Artigo Anais VII ENALIC

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-3234

Visualizações: 116
CLUBE DE MATEMÁTICA: ESPAÇO DE APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA E DE ENSINO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

Resumo

CLUBE DE MATEMÁTICA: ESPAÇO DE APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA E DE ENSINO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Wallace Yamamoto Garcia/ w.yamamoto@hotmail.com/ UEG Maria Marta da Silva/ UEG João Pedro Oliveira Alves Nascimento/ UEG Eixo Temático: Processos de Ensino e aprendizagem - com ênfase na inovação tecnológica, metodológica e práticas docentes. Resumo: O objetivo deste trabalho é a compreensão da contribuição das ações do Projeto de Pesquisa: Clube de Matemática - Espaço de aprendizagem da Matemática escolar e da docência em Matemática, da UEG - Campus Quirinópolis. O mesmo se encontra organizado segundo os pressupostos da Teoria Histórico-Cultural e da Teoria da Atividade e, tem como objetivo possibilitar aos licenciandos o desenvolvimento da aprendizagem da docência em Matemática conexa à compreensão do processo de ensino dos conceitos matemáticos ensinados no ensino fundamental I e II. Este projeto tem como sujeitos participantes licenciandos de Matemática, Pedagogia e História e, alunos do ensino fundamental I e II de escolas das redes municipal e estadual. Ele acontece em dois contextos díspares, mas interdependentes: formação de professores de Matemática e ensino da Matemática escolar no ensino fundamental I e II. Vejamos como se dá a estrutura do CluMat:* Reuniões de compartilhamento entre licenciandos da Matemática, Pedagogia e História, para o planejamento dos conjuntos de atividades de ensino: esses encontros são destinados à organização coletiva das ações de intervenção pedagógica que comporão os conjuntos de atividades de ensino sobre os conceitos matemáticos abordados de acordo com a estrutura organizativa da AOE; * Estudos sobre os conceitos matemáticos, na perspectiva da teoria histórico-cultural: durante os encontros anteriormente citados os conjuntos de atividades de ensino que serão desenvolvidas nas escolas são previamente planejadas por todos os participantes e, para que isso aconteça, são definidas as particularidades das mesmas, os conteúdos a serem contemplados, os materiais e instrumentos a serem utilizados, entre outros aspectos. Tal proposta de ensino é ancorada nos pressupostos teórico-metodológicos da Atividade Orientadora de Ensino (AOE) de Moura (2010). Moura (2001, p.155) chamou de AOE toda atividade de ensino que "se estrutura de modo a permitir que os sujeitos interajam, mediados por um conteúdo, negociando significados, com o objetivo de solucionar coletivamente uma situação-problema". Tais atividades serão tidas no universo do CluMat como elemento organizador da atividade pedagógica e também formadora da aprendizagem do aluno das escolas parceiras; * Desenvolvimento das ações junto aos alunos do ensino fundamental: essas ações podem acontecer de duas formas distintas, quando o CluMat vai até a escola ou quando esses alunos vêm até o CluMat na Universidade. A duração desses momentos dependem da necessidade de tempo para o desenvolvimento das atividades de ensino voltadas para a apropriação de cada conceito matemático escolhido; * Registros das informações: todas as ações do CluMat, sejam elas de planejamento, desenvolvimento ou os momentos de avaliação coletiva que fazemos após o desenvolvimento das atividades nas escolas são registradas através de gravações audiovisuais; * Reuniões de avaliação, momento de análise e síntese coletiva do que foi desenvolvido: Como já citamos as reuniões semanais são utilizadas para o planejamento e reelaboração das atividades que serão ou estão sendo desenvolvidas, entretanto, quando as mesmas são finalizadas temos encontros voltadas para a avaliação, análise e síntese de todo o processo. Tais momentos também servem para a discussão dos possíveis desdobramentos de ações futuras; * Atividades já concretizadas: Nesses 18 meses de existência já planejamos e desenvolvemos dois grupos de atividades de ensino, envolvendo respectivamente, o conceito matemático de