Artigo Anais XIII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

A INUSITADA BELEZA DA DESTRUIÇÃO: DA FALÊNCIA DA LEI À ERUPÇÃO DO GOZO

Palavra-chaves: LITERATURA, PSICANÁLISE, PERVERSÃO, SADIANO Comunicação Oral (CO) GT 07 – Gênero, Sexualidades e Produção do conhecimento
"2018-07-13 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 42059
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 214
    "inscrito_id" => 209
    "titulo" => """
      A INUSITADA BELEZA DA DESTRUIÇÃO:\r\n
      DA FALÊNCIA DA LEI À ERUPÇÃO DO GOZO
      """
    "resumo" => "Resumo: No início do século XX, em Viena, a ciência psicanalítica nascia sobre as mãos de Sigmund Freud e, com efeito, a humanidade sucumbia aos seus próprios males e sortilégios. Os Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, escrito no limiar dessa revolução, marcam, em definitivo, as pegadas do mestre vienense sobre os escombros de um mundo atordoado pela repressão sexual. Neles, Freud esboçará a dinâmica da perversão, situando-a nas primícias de nossa existência, num tempo onde o corpo estrangula-se em sensações e prazeres. A integração pulsional depende, aqui, de um amadurecimento que reclama dependência e autonomia, onipotência e fragilidades, aderência à lei e ruptura aos códigos. Quando extravios comprometem o processo, as pertubações ganham espaço e reorganizam o modus operandi, a percepção e o agir do sujeito frente às intempéries da vida. Se o desejo se perverte, arruina-se a alteridade. Eis a cartografia do romance 120 dias em Sodoma ou a escola da libertinagem, de Donatien Alphonse François, o Marquês de Sade. Deparamo-nos com uma narrativa marcada por excessos, em que o elemento humano cede às tentações do gozo, devastando o outro na medida em que o coloca na condição de fetiche. Como arcabouço teórico, utilizaremos os escritos psicanalíticos (pós)freudianos e os trabalhos sócio-filosóficos de Georges Bataille (1957). Pretendemos encontrar, no horror sadiano, as insígnias de um erotismo caústico, apto a decompor corpos e mentes, numa fantasmagoria que deixa, às escancaras, o submundo de nossas predileções."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 07 – Gênero, Sexualidades e Produção do conhecimento"
    "palavra_chave" => "LITERATURA, PSICANÁLISE, PERVERSÃO, SADIANO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA8_ID209_11052018105809.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MATHEUS PEREIRA DE FREITAS"
    "autor_nome_curto" => "MATHEUS"
    "autor_email" => "matheusp1245@hotmail.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 42059
    "edicao_id" => 89
    "trabalho_id" => 214
    "inscrito_id" => 209
    "titulo" => """
      A INUSITADA BELEZA DA DESTRUIÇÃO:\r\n
      DA FALÊNCIA DA LEI À ERUPÇÃO DO GOZO
      """
    "resumo" => "Resumo: No início do século XX, em Viena, a ciência psicanalítica nascia sobre as mãos de Sigmund Freud e, com efeito, a humanidade sucumbia aos seus próprios males e sortilégios. Os Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, escrito no limiar dessa revolução, marcam, em definitivo, as pegadas do mestre vienense sobre os escombros de um mundo atordoado pela repressão sexual. Neles, Freud esboçará a dinâmica da perversão, situando-a nas primícias de nossa existência, num tempo onde o corpo estrangula-se em sensações e prazeres. A integração pulsional depende, aqui, de um amadurecimento que reclama dependência e autonomia, onipotência e fragilidades, aderência à lei e ruptura aos códigos. Quando extravios comprometem o processo, as pertubações ganham espaço e reorganizam o modus operandi, a percepção e o agir do sujeito frente às intempéries da vida. Se o desejo se perverte, arruina-se a alteridade. Eis a cartografia do romance 120 dias em Sodoma ou a escola da libertinagem, de Donatien Alphonse François, o Marquês de Sade. Deparamo-nos com uma narrativa marcada por excessos, em que o elemento humano cede às tentações do gozo, devastando o outro na medida em que o coloca na condição de fetiche. Como arcabouço teórico, utilizaremos os escritos psicanalíticos (pós)freudianos e os trabalhos sócio-filosóficos de Georges Bataille (1957). Pretendemos encontrar, no horror sadiano, as insígnias de um erotismo caústico, apto a decompor corpos e mentes, numa fantasmagoria que deixa, às escancaras, o submundo de nossas predileções."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 07 – Gênero, Sexualidades e Produção do conhecimento"
    "palavra_chave" => "LITERATURA, PSICANÁLISE, PERVERSÃO, SADIANO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV112_MD1_SA8_ID209_11052018105809.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:26"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MATHEUS PEREIRA DE FREITAS"
    "autor_nome_curto" => "MATHEUS"
    "autor_email" => "matheusp1245@hotmail.com"
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xiii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XIII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XIII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2018"
    "edicao_logo" => "5e4d919238165_19022020165042.png"
    "edicao_capa" => "5e4d91923461c_19022020165042.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-07-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 13 de julho de 2018

Resumo

Resumo: No início do século XX, em Viena, a ciência psicanalítica nascia sobre as mãos de Sigmund Freud e, com efeito, a humanidade sucumbia aos seus próprios males e sortilégios. Os Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, escrito no limiar dessa revolução, marcam, em definitivo, as pegadas do mestre vienense sobre os escombros de um mundo atordoado pela repressão sexual. Neles, Freud esboçará a dinâmica da perversão, situando-a nas primícias de nossa existência, num tempo onde o corpo estrangula-se em sensações e prazeres. A integração pulsional depende, aqui, de um amadurecimento que reclama dependência e autonomia, onipotência e fragilidades, aderência à lei e ruptura aos códigos. Quando extravios comprometem o processo, as pertubações ganham espaço e reorganizam o modus operandi, a percepção e o agir do sujeito frente às intempéries da vida. Se o desejo se perverte, arruina-se a alteridade. Eis a cartografia do romance 120 dias em Sodoma ou a escola da libertinagem, de Donatien Alphonse François, o Marquês de Sade. Deparamo-nos com uma narrativa marcada por excessos, em que o elemento humano cede às tentações do gozo, devastando o outro na medida em que o coloca na condição de fetiche. Como arcabouço teórico, utilizaremos os escritos psicanalíticos (pós)freudianos e os trabalhos sócio-filosóficos de Georges Bataille (1957). Pretendemos encontrar, no horror sadiano, as insígnias de um erotismo caústico, apto a decompor corpos e mentes, numa fantasmagoria que deixa, às escancaras, o submundo de nossas predileções.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.