Artigo Anais I CONIDIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-186X

A CONVIVÊNCIA COM O SEMIÁRIDO NA COMUNIDADE POÇO DO ARCO, SANTA TERESINHA – BA: AS CISTERNAS DE PRODUÇÃO DO PROGRAMA P1+2

Palavra-chaves: POLÍTICAS PÚBLICAS, CAATINGA, CÁRITAS, CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA, CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA Comunicação Oral (CO) GT 06 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido Publicado em 10 de novembro de 2016

Resumo

A água é um recurso natural estratégico para a convivência com o semiárido brasileiro. Nessa região, a captação da água de chuva é uma estratégia cada vez mais imprescindível para garantir água de qualidade para os mais diversos usos. O presente estudo transcorreu em 2015 e 2016 na comunidade rural de Poço do Arco, município de Santa Teresinha – Bahia, com o objetivo de verificar a percepção dos sujeitos locais sobre os impactos das cisternas de produção para a vida e convivência com a semiaridez. Trata-se de dez cisternas de produção implantadas pela Cáritas da Diocese de Amargosa – BA no contexto do “Programa uma terra e duas águas para um semiárido sustentável”, o P1+2. Foram utilizadas entrevistas semiestruturadas, dados secundários de relatórios técnicos do projeto (coletados desde 2010), além de momentos coletivos com o Diagnóstico Rural Participativo (DRP). Do total de cisternas instaladas, oito estão em funcionamento e realizando eficientemente a captação de água de chuva destinada à produção de frutíferas e olerícolas, sob bases agroecológicas, para melhorar a segurança alimentar e a renda das famílias beneficiadas, corroborando a importância dessa tecnologia social para a convivência harmoniosa com o semiárido. A pesquisa aponta, ainda, o reconhecimento da eficiência dessa tecnologia e uma forte demanda pela ampliação de políticas públicas para convivência com o semiárido, na qual a tecnologia possa ser apropriada pelos agricultores(as) familiares camponeses(as). A tecnologia social das cisternas de produção melhorou a qualidade de vida da população de Poço do Arco, na medida em que a população local utiliza-se dos produtos colhidos na própria comunidade para o consumo familiar e/ou para a comercialização, melhorando a renda da família, além de proporcionar água nos períodos de estiagem. A partir dos dados da Cáritas e dos relatos extraídos na comunidade local, foi possível estabelecer uma melhor compreensão sobre a materialização dessa política pública na comunidade. Ainda assim, verifica-se a necessidade de formação continuada e dialógica em relação ao um trabalho de assistência técnica e extensão rural – Ater, de forma sistemática e contínua quanto ao manejo da água das cisternas. O estudo aponta para a necessidade de mais políticas públicas de orientação e formação, a fim de possibilitar maiores avanços no aspecto organizativo, nas tecnologias sociais e produção agrícola sob bases agroecológicas, fortalecendo o aspecto de convivência com a semiaridez. Por outro lado, o TCC sendo apresentado na comunidade aproxima a pós-graduação com as pessoas envolvidas no processo do estudo realizado e devolução e discussão acerca de resultados e do próprio objeto de estudo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.