Artigo Anais III CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

Visualizações: 298
(83) 3322.3222 CONTATO@CONBRACIS.COM.BR WWW.CONBRACIS.COM.BR AVALIAÇÃO DAS POTENCIALIDADES MEDICINAIS DA ANADENANTHERA COLUNBRINA (ANGICO)

Palavra-chaves: ANADENANTHERA COLUBRINA, , , ANGICO., ATIVIDADE BIOLÓGICA. Pôster (PO) AT-03: Farmácia Publicado em 13 de junho de 2018

Resumo

Vivemos num país rico em biodiversidade para plantas medicinais, que por sinal, são poucas as que são exploradas na intenção de se conhecer sobre sua importância na medicina popular. Neste sentido, mediante a Anadenanthera colubrina apresentar uma grande versatilidade de uso pela população, a mesma foi selecionada para ser investigada conforme as suas potencialidades. Advinda da espécie botânica, a Anadenanthera colubrina é típica da caatinga, cuja qual pode ser encontrada na região nordeste do Brasil. Muitos a conhece como angico, angico cambuí, jurema preta, monjoleiro, entre outros nomes. Seu potencial terapêutico é reconhecido e empregado na medicina popular, devido ela ser uma árvore autóctone, onde a sua casca é muito utilizada no tratamento de enfermidades como: complicações no fígado, gonorreia e leucorreia. No entanto, apesar de ser uma planta medicinal, se utilizada sem orientações médicas, esta poderá causar danos irreversíveis a saúde. Assim, se for preciso fazer uso da mesma é viável utilizá-la com cautela. De antemão, o presente estudo tem como objetivo realizar uma pesquisa de cunho bibliográfico que visa conhecer a importância da Anadenanthera colubrina mediante seu uso terapéutico. Para tanto, alguns artigos foram selecionados, a partir dos bancos de dados das plataformas como Google acadêmico, SCIELO, MEDLINE e LILACS, onde utilizamos os seguintes descritores: Anadenanthera colubrina, angico e medicina tradicional. Contudo, conclui-se que a Anadenanthera colubrina é uma planta medicinal da caatinga que deve ser considerada e inclusa nos registros de plantas medicinais devido a sua grande versatilidade e potencialidade comprovada científicamente

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.