Artigo Anais II CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

SALA DE VACINA: IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO

Palavra-chaves: ENFERMAGEM, IMUNIZAÇÃO, REDE DE FRIOS Pôster (PO) AT-04: Enfermagem
"2017-06-14 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 29619
    "edicao_id" => 60
    "trabalho_id" => 504
    "inscrito_id" => 401
    "titulo" => "SALA DE VACINA: IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO"
    "resumo" => "O Programa Nacional de Imunizações (PNI) apresenta papéis de vigilância epidemiológica das doenças imunopreviniveis por meio de previsão e envio de imunobiológicos, bem como tem a função de ensinar sobre a preservação, manuseio, transporte, abastecimento e administração das vacinas. Inclusive compete ao PNI, a recomendação apropriada quanto à refrigeração dos imunobiologicos com intuito que os mesmos conservem sua eficácia de imunização, além da restrição da luz, umidade e precaução na manipulação das vacinas, essas condutas de entre outras constituem a rede de frios. Este estudo tem como objetivo analisar a atuação do enfermeiro na sala de vacina, à luz da literatura, na perspectiva de uma melhor qualidade da assistência prestada na imunização.Tratou-se de uma revisão integrativa da literatura onde foi realizada uma busca isolada dos descritores: enfermagem; imunização e rede de frios nas bases de dados BVS e Scielo no período de fevereiro a maio de 2017 onde foram encontrados 19 (dezenove) artigos sobre a temática. Assim fizeram parte do estudo 06 (seis) artigos e 01 (um) dissertação de mestrado, estando todos disponíveis na integra nos bancos de dados citados acima.Através deste estudo foi possível constatar o valor da enfermagem sobre a sala de vacina, o cumprimento da função de supervisão e percepção da sala de vacina, onde se realiza a partir do início do dia com a verificação da temperatura, checando as tomadas, validade dos imunobiologicos, tal como todos os aparatos fundamentais para o funcionamento da mesma, também são examinados os cartões de vacinas com prazo para a semana e notificar aos agentes de saúde para que comunique aos pais e que evitem das crianças faltarem, reforçando a importância da realização do calendário vacinal. A supervisão é um instrumento para a determinação da dinâmica das ações de saúde recomendadas, visando às múltiplas atribuições a serem praticadas, ela deve ser projetada, cumprida e analisada tendo em vista à efetividade e eficácia do andamento da sala de vacina e o atendimento oferecido aos clientes. A partir deste trabalho conclui-se que o enfermeiro tem papel fundamental e indispensável frente à sala de vacina, sobretudo, é encarregado pelo sucesso da equipe e tem presença significativa nas estratégias de saúde e políticas administrativas direcionadas a preservação de vacinas efetuadas pelo nível local e municipal da rede de frio, ainda mais, de ser responsável também por uma manutenção e boa conservação das salas de vacinação, da educação continuada, requisição de treinamentos para manuseio de novos equipamentos, capacitação da equipe, propiciando uma assistência eficiente e eficaz que cumprirá as metas esperadas e que seguirá ao encontro com o que preconiza as políticas de humanização do SUS."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT-04: Enfermagem"
    "palavra_chave" => "ENFERMAGEM, IMUNIZAÇÃO, REDE DE FRIOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV071_MD4_SA4_ID401_13052017190816.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:15"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:29:31"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GIUSEPH MARQUES ALEXANDRE"
    "autor_nome_curto" => "GIUSEPH MARQUES"
    "autor_email" => "giusephma3@outlook.com"
    "autor_ies" => "FPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais II CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "II Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a0123e6440_16022020235739.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844ec532ad_22072020105348.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-06-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 29619
    "edicao_id" => 60
    "trabalho_id" => 504
    "inscrito_id" => 401
    "titulo" => "SALA DE VACINA: IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO"
    "resumo" => "O Programa Nacional de Imunizações (PNI) apresenta papéis de vigilância epidemiológica das doenças imunopreviniveis por meio de previsão e envio de imunobiológicos, bem como tem a função de ensinar sobre a preservação, manuseio, transporte, abastecimento e administração das vacinas. Inclusive compete ao PNI, a recomendação apropriada quanto à refrigeração dos imunobiologicos com intuito que os mesmos conservem sua eficácia de imunização, além da restrição da luz, umidade e precaução na manipulação das vacinas, essas condutas de entre outras constituem a rede de frios. Este estudo tem como objetivo analisar a atuação do enfermeiro na sala de vacina, à luz da literatura, na perspectiva de uma melhor qