Artigo Anais III CIEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-0854

ANÁLISE SOBRE A UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR PACIENTES IDOSOS

Palavra-chaves: AUTOMEDICAÇÃO, USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS, IDOSOS Pôster (PO) Atenção integral à saúde: promoção, prevenção, tratamento e reabilitação do idoso
"2013-06-15 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 2528
    "edicao_id" => 10
    "trabalho_id" => 1538
    "inscrito_id" => 3317
    "titulo" => "ANÁLISE SOBRE A UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR PACIENTES IDOSOS"
    "resumo" => "Introdução: Por conviver com problemas crônicos de saúde, os idosos tendem a ser grandes consumidores de medicamentos, que embora benéficos em muitas ocasiões, quando mal utilizados podem desencadear complicações sérias para a sua saúde. Para o paciente idoso, os riscos envolvidos no consumo de medicamentos são maiores, se comparados aos do restante da população, devido a particularidades farmacodinâmicas e farmacocinéticas, decorrentes do processo de envelhecimento, que os tornam mais vulneráveis a interações medicamentosas e efeitos colaterais. Alguns fatores que contribuem para a elevação do risco na utilização de medicamentos são o descumprimento do regime terapêutico, a automedicação e o uso indevido dos medicamentos. Dessa forma, vê-se a importância desse estudo, pois através dessa análise da utilização de medicamentos por idosos, é possível o delineamento de estratégias para reverter casos de não adesão terapêutica, automedicação e utilização inadequada da farmacoterapia. Objetivo: Realizar uma análise sobre a utilização de medicamentos em idosos, bem como identificar fatores associados ao mau uso de fármacos. Metodologia: Foi realizada uma revisão sistemática da literatura, através da pesquisa de periódicos publicados no período de 2000 a 2012, utilizando como descritores para a pesquisa: utilização de medicamentos por idosos, complicações no mau uso de fármacos por idosos. Onde foram utilizadas as bases de dados eletrônicas como Scielo, Capes e Lillacs para o desenvolvimento dessa pesquisa bibliográfica. Resultados: A partir da pesquisa bibliográfica na literatura foi possível destacar que o uso de medicamentos prescritos tende a ser maior entre idosos do sexo feminino, com idade mais avançada, bom nível socioeconômico, doenças crônicas e visitas regulares aos serviços de saúde. Em relação aos medicamentos não prescritos, observou-se que a utilização é maior por idosos mais desfavorecidos do ponto de vista socioeconômico. Os medicamentos cardiovasculares representam a classe terapêutica mais comumente usada, o que é explicado pela alta prevalência de doenças cardiovasculares entre a população idosa. Idosos apresentam frequentemente quadros de insônia, ansiedade e estados confusionais, resultando na prescrição de fármacos com ação no sistema nervoso central. Estudos mostram que entre as classes mais usadas sem prescrição, encontram-se os laxantes, relaxantes musculares, analgésicos, antiácidos, anti-histamínicos sistêmicos e vitaminas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que mais de 50% dos medicamentos são prescritos ou dispensados de forma inadequada, assim como 50% dos pacientes tomam medicamentos de maneira incorreta o que acarreta alto índice de morbidade e mortalidade. Estima-se que 30% das admissões hospitalares de pacientes idosos são relacionadas a problemas com medicamentos, incluindo efeitos tóxicos advindos do seu uso inadequado. Os estudos analisados reforçam a ideia de que a intervenção do farmacêutico aumenta a adesão dos pacientes idosos a farmacoterapia, reduzindo a presença de interações medicamentosas. Conclusão: Observa-se que o uso de medicamentos em idosos promove efeitos benéficos e indesejáveis. Para que ocorra o uso racional de medicamentos entre idosos, é necessária a presença do farmacêutico que oriente os idosos sobre a utilização da farmacoterapia correta, evitando os efeitos decorrentes do mau uso de medicamentos."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Atenção integral à saúde: promoção, prevenção, tratamento e reabilitação do idoso"
    "palavra_chave" => "AUTOMEDICAÇÃO, USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS, IDOSOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Poster_idinscrito_3317_feeca88409b4ef29a945f854d6e065dc.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:48"
    "updated_at" => "2020-06-10 21:01:02"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GEOCLECIA FERREIRA CRUZ"
