Artigo Anais II CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

MOBILIDADE A PÉ NAS CIDADES: A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS SOBRE A SEGURANÇA

Palavra-chaves: DIREITO DE MOBILIDADE, ENVELHECIMENTO, SEGURANÇA, CIDADES Pôster (PO) AT 16: Acessibilidade urbana e concepções arquitetônicas
"2018-11-22 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 50372
    "edicao_id" => 102
    "trabalho_id" => 233
    "inscrito_id" => 769
    "titulo" => "MOBILIDADE A PÉ NAS CIDADES: A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS SOBRE A SEGURANÇA"
    "resumo" => "Objetivo: analisar a relação entre a percepção sobre a segurança e a mobilidade a pé em idosos de três capitais brasileiras. Métodos: trata-se de um estudo transversal e descritivo com idosos residentes das cidades de Brasília (DF), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), avaliados pelo projeto Mobilidade Urbana Saudável (MUS). A variável dependente foi a mobilidade a pé na última semana (sim; não) e as exposições principais foram: percepção sobre a segurança no trânsito e sobre a segurança na vizinhança (ruim/intermediária; boa). Foi realizada uma análise descritiva das variáveis e posteriormente utilizou-se o teste qui-quadrado para avaliar a relação entre a variável dependente com as demais variáveis do estudo. Resultados: foram entrevistados 942 idosos nas três cidades. Quanto à mobilidade a pé, 68,0% dos idosos referiram que saíram de casa por este modal. Com relação à percepção sobre a segurança, 71,6% e 70,2% possuía uma opinião ruim/intermediária sobre a segurança no trânsito e vizinhança, respectivamente. Os idosos que possuíam uma percepção ruim/intermediária sobre a segurança no trânsito da sua cidade, saíram menos a pé (66,4%), quando comparados aos idosos que possuíam uma percepção boa (76,4%), sendo esta relação, estatisticamente significante (p=0,006). Conclusão: é necessário que o ambiente disponha de condições adequadas para a mobilidade a pé de idosos, proporcionando segurança e autonomia aos cidadãos. Além disso, também é indispensável o fortalecimento de políticas e incentivos para a conscientização de motoristas por todo o país, no respeito das leis e do pedestre idoso."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT 16: Acessibilidade urbana e concepções arquitetônicas"
    "palavra_chave" => "DIREITO DE MOBILIDADE, ENVELHECIMENTO, SEGURANÇA, CIDADES"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV114_MD4_SA16_ID769_31102018204415.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:37"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:07:05"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "DANÚBIA HILLESHEIM"
    "autor_nome_curto" => "DANÚBIA HILLESHEIM"
    "autor_email" => "nubiah12@yahoo.com.br"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais II CNEH"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2018"
    "edicao_logo" => "5e49f6503c6b5_16022020231128.png"
    "edicao_capa" => "5f183e545df20_22072020102540.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-11-22 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 50372
    "edicao_id" => 102
    "trabalho_id" => 233
    "inscrito_id" => 769
    "titulo" => "MOBILIDADE A PÉ NAS CIDADES: A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS SOBRE A SEGURANÇA"
    "resumo" => "Objetivo: analisar a relação entre a percepção sobre a segurança e a mobilidade a pé em idosos de três capitais brasileiras. Métodos: trata-se de um estudo transversal e descritivo com idosos residentes das cidades de Brasília (DF), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), avaliados pelo projeto Mobilidade Urbana Saudável (MUS). A variável dependente foi a mobilidade a pé na última semana (sim; não) e as exposições principais foram: percepção sobre a segurança no trânsito e sobre a segurança na vizinhança (ruim/intermediária; boa). Foi realizada uma análise descritiva das variáveis e posteriormente utilizou-se o teste qui-quadrado para avaliar a relação entre a variável dependente com as demais variáveis do estudo. Resultados: foram entrevistados 942 idosos nas três cidades. Quanto à mobilidade a pé, 68,0% dos idosos referiram que saíram de casa por este modal. Com relação à percepção sobre a segurança, 71,6% e 70,2% possuía uma opinião ruim/intermediária sobre a segurança no trânsito e vizinhança, respectivamente. Os idosos que possuíam uma percepção ruim/intermediária sobre a segurança no trânsito da sua cidade, saíram menos a pé (66,4%), quando comparados aos idosos que possuíam uma percepção boa (76,4%), sendo esta relação, estatisticamente significante (p=0,006). Conclusão: é necessário que o ambiente disponha de condições adequadas para a mobilidade a pé de idosos, proporcionando segurança e autonomia aos cidadãos. Além disso, também é indispensável o fortalecimento de políticas e incentivos para a conscientização de motoristas por todo o país, no respeito das leis e do pedestre idoso."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT 16: Acessibilidade urbana e concepções arquitetônicas"
    "palavra_chave" => "DIREITO DE MOBILIDADE, ENVELHECIMENTO, SEGURANÇA, CIDADES"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV114_MD4_SA16_ID769_31102018204415.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:37"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:07:05"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "DANÚBIA HILLESHEIM"
    "autor_nome_curto" => "DANÚBIA HILLESHEIM"
    "autor_email" => "nubiah12@yahoo.com.br"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais II CNEH"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2018"
    "edicao_logo" => "5e49f6503c6b5_16022020231128.png"
    "edicao_capa" => "5f183e545df20_22072020102540.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-11-22 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 22 de novembro de 2018

Resumo

Objetivo: analisar a relação entre a percepção sobre a segurança e a mobilidade a pé em idosos de três capitais brasileiras. Métodos: trata-se de um estudo transversal e descritivo com idosos residentes das cidades de Brasília (DF), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), avaliados pelo projeto Mobilidade Urbana Saudável (MUS). A variável dependente foi a mobilidade a pé na última semana (sim; não) e as exposições principais foram: percepção sobre a segurança no trânsito e sobre a segurança na vizinhança (ruim/intermediária; boa). Foi realizada uma análise descritiva das variáveis e posteriormente utilizou-se o teste qui-quadrado para avaliar a relação entre a variável dependente com as demais variáveis do estudo. Resultados: foram entrevistados 942 idosos nas três cidades. Quanto à mobilidade a pé, 68,0% dos idosos referiram que saíram de casa por este modal. Com relação à percepção sobre a segurança, 71,6% e 70,2% possuía uma opinião ruim/intermediária sobre a segurança no trânsito e vizinhança, respectivamente. Os idosos que possuíam uma percepção ruim/intermediária sobre a segurança no trânsito da sua cidade, saíram menos a pé (66,4%), quando comparados aos idosos que possuíam uma percepção boa (76,4%), sendo esta relação, estatisticamente significante (p=0,006). Conclusão: é necessário que o ambiente disponha de condições adequadas para a mobilidade a pé de idosos, proporcionando segurança e autonomia aos cidadãos. Além disso, também é indispensável o fortalecimento de políticas e incentivos para a conscientização de motoristas por todo o país, no respeito das leis e do pedestre idoso.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.