Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

QUESTÕES VOLTADAS AO ABORTO: UMA VISÃO MASCULINA

Palavra-chaves: ABORTO, GRAVIDEZ, PARCEIRO Tema Livre (TL) Psicologia
"2014-04-09 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 5624
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 305
    "inscrito_id" => 307
    "titulo" => "QUESTÕES VOLTADAS AO ABORTO: UMA VISÃO MASCULINA"
    "resumo" => "A investigação sobre o aborto através de uma perspectiva masculina é carente de estudos o que revela uma divisão em termos de gênero em relação aos processos reprodutivos, indicando que estes são assuntos de exclusividade feminina. Entretanto, estudos apontam para a necessidade de se incluir o parceiro neste processo decisório. Diante disso, o objetivo do presente trabalho reside na avaliação dos discursos de homens que compartilharam a experiência de aborto - espontâneo ou provocado - com alguma parceira. Tratou-se de uma pesquisa de natureza exploratória e qualitativa. Participaram oito homens que compartilharam a experiência de aborto espontâneo com suas parceiras, residentes em três cidades do interior da Paraíba, com idades variando de 18 a 65 anos. Para a coleta de dados foram utilizada, inicialmente, a técnica de evocação, enunciação e averiguação, onde se pedia que os participantes falassem as três primeiras palavras que vinham a sua cabeça quando pensavam sobre aborto e uma entrevista em profundidade. sendo estas analisadas por meio de análise de frequência e análise categorial temática. Dentre as palavras evocadas, as que mais apareceram foram aquelas relacionadas à sentimentos como “tristeza”, “decepção” e “dor”  e as relacionadas à perda do bebê como “destino” e “erro”. Dentre os sentimentos evocados pelos participantes, alguns se mostraram positivos e negativos tanto em relação à gravidez quanto em relação ao aborto. Em relação à gravidez, alguns participantes relataram alegria e amor pela gravidez, mas ao mesmo tempo alívio pela perda, pois referiram não possuir condições financeiras para provê o sustento do filho. Dentre os sentimentos evocados em relação ao aborto, estão: tristeza, abalo. desgosto, chateação, dor, perda, entre outros. Também foi constatado o descaso dos profissionais de saúde para com os sentimentos do pai. Alguns homens também relacionaram o aborto ao destino, ligando esse fato também a questões religiosas. Esse fato pode sugerir que para que houvesse uma aceitação mais fácil da perda, o aborto foi justificado a partir de questões religiosas. Relacionado a isto, muitos trouxeram à tona o aborto provocado como sendo um erro voltado para questões religiosas e questões jurídicas. Com base no objetivo da pesquisa, de avaliação dos discursos dos homens que compartilharam com suas parceiras uma experiência de aborto, pode-se perceber que este foi alcançado com sucesso, constatando-se que os resultados também foram compartilhados por outros pesquisadores. Destaca-se, na maioria dos casos que os sentimentos voltados para a gravidez eram ambíguos, ora expressando felicidade, ora preocupação; mas os voltados para o aborto foram, na maior parte dos casos, de cunho negativo. Também pôde-se perceber que os profissionais de saúde não estão preparados para acolher o homem que viveu uma experiência de aborto. Além disso, tomando-se as relações sociais de gênero, a percepção dos próprios homens de reconhecer que merecem atenção, mas ainda sim, colocando a mulher como sujeito central na experiência do aborto. Diante isto, afirma-se a necessidade de mais pesquisas sobre a temática no sentido de contribuir com uma maior capacitação e sensibilização dos profissionais de saúde para o cuidado dos homens."
    "modalidade" => "Tema Livre (TL)"
    "area_tematica" => "Psicologia"
    "palavra_chave" => "ABORTO, GRAVIDEZ, PARCEIRO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_2datahora_12_03_2014_19_14_05_idinscrito_307_0b5edd49640ee0ceb797e141881c5473.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "CLEONIDES DA SILVA SOUSA DIAS"
    "autor_nome_curto" => "CLEONIDES DIAS"
    "autor_email" => "cleonides_silva@hotmail.c"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 5624
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 305
    "inscrito_id" => 307
    "titulo" => "QUESTÕES VOLTADAS AO ABORTO: UMA VISÃO MASCULINA"
    "resumo" => "A investigação sobre o aborto através de uma perspectiva masculina é carente de estudos o que revela uma divisão em termos de gênero em relação aos processos reprodutivos, indicando que estes são assuntos de exclusividade feminina. Entretanto, estudos apontam para a necessidade de se incluir o parceiro neste processo decisório. Diante disso, o objetivo do presente trabalho reside na avaliação dos discursos de homens que compartilharam a experiência de aborto - espontâneo ou provocado - com alguma parceira. Tratou-se de uma pesquisa de natureza exploratória e qualitativa. Participaram oito homens que compartilharam a experiência de aborto espontâneo com suas parceiras, residentes em três cidades do interior da Paraíba, com idades variando de 18 a 65 anos. Para a coleta de dados foram utilizada, inicialmente, a técnica de evocação, enunciação e averiguação, onde se pedia que os participantes falassem as três primeiras palavras que vinham a sua cabeça quando pensavam sobre aborto e uma entrevista em profundidade. sendo estas analisadas por meio de análise de frequência e análise categorial temática. Dentre as palavras evocadas, as que mais apareceram foram aquelas relacionadas à sentimentos como “tristeza”, “decepção” e “dor”  e as relacionadas à perda do bebê como “destino” e “erro”. Dentre os sentimentos evocados pelos participantes, alguns se mostraram positivos e negativos tanto em relação à gravidez quanto em relação ao aborto. Em relação à gravidez, alguns participantes relataram alegria e amor pela gravidez, mas ao mesmo tempo alívio pela perda, pois referiram não possuir condições financeiras para provê o sustento do filho. Dentre os sentimentos evocados em relação ao aborto, estão: tristeza, abalo. desgosto, chateação, dor, perda, entre outros. Também foi constatado o descaso dos profissionais de saúde para com os sentimentos do pai. Alguns homens também relacionaram o aborto ao destino, ligando esse fato também a questões religiosas. Esse fato pode sugerir que para que houvesse uma aceitação mais fácil da perda, o aborto foi justificado a partir de questões religiosas. Relacionado a isto, muitos trouxeram à tona o aborto provocado como sendo um erro voltado para questões religiosas e questões jurídicas. Com base no objetivo da pesquisa, de avaliação dos discursos dos homens que compartilharam com suas parceiras uma experiência de aborto, pode-se perceber que este foi alcançado com sucesso, constatando-se que os resultados também foram compartilhados por outros pesquisadores. Destaca-se, na maioria dos casos que os sentimentos voltados para a gravidez eram ambíguos, ora expressando felicidade, ora preocupação; mas os voltados para o aborto foram, na maior parte dos casos, de cunho negativo. Também pôde-se perceber que os profissionais de saúde não estão preparados para acolher o homem que viveu uma experiência de aborto. Além disso, tomando-se as relações sociais de gênero, a percepção dos próprios homens de reconhecer que merecem atenção, mas ainda sim, colocando a mulher como sujeito central na experiência do aborto. Diante isto, afirma-se a necessidade de mais pesquisas sobre a temática no sentido de contribuir com uma maior capacitação e sensibilização dos profissionais de saúde para o cuidado dos homens."
    "modalidade" => "Tema Livre (TL)"
    "area_tematica" => "Psicologia"
    "palavra_chave" => "ABORTO, GRAVIDEZ, PARCEIRO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_2datahora_12_03_2014_19_14_05_idinscrito_307_0b5edd49640ee0ceb797e141881c5473.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "CLEONIDES DA SILVA SOUSA DIAS"
    "autor_nome_curto" => "CLEONIDES DIAS"
    "autor_email" => "cleonides_silva@hotmail.c"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

