Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

A UTILIZAÇÃO DA MUSICOTERAPIA NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

Palavra-chaves: SAÚDE DO IDOSO, DEPRESSÃO, MUSICOTERAPIA Pôster (PO) / Poster Submission AT-2: PRÁTICAS CLÍNICAS E TERAPÊUTICAS Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

INTRODUÇÃO: A depressão é um transtorno psiquiátrico considerado como um problema sério de saúde pública a nível mundial devido a sua alta taxa de morbimortalidade. Em idosos, a depressão não é vista apenas como uma doença, mas sim como uma síndrome, pois engloba diversos aspectos clínicos, etiológicos e consequentemente de tratamento. A musicoterapia possui uma fundamental importância, pois ela é capaz de fazer com que o paciente que se encontra isolado socialmente e com dificuldade de comunicar-se com as pessoas ao seu redor, produza música, sons, movimente-se, se expresse. Sendo a música como uma terapia para depressão, viu-se a necessidade de comprovar a efetividade e os benefícios da musicoterapia na redução dos sintomas da depressão em idosos institucionalizados no município de Cajazeiras-PB, tendo como objetivo identificar a efetividade e os benefícios da musica em idosos que apresentam depressão e uma consequente diminuição da interação social. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório e intervencionista, realizada no lar de idosos Luca Zorn, que está localizado na cidade de Cajazeiras- PB onde é desenvolvido um projeto de extensão. Como critérios de inclusão, entraram no estudo os idosos que residem na instituição, possuem idade igual ou superior a 60 anos e que concordem em participar. Os que não possuem condições de expressar reações que interessem a pesquisa e que não apresentam os critérios de inclusão supracitados serão excluídos do estudo. A análise dos dados se deu pela avaliação da interação social dos idosos que é fundamental para definir a eficiência da música como terapia para a depressão. Esta foi avaliada pela frequência com que compareciam as apresentações musicais e a participação durante as apresentações. A pesquisa respeita os princípios éticos presentes na resolução N° 466/12 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e foi submetida ao comitê de ética em pesquisa da Universidade Federal de Campina Grande, campus de Cajazeiras-PB, com parecer favorável CAAE N° 39138414.9.0000.5575. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Antes de iniciar o projeto de extensão que utiliza a música como terapia, era notório o isolamento, desanimo e infelicidade da maioria dos idosos que vivem na instituição, sendo isto comprovado por expressões faciais e relatos verbais. No decorrer do projeto, notou-se que a cada semana os idosos apresentavam uma melhora significativa do quadro de depressão, além de notória a elevação da autoestima, alegria, esperança e interação social dos idosos, sendo que os mesmos afirmavam se sentirem melhores desde o início do projeto. CONCLUSÃO: Fica assim confirmado que a musicoterapia é eficaz como um coadjuvante no tratamento da depressão em idosos institucionalizados, isto pelo fato desta possuir a capacidade de reavivar um potencial anteriormente perdido durante o processo de envelhecimento e identifica-se a importância da execução de atividades deste tipo, pois estas são capazes de promover uma melhor vitalidade em todos os aspectos em relação ao idoso promovendo a este um envelhecimento digno, saudável e uma vida com maior qualidade.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.