Artigo Anais XIII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

O DOMÍNIO E A SUBMISSÃO DO FEMININO MARCADO PELO SILENCIAMENTO NO CONTO AMOR, DE CLARICE LISPECTOR

Palavra-chaves: SILENCIAMENTO, ESPAÇO FAMILIAR, REPRESENTAÇÃO FEMININA Comunicação Oral (CO) GT 04 – Gênero, Sexualidades e Modos de Subjetivação
"2018-07-13 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 42159
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 312
    "inscrito_id" => 312
    "titulo" => "O DOMÍNIO E A SUBMISSÃO DO FEMININO MARCADO PELO SILENCIAMENTO NO CONTO AMOR, DE CLARICE LISPECTOR"
    "resumo" => "O contexto familiar durante muito tempo contribuiu para  o binarismo masculino e feminino, pois é justamente no ambiente da família que esses papeis são reafirmados e perpetuados. Nesse contexto, o ato de servir, atribuído à condição feminina, resgata um passado de opressão e imposições que, no decorrer do tempo, foi sendo abrandado através de algumas máximas que se corporificaram como verdades indiscutíveis, tais como a que coloca a mulher como “rainha do lar” e a que afirma que a maternidade é o próprio paraíso. Tem-se, dessa forma, o aprisionamento e o silenciamento do sujeito feminino na vida em família, privando-o da liberdade de escolha. Assim, o conto Clariceano Amor configura-se como uma escrita que questiona a condição feminina no ambiente familiar. Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo primeiro analisar como a escritora contemporânea questiona o lugar do silêncio que se configura como fonte denunciadora do universo feminino, constantemente oprimido, e, em um segundo momento, analisaremos a construção da personagem diante do espaço que a ela é designado. Para tanto, embasamos a discussão em Louro (1997), Beauvoir (1980), Del Priore (2008,2006), Telles (2010) dentre outros."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 04 – Gênero, Sexualidades e Modos de Subjetivação"
    "palavra_chave" => "SILENCIAMENTO, ESPAÇO FAMILIAR, REPRESENTAÇÃO FEMININA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA5_ID312_11052018230656.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "OTAÍZA DOS SANTOS SILVA "
    "autor_nome_curto" => "OTAÍZA"
    "autor_email" => "otaiza2014@hotmail.com"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 42159
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 312
    "inscrito_id" => 312
    "titulo" => "O DOMÍNIO E A SUBMISSÃO DO FEMININO MARCADO PELO SILENCIAMENTO NO CONTO AMOR, DE CLARICE LISPECTOR"
    "resumo" => "O contexto familiar durante muito tempo contribuiu para  o binarismo masculino e feminino, pois é justamente no ambiente da família que esses papeis são reafirmados e perpetuados. Nesse contexto, o ato de servir, atribuído à condição feminina, resgata um passado de opressão e imposições que, no decorrer do tempo, foi sendo abrandado através de algumas máximas que se corporificaram como verdades indiscutíveis, tais como a que coloca a mulher como “rainha do lar” e a que afirma que a maternidade é o próprio paraíso. Tem-se, dessa forma, o aprisionamento e o silenciamento do sujeito feminino na vida em família, privando-o da liberdade de escolha. Assim, o conto Clariceano Amor configura-se como uma escrita que questiona a condição feminina no ambiente familiar. Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo primeiro analisar como a escritora contemporânea questiona o lugar do silêncio que se configura como fonte denunciadora do universo feminino, constantemente oprimido, e, em um segundo momento, analisaremos a construção da personagem diante do espaço que a ela é designado. Para tanto, embasamos a discussão em Louro (1997), Beauvoir (1980), Del Priore (2008,2006), Telles (2010) dentre outros."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 04 – Gênero, Sexualidades e Modos de Subjetivação"
    "palavra_chave" => "SILENCIAMENTO, ESPAÇO FAMILIAR, REPRESENTAÇÃO FEMININA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA5_ID312_11052018230656.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:39"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "OTAÍZA DOS SANTOS SILVA "
    "autor_nome_curto" => "OTAÍZA"
    "autor_email" => "otaiza2014@hotmail.com"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 13 de julho de 2018

Resumo

O contexto familiar durante muito tempo contribuiu para o binarismo masculino e feminino, pois é justamente no ambiente da família que esses papeis são reafirmados e perpetuados. Nesse contexto, o ato de servir, atribuído à condição feminina, resgata um passado de opressão e imposições que, no decorrer do tempo, foi sendo abrandado através de algumas máximas que se corporificaram como verdades indiscutíveis, tais como a que coloca a mulher como “rainha do lar” e a que afirma que a maternidade é o próprio paraíso. Tem-se, dessa forma, o aprisionamento e o silenciamento do sujeito feminino na vida em família, privando-o da liberdade de escolha. Assim, o conto Clariceano Amor configura-se como uma escrita que questiona a condição feminina no ambiente familiar. Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo primeiro analisar como a escritora contemporânea questiona o lugar do silêncio que se configura como fonte denunciadora do universo feminino, constantemente oprimido, e, em um segundo momento, analisaremos a construção da personagem diante do espaço que a ela é designado. Para tanto, embasamos a discussão em Louro (1997), Beauvoir (1980), Del Priore (2008,2006), Telles (2010) dentre outros.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.