    "autor_nome_curto" => "GEOCLECIA FERREIRA"
    "autor_email" => "geoclecia@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iii-cieh"
    "edicao_nome" => "Anais III CIEH"
    "edicao_evento" => "III Congresso Internacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/cieh/2013"
    "edicao_logo" => "5e49e22597c9e_16022020214525.png"
    "edicao_capa" => "5f182b75a1cfe_22072020090509.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-06-15 00:00:00"
    "publicacao_id" => 10
    "publicacao_nome" => "Anais do Congresso Internacional de Envelhecimento Humano (CIEH)"
    "publicacao_codigo" => "2318-0854"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 2528
    "edicao_id" => 10
    "trabalho_id" => 1538
    "inscrito_id" => 3317
    "titulo" => "ANÁLISE SOBRE A UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR PACIENTES IDOSOS"
    "resumo" => "Introdução: Por conviver com problemas crônicos de saúde, os idosos tendem a ser grandes consumidores de medicamentos, que embora benéficos em muitas ocasiões, quando mal utilizados podem desencadear complicações sérias para a sua saúde. Para o paciente idoso, os riscos envolvidos no consumo de medicamentos são maiores, se comparados aos do restante da população, devido a particularidades farmacodinâmicas e farmacocinéticas, decorrentes do processo de envelhecimento, que os tornam mais vulneráveis a interações medicamentosas e efeitos colaterais. Alguns fatores que contribuem para a elevação do risco na utilização de medicamentos são o descumprimento do regime terapêutico, a automedicação e o uso indevido dos medicamentos. Dessa forma, vê-se a importância desse estudo, pois através dessa análise da utilização de medicamentos por idosos, é possível o delineamento de estratégias para reverter casos de não adesão terapêutica, automedicação e utilização inadequada da farmacoterapia. Objetivo: Realizar uma análise sobre a utilização de medicamentos em idosos, bem como identificar fatores associados ao mau uso de fármacos. Metodologia: Foi realizada uma revisão sistemática da literatura, através da pesquisa de periódicos publicados no período de 2000 a 2012, utilizando como descritores para a pesquisa: utilização de medicamentos por idosos, complicações no mau uso de fármacos por idosos. Onde foram utilizadas as bases de dados eletrônicas como Scielo, Capes e Lillacs para o desenvolvimento dessa pesquisa bibliográfica. Resultados: A partir da pesquisa bibliográfica na literatura foi possível destacar que o uso de medicamentos prescritos tende a ser maior entre idosos do sexo feminino, com idade mais avançada, bom nível socioeconômico, doenças crônicas e visitas regulares aos serviços de saúde. Em relação aos medicamentos não prescritos, observou-se que a utilização é maior por idosos mais desfavorecidos do ponto de vista socioeconômico. Os medicamentos cardiovasculares representam a classe terapêutica mais comumente usada, o que é explicado pela alta prevalência de doenças cardiovasculares entre a população idosa. Idosos apresentam frequentemente quadros de insônia, ansiedade e estados confusionais, resultando na prescrição de fármacos com ação no sistema nervoso central. Estudos mostram que entre as classes mais usadas sem prescrição, encontram-se os laxantes, relaxantes musculares, analgésicos, antiácidos, anti-histamínicos sistêmicos e vitaminas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que mais de 50% dos medicamentos são prescritos ou dispensados de forma inadequada, assim como 50% dos pacientes tomam medicamentos de maneira incorreta o que acarreta alto índice de morbidade e mortalidade. Estima-se que 30% das admissões hospitalares de pacientes idosos são relacionadas a problemas com medicamentos, incluindo efeitos tóxicos advindos do seu uso inadequado. Os estudos analisados reforçam a ideia de que a intervenção do farmacêutico aumenta a adesão dos pacientes idosos a farmacoterapia, reduzindo a presença de interações medicamentosas. Conclusão: Observa-se que o uso de medicamentos em idosos promove efeitos benéficos e indesejáveis. Para que ocorra o uso racional de medicamentos entre idosos, é necessária a presença do farmacêutico que oriente os idosos sobre a utilização da farmacoterapia correta, evitando os efeitos decorrentes do mau uso de medicamentos."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Atenção integral à saúde: promoção, prevenção, tratamento e reabilitação do idoso"