números e polígonos. Para ambos os conjuntos de atividades optamos por criar para cada um uma história virtual. Para o conjunto de atividades de ensino que aborda o conceito de números optamos por objetivá-la no formato de uma história em quadrinhos (HQ). Para a SDA do segundo conjunto de atividades optamos por construir uma sala temática (um ambiente virtual) que representasse o 'céu' pré-histórico de aproximadamente 10.000 a.C. (todo esse ambiente também foi construído por todos os participantes para que nele nos recebêssemos as crianças). Desde o início de nossas atividades já atendemos uma escola municipal - Escola Municipal Professora Zelsani - e quatro estaduais: Escola de Tempo Integral Presidente Castelo Branco, Colégio Estadual Juscelino Kubitscheck, Colégio Estadual Dr. Onério Pereira Vieira e Escola Estadual Frederico Gonzaga Jaime, perfazendo um montante de aproximadamente 300 crianças. Portanto, criamos condições reais para que professores em formação e alunos do ensino fundamental formassem relações entre as componentes abstratas e concretas dos conceitos matemáticos. Assim nos atentamos em buscar as particularidades do pensamento teórico que possa vir a desenvolver-se durante o planejamento e desenvolvimento das atividades de ensino que compõem as ações do CluMat-UEG, pois as mesmas terão como objetivo a aprendizagem da docência em Matemática e a própria aprendizagem da Matemática escolar pelos alunos do ensino fundamental. Toda essa estrutura está envolta na perspectiva do desenvolvimento da objetivação da aprendizagem da docência em Matemática e do ensino de Matemática escolar. Desta maneira, as atividades planejadas e desenvolvidas no CluMat possibilitaram aos professores em formação e aos alunos da educação básica a construção de uma base teórico-prática, isto é, de uma fundamentação comum, pautada na apropriação das ações gerais de ensino e aprendizagem da Matemática. Portanto, criamos condições reais para que professores em formação e alunos do ensino fundamental formassem relações entre as componentes abstratas e concretas dos conceitos matemáticos. Assim nos atentamos em buscar as particularidades do pensamento teórico que possa vir a desenvolver-se durante o planejamento e desenvolvimento das atividades de ensino que compõem as ações do CluMat-UEG, pois as mesmas terão como objetivo a aprendizagem da docência em Matemática e a própria aprendizagem da Matemática escolar pelos alunos do ensino fundamental. Toda essa estrutura está envolta na perspectiva do desenvolvimento da objetivação da aprendizagem da docência em Matemática e do ensino de Matemática escolar. Desta maneira, as atividades planejadas e desenvolvidas no CluMat possibilitaram aos professores em formação e aos alunos da educação básica a construção de uma base teórico-prática, isto é, de uma fundamentação comum, pautada na apropriação das ações gerais de ensino e aprendizagem da Matemática. Nossos resultados parciais nos dão indícios de mudança qualitativa tanto no processo formativo dos professores quanto no processo de aprendizagem dos alunos das escolas parceiras do projeto. Palavras-chave: Aprendizagem da docência. Ensino da Matemática escolar. Clube de Matemática. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BERNARDES, Maria. As ações na atividade educativa. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2000. CEDRO, W. O espaço de aprendizagem e a atividade de ensino: O Clube de Matemática. 171 f. Dissertação (Mestrado em Educação: ensino de ciências e matemática) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004. LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte Universitário, 1978. MOURA, M. O. A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, São Paulo, ano II, n.12, 2001. _____________. et al. A Atividade Orientadora de Ensino Como Unidade Entre Ensino e Aprendizagem. In: MOURA, M. (org.) A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília, DF: Liber Livro, 2010. VIGOTSKI, L. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Michael Cole et al (orgs.); trad. Jose Cippola Neto, Luis Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche - 6ª. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.