Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 203
ENSINO DE LÍNGUA E ANÁLISE LINGUÍSTICA: PRESCRUTANDO OS DOCUMENTOS OFICIAIS

Palavra-chaves: ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA., ANÁLISE LINGUÍSTICA., DOCUMENTOS OFICIAIS. Comunicação Oral (CO) ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Resumo

Nunca o ensino de língua portuguesa ocupou tanto espaço nas discussões feitas acerca da educação brasileira como nos dias atuais. Discussões que estão presentes não só no âmbito acadêmico, mas na mídia, em livros, revistas, entre outros meios. Isso nos revela que as inúmeras orientações e exigências que surgiram com o passar dos anos apontaram, evidentemente, para as transformações ocorridas na sociedade, sobretudo, na língua e em seus usuários. Por essa razão, busca-se, cada vez mais, uma nova forma de conceber o ensino de língua materna a partir de uma prática eficaz e inovadora, ao mesmo tempo em que é preciso observar as propostas trazidas pelos documentos oficiais, uma vez que esses documentos são parâmetros que buscam contemplar os contextos vivenciados na sociedade. Desse modo, com a presença dos documentos norteadores da prática pedagógica e com o avanço das pesquisas acerca da linguagem, o ensino de língua portuguesa passa a contemplar não apenas a gramática tradicional, mas a leitura e a produção textual. Entretanto, o trabalho com a análise linguística parece não ser recorrente nas aulas de língua materna, embora os documentos oficiais tragam essa orientação. Sendo assim, o presente estudo identifica o que propõe os documentos oficiais acerca da prática de análise linguística, para o ensino de língua portuguesa. Tal abordagem permite que o aluno se coloque socialmente enquanto sujeito crítico, em sua realidade. Para tanto, alguns aportes teóricos foram inicialmente fundamentais, dos quais citamos: Bezerra & Reinaldo (2013); Geraldi (1996); Mendonça (2006); OCEM (2006); PCN (2000); RCEM-PB (2006).

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.