A anemia hemolítica autoimune (AHAI) é um distúrbio hematológico caracterizado pela destruição de hemácias por autoanticorpos. A AHAI pode ser classificada de acordo com sua etiologia, primária ou secundária, sendo a forma primária mais comum ou de acordo com a temperatura de reatividade dos anticorpos aos eritrócitos: autoanticorpos quentes (temperatura 37°C) ou frios (temperatura entre 4-18°C). Trata-se de uma entidade rara, com baixa prevalência e manifestações clínicas bastante variáveis, dependentes da classificação da AHAI. Os sintomas mais comuns são dispneia, fadiga, palpitações e cefaleia, com o curso da doença variável. Em adultos, geralmente é crônica com exacerbações e remissões ao longo do tempo. O diagnóstico é dado pelos sintomas de anemia nos seus demais níveis junto a exames laboratoriais com provas de hemólise, sendo importante a identificação do anticorpo ligado à superfície das hemácias para dar seguimento ao tipo de tratamento adequado a sua classificação. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 42 anos diagnosticado com anemia hemolítica autoimune de etiologia ainda não esclarecida, porém com resposta clínica e laboratorial importante ao corticoide. CONCLUSÃO: A anemia hemolítica autoimune pode ser primeira manifestação de doenças sistêmicas assim como ser causada por uso crônico de drogas, a identificação da etiologia é fator primordial para tratamento adequado e prevenção de remissão de doença."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT-01: Medicina"
    "palavra_chave" => "ANEMIA HEMOLÍTICA AUTOIMUNE, AUTOANTICORPOS, CORTICOTERAPIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV108_MD4_SA1_ID2736_21052018225548.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:25"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:35:31"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JÉSSICA GOMES VIRGÍNIO CABRAL"
    "autor_nome_curto" => "JÉSSICA"
    "autor_email" => "jessicagvcabral@yahoo.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais III CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "III Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2018"
    "edicao_logo" => "5e4a0164e65af_16022020235844.png"
    "edicao_capa" => "5f1844cf3c5b5_22072020105319.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-06-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 13 de junho de 2018

Resumo

A anemia hemolítica autoimune (AHAI) é um distúrbio hematológico caracterizado pela destruição de hemácias por autoanticorpos. A AHAI pode ser classificada de acordo com sua etiologia, primária ou secundária, sendo a forma primária mais comum ou de acordo com a temperatura de reatividade dos anticorpos aos eritrócitos: autoanticorpos quentes (temperatura 37°C) ou frios (temperatura entre 4-18°C). Trata-se de uma entidade rara, com baixa prevalência e manifestações clínicas bastante variáveis, dependentes da classificação da AHAI. Os sintomas mais comuns são dispneia, fadiga, palpitações e cefaleia, com o curso da doença variável. Em adultos, geralmente é crônica com exacerbações e remissões ao longo do tempo. O diagnóstico é dado pelos sintomas de anemia nos seus demais níveis junto a exames laboratoriais com provas de hemólise, sendo importante a identificação do anticorpo ligado à superfície das hemácias para dar seguimento ao tipo de tratamento adequado a sua classificação. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 42 anos diagnosticado com anemia hemolítica autoimune de etiologia ainda não esclarecida, porém com resposta clínica e laboratorial importante ao corticoide. CONCLUSÃO: A anemia hemolítica autoimune pode ser primeira manifestação de doenças sistêmicas assim como ser causada por uso crônico de drogas, a identificação da etiologia é fator primordial para tratamento adequado e prevenção de remissão de doença.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.