Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 282
A VOZ LÍRICA FEMININA NA POESIA DE GILKA MACHADO

Palavra-chaves: GILKA MACHADO, VOZ LÍRICA FEMININA, PRÉ-MODERNISMO Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Imaginário e Gênero na Literatura Publicado em 03 de junho de 2015

Resumo

As mulheres na literatura brasileira sempre foram representadas na perspectiva masculina, já que os autores canônicos eram todos homens. Mas na segunda metade do século XIX, graças aos movimentos feministas, começam a ocorrer modificações nos paradigmas econômico, político e social das mulheres brasileiras. Considerando tais transformações, neste trabalho buscamos fazer uma análise dos poemas Ser Mulher e Volúpia do livro Poesias completas (1991), ambos da poetisa pré-modernista Gilka Machado, a fim de compreender a representação feminina em sua poética. O anseio de refletir sobre a mulher nos poemas de Gilka Machado surgiu pela autenticidade e sensibilidade da poetisa ao trabalhar a voz lírica feminina, diferenciando a mulher da noção tradicional de “dona do lar” e apresentando uma mulher que subvertia o moralismo burguês. Desse modo, a poesia gilkiana pode ser considerada como revolucionária, pois é marcada não apenas pela forte presença da sensualidade, mas também pela crítica moral – através das imagens de mulheres e das questões sociais que as rondeiam –, que se inserem em sua literatura ao abordar o fervor desse período de transição vivenciado pela sociedade carioca, a fim de discutir e repensar as questões que envolvessem a condição feminina no início do século XX.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.