Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 246
A EDUCAÇÃO INDÍGENA E O ENSINO DE GEOGRAFIA NA ESCOLA DIFERENCIADA JENIPAPO-KANINDÉ

Palavra-chaves: ENSINO DE GEOGRAFIA, ESTÁGIO, JENIPAPO-KANINDÉ Comunicação Oral (CO) EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Este trabalho relata a experiência do Estágio Curricular Supervisionado em Geografia II, uma disciplina do curso de Geografia do 6° semestre, realizou-se na Escola de Educação Diferenciada Jenipapo-Kanindé, no município de Aquiraz/CE, tendo como objetivo geral compreender como a Geografia é tratada no ambiente escolar indígena. Foi analisado o contexto histórico e espacial onde a tribo está inserida, com intuito de pesquisar suas origens e como as tradições culturais são fortalecidas através da educação. Fomos instigados a perceber como se dá os processos de ensino-aprendizagem a partir de um ensino diferenciado. A pesquisa valeu-se de uma investigação do tipo qualitativo - indutivo. Como aporte teórico o trabalho, está fundamentado em Bogdan e Biklen (1991), Pimenta e Lima (2009) Luciano (2006) e Silva (2011). Utilizou-se de entrevistas e questionários do tipo aberto, ao coordenador da escola e aos professores com intuito de sabermos sobre o funcionamento da escola e o ensino de Geografia na instituição. A atividade de intervenção com os alunos realizando-se uma avaliação dos desenhos sobre o espaço local (o mapa mental da casa, a rua, a escola e a comunidade em que está inserido), vivenciado por eles. Verificou-se nos desenhos a simbologia local dos alunos, os lugares por eles evidenciados: a escola, anexo cultural, o posto de saúde, a igreja, museu, centro de artesanato, os lugares de lazer da comunidade e entre outros, estão contextualizados com as tradições indígenas que reconhecem e se identificam na sua cultura, e a importância desses espaços para construção, desenvolvimento e transmissão dos seus saberes tradicionais. A pesquisa permitiu verificar a importância da escola para comunidade, para não migração dos estudantes para cidade; os professores contextualizam o ensino de Geografia com a realidade do aluno (movimentos indígenas), construindo um saber crítico voltado para os problemas existentes na aldeia e na construção do próprio material didático. A escola torna-se uma privilegiada no que diz respeito a sua localização geográfica, cercada por belas paisagens naturais, com feições geográficas, como a proximidade da praia, dunas, lagoa entre outras, constituindo assim um cenário para as aulas de campos dos alunos. Esta pesquisa permitiu conhecer os Jenipapo-Kanindé em suas trajetórias históricas, compreendê-los melhor em sua formação cultural e educacionais e respeitá-los em suas diferenças.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.