Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

JOGOS E BRINCADEIRAS: A INFLUÊNCIA DA CULTURA AFRICANA NA ESCOLA ATRAVÉS DE OFICINA

Palavra-chaves: CULTURA AFRICANA, JOGOS E BRINCADEIRAS, PRÁTICA ESCOLAR Comunicação Oral (CO) GT 06 - Educação e Relações Étnico-Raciais Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Este estudo surgiu como um desejo de resgatar indicativos do legado da cultura africana, em especial os seus jogos e brincadeiras que configuram na cultura brasileira. A lei 10.693/2003 surgiu sete anos após a promulgação da Lei 9. 394/96 que instituiu as Diretrizes e Bases Nacionais da educação (LDB), tendo como principal intuito a obrigatoriedade do ensino de História Afro-brasileira nas escolas. Com os objetivos de trazer uma nova maneira de se trabalhar essa disciplina, de forma lúdica e atrativa, ofertar novas possibilidades didáticas aos docentes e promover a interação entre as crianças participantes foram feitos estudos e propostas oficinas de jogos e brincadeiras africanas que reuniram atividades de percepção motora, raciocínio lógico e pro atividade em uma escola pública municipal de São Luís do Maranhão situada nas adjacência da Universidade Estadual do Maranhão e uma escola comunitária de um dos bairros periféricos de São Luís. Foram selecionadas três turmas de quarto ano do Ensino Fundamental, após diversos encontros entre grupo para realizar um levantamento bibliográfico sobre os conceitos do brincar e jogar e suas relações com a cultura africana, partimos para uma observação participante na escola em que em reunião com direção, coordenação e docentes montamos um cronograma de atividades obedecendo o já estabelecido pela escola, em seguida, em visita às turmas pudemos estar mais perto da realidade e rotina das salas. Assim, apresentamo-nos às crianças, dialogamos e justificamos o motivo de nossa estada na escola nesse período. Na semana seguinte, retornamos para a aplicação do projeto sendo viabilizado para nós o primeiro horário de aula, 07 h: 30 min ás 09 h: 30 min, nos dias 24,25 e 26 de Outubro de 2016. Ao darmos início às oficinas em cada turma, primeiramente, explanamos um pouco do contexto do que é o jogar e o brincar, sua importância e como as crianças africanas brincavam em tempos passados contando com a participação dos próprios alunos nas construções dos conceitos iniciais, além de, tratar na roda de discussão o seu dia a dia fazendo um paralelo entre o seu contexto e o contexto da criança africana no passado. Na divisão de jogos e brincadeiras que foram trabalhados, priorizamos inicialmente jogos de raciocínio e concentração como o shishima e a mancala; com os alunos divididos em duplas apresentamos a origem da mancala e do shishima, explicando as regras para todos, Em seguida, dividimos as salas em círculos para apresentarmos as brincadeiras propostas que foram: terra- mar e fogo na montanha – ambas trabalham noções de espaço, lateralidade, atenção e raciocínio; Meu querido bebê, a qual propõe uma noção de percepção corporal; Mbubi Mbubi dá ênfase ao exercício dos cinco sentidos e, por fim, escravos de Jó, que vem trabalhando os movimentos corporais e coordenação motora fina. O mesmo trabalho foi realizado na escola comunitária anteriormente citada, alcançando-se 100% da participação de professores e alunos da educação infantil e ensino fundamental. O trabalho continua com outros projetos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Comentários

Por que meu comentário não aparece?
  • João Nazareno Ferreira

    Muito interessante e de grande relevância para nossos jovens, afim de restaurar a história que nos negaram.

    18/03/2021 16:57:27

Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.