Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

Visualizações: 154
LITERATURA INFANTO - JUVENIL: MOMENTO DE LEITURA E FRUIÇÃO NA SALA DE AULA

Palavra-chaves: OBRAS LITERÁRIAS, LEITURA, EDUCADOR Comunicação Oral (CO) GT17-LITERATURA INFANTOJUVENIL E DIVERSIDADE DE GÊNEROS LITERÁRIOS

Resumo

As crianças iniciam a leitura de acordo com as oportunidades que lhes são oferecidas, o contato com o texto literário deve acontecer de forma fruitiva no espaço da sala de aula, a fim de despertar o interesse pelas obras literárias; cabe ao educador fazer do ambiente escolar, um momento agradável, propício e estimulante á leitura, pois, através do exemplo do professor que seus educandos vão despertando para o universo das letras, podendo assim manifestar livremente suas ideias e questionamentos em relação ao texto. O educador necessita ter um olhar sensível para resgatar seu aluno do mundo fosco relacionado à leitura em que está inserido, assim, perceber o que o indivíduo deve ler, ler para quê, quando e de que forma ler; precisam ser questionamentos frequentemente presentes em seu planejamento, de forma a diversificar as tipologias textuais, levando-o a construir estratégias diferentes de leitura para cada tipo de texto. O objetivo deste trabalho consiste, no posicionamento da Literatura Infanto Juvenil como uma ferramenta eficaz e prazerosa, instrumento de motivação para a construção de um leitor, consciente, que infere sobre um texto e discursa nele suas ideias, apontando a leitura como um momento de deleite na sala de aula, por meio de estratégias. Partindo da premissa de que a leitura é uma prática sócio-cultural inserida nas relações em casa, na escola e na sociedade, de modo geral, entender o significado da leitura para um determinado grupo social pertencente a uma determinada classe, pressupõe a análise das práticas de leituras que fazem parte do contexto escolar e da instituição em que esse grupo social está inserido, tendo por finalidade a descoberta dos fatores que influenciam no desenvolvimento da criança e das práticas de leitura desenvolvidas na escola, assim como as preferências de leitura do aluno, buscamos analisar as relações entre o deleite nesse momento, a literatura infanto-juvenil nesse processo e a inferência adequada do professor para isso.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.