Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

Visualizações: 221
A AUTOMEDICAÇÃO EM IDOSOS ADSCRITOS EM UMA UNIDADE INTEGRADA SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB

Palavra-chaves: IDOSOS, AUTOMEDICAÇÃO, MEDICAMENTOS, ENVELHECIMENTO Pôster (PO) / Poster Submission AT-2: PRÁTICAS CLÍNICAS E TERAPÊUTICAS

Resumo

O envelhecimento rápido da população brasileira vem sendo ressaltado, principalmente no que se refere às suas implicações clínicas, sociais e da perspectiva de saúde pública. O aumento da expectativa traz consigo alguns desafios a serem enfrentados, inclusive no que diz respeito a manter a qualidade de vida na terceira idade, especialmente nos aspectos relacionados à saúde, pois os idosos são mais suscetíveis ao desenvolvimento de doenças crônicas, como o Diabetes Melittus e a Hipertensão Arterial Sistêmica. Os medicamentos, nesse contexto, constituem um dos instrumentos mais importantes da atenção à saúde do idoso, sendo evidenciado um consumo crescente com o avançar da idade. São inegáveis os benefícios terapêuticos obtidos com o uso correto dos medicamentos, no entanto, seu elevado consumo entre os idosos pode acarretar riscos à saúde. O consumo de medicamentos sem prescrição de um profissional de saúde habilitado torna-se um dos problemas derivados desse uso pela população idosa. A automedicação é a utilização de medicamentos por conta própria, ou por indicação de pessoas não habilitadas para o tratamento de doenças autodiagnosticadas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a automedicação em idosos adscritos em uma unidade integrada saúde da família no município de João Pessoa. Este trabalho consiste em um estudo transversal, descritivo e quantitativo, que teve como amostra 68 idosos adscritos na Unidade Integrada de Saúde da Família equipe Castelo Branco III no município de João Pessoa-PB. A coleta de dados foi realizada, durante o mês de janeiro de 2016, conforme a demanda espontânea dos idosos para a unidade de saúde e na disponibilidade em participarem da pesquisa. Os dados foram sumarizados por análise descritiva, com cálculo de percentagem por meio do programa estatístico SPSS (Statistical Program for Social Science) versão 20.0. De acordo com os dados analisados foi possível observar que, dos 68 entrevistados, 61 idosos (94%) afirmaram que utilizam medicamentos por conta própria (automedicação). Dos 61 idosos que praticam a automedicação, 67% são do gênero feminino, com idade entre 60 a 69 anos (54%), em sua maioria casados (67%), com renda familiar de até 1 salário mínimo (69%), 87% são aposentados e possuem o ensino médio completo (44%). Os medicamentos mais utilizados na automedicação foram os analgésicos e antipiréticos (15,5%), seguido dos anti-inflamatórios (13%), anti-ulceroso 11,5% (84), antiagregantes plaquetários (9,5%), os antibióticos para uso sistêmico 8%, e os antiespasmódicos (6,6%). Conclui-se que a automedicação é realmente uma prática disseminada entres os idosos, quase impossível de ser controlada. Entretanto, por meio da atenção farmacêutica será possível esclarecer a população sobre os riscos desta prática e dessa forma conscientizá-los sobre a necessidade do uso racional do medicamento, podendo contribuir para a diminuição desta atividade.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.