    "palavra_chave" => "AUTOMEDICAÇÃO, USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS, IDOSOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Poster_idinscrito_3317_feeca88409b4ef29a945f854d6e065dc.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:48"
    "updated_at" => "2020-06-10 21:01:02"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GEOCLECIA FERREIRA CRUZ"
    "autor_nome_curto" => "GEOCLECIA FERREIRA"
    "autor_email" => "geoclecia@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iii-cieh"
    "edicao_nome" => "Anais III CIEH"
    "edicao_evento" => "III Congresso Internacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/cieh/2013"
    "edicao_logo" => "5e49e22597c9e_16022020214525.png"
    "edicao_capa" => "5f182b75a1cfe_22072020090509.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-06-15 00:00:00"
    "publicacao_id" => 10
    "publicacao_nome" => "Anais do Congresso Internacional de Envelhecimento Humano (CIEH)"
    "publicacao_codigo" => "2318-0854"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 15 de junho de 2013

Resumo

Introdução: Por conviver com problemas crônicos de saúde, os idosos tendem a ser grandes consumidores de medicamentos, que embora benéficos em muitas ocasiões, quando mal utilizados podem desencadear complicações sérias para a sua saúde. Para o paciente idoso, os riscos envolvidos no consumo de medicamentos são maiores, se comparados aos do restante da população, devido a particularidades farmacodinâmicas e farmacocinéticas, decorrentes do processo de envelhecimento, que os tornam mais vulneráveis a interações medicamentosas e efeitos colaterais. Alguns fatores que contribuem para a elevação do risco na utilização de medicamentos são o descumprimento do regime terapêutico, a automedicação e o uso indevido dos medicamentos. Dessa forma, vê-se a importância desse estudo, pois através dessa análise da utilização de medicamentos por idosos, é possível o delineamento de estratégias para reverter casos de não adesão terapêutica, automedicação e utilização inadequada da farmacoterapia. Objetivo: Realizar uma análise sobre a utilização de medicamentos em idosos, bem como identificar fatores associados ao mau uso de fármacos. Metodologia: Foi realizada uma revisão sistemática da literatura, através da pesquisa de periódicos publicados no período de 2000 a 2012, utilizando como descritores para a pesquisa: utilização de medicamentos por idosos, complicações no mau uso de fármacos por idosos. Onde foram utilizadas as bases de dados eletrônicas como Scielo, Capes e Lillacs para o desenvolvimento dessa pesquisa bibliográfica. Resultados: A partir da pesquisa bibliográfica na literatura foi possível destacar que o uso de medicamentos prescritos tende a ser maior entre idosos do sexo feminino, com idade mais avançada, bom nível socioeconômico, doenças crônicas e visitas regulares aos serviços de saúde. Em relação aos medicamentos não prescritos, observou-se que a utilização é maior por idosos mais desfavorecidos do ponto de vista socioeconômico. Os medicamentos cardiovasculares representam a classe terapêutica mais comumente usada, o que é explicado pela alta prevalência de doenças cardiovasculares entre a população idosa. Idosos apresentam frequentemente quadros de insônia, ansiedade e estados confusionais, resultando na prescrição de fármacos com ação no sistema nervoso central. Estudos mostram que entre as classes mais usadas sem prescrição, encontram-se os laxantes, relaxantes musculares, analgésicos, antiácidos, anti-histamínicos sistêmicos e vitaminas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que mais de 50% dos medicamentos são prescritos ou dispensados de forma inadequada, assim como 50% dos pacientes tomam medicamentos de maneira incorreta o que acarreta alto índice de morbidade e mortalidade. Estima-se que 30% das admissões hospitalares de pacientes idosos são relacionadas a problemas com medicamentos, incluindo efeitos tóxicos advindos do seu uso inadequado. Os estudos analisados reforçam a ideia de que a intervenção do farmacêutico aumenta a adesão dos pacientes idosos a farmacoterapia, reduzindo a presença de interações medicamentosas. Conclusão: Observa-se que o uso de medicamentos em idosos promove efeitos benéficos e indesejáveis. Para que ocorra o uso racional de medicamentos entre idosos, é necessária a presença do farmacêutico que oriente os idosos sobre a utilização da farmacoterapia correta, evitando os efeitos decorrentes do mau uso de medicamentos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.