A investigação sobre o aborto através de uma perspectiva masculina é carente de estudos o que revela uma divisão em termos de gênero em relação aos processos reprodutivos, indicando que estes são assuntos de exclusividade feminina. Entretanto, estudos apontam para a necessidade de se incluir o parceiro neste processo decisório. Diante disso, o objetivo do presente trabalho reside na avaliação dos discursos de homens que compartilharam a experiência de aborto - espontâneo ou provocado - com alguma parceira. Tratou-se de uma pesquisa de natureza exploratória e qualitativa. Participaram oito homens que compartilharam a experiência de aborto espontâneo com suas parceiras, residentes em três cidades do interior da Paraíba, com idades variando de 18 a 65 anos. Para a coleta de dados foram utilizada, inicialmente, a técnica de evocação, enunciação e averiguação, onde se pedia que os participantes falassem as três primeiras palavras que vinham a sua cabeça quando pensavam sobre aborto e uma entrevista em profundidade. sendo estas analisadas por meio de análise de frequência e análise categorial temática. Dentre as palavras evocadas, as que mais apareceram foram aquelas relacionadas à sentimentos como “tristeza”, “decepção” e “dor” e as relacionadas à perda do bebê como “destino” e “erro”. Dentre os sentimentos evocados pelos participantes, alguns se mostraram positivos e negativos tanto em relação à gravidez quanto em relação ao aborto. Em relação à gravidez, alguns participantes relataram alegria e amor pela gravidez, mas ao mesmo tempo alívio pela perda, pois referiram não possuir condições financeiras para provê o sustento do filho. Dentre os sentimentos evocados em relação ao aborto, estão: tristeza, abalo. desgosto, chateação, dor, perda, entre outros. Também foi constatado o descaso dos profissionais de saúde para com os sentimentos do pai. Alguns homens também relacionaram o aborto ao destino, ligando esse fato também a questões religiosas. Esse fato pode sugerir que para que houvesse uma aceitação mais fácil da perda, o aborto foi justificado a partir de questões religiosas. Relacionado a isto, muitos trouxeram à tona o aborto provocado como sendo um erro voltado para questões religiosas e questões jurídicas. Com base no objetivo da pesquisa, de avaliação dos discursos dos homens que compartilharam com suas parceiras uma experiência de aborto, pode-se perceber que este foi alcançado com sucesso, constatando-se que os resultados também foram compartilhados por outros pesquisadores. Destaca-se, na maioria dos casos que os sentimentos voltados para a gravidez eram ambíguos, ora expressando felicidade, ora preocupação; mas os voltados para o aborto foram, na maior parte dos casos, de cunho negativo. Também pôde-se perceber que os profissionais de saúde não estão preparados para acolher o homem que viveu uma experiência de aborto. Além disso, tomando-se as relações sociais de gênero, a percepção dos próprios homens de reconhecer que merecem atenção, mas ainda sim, colocando a mulher como sujeito central na experiência do aborto. Diante isto, afirma-se a necessidade de mais pesquisas sobre a temática no sentido de contribuir com uma maior capacitação e sensibilização dos profissionais de saúde para o cuidado dos homens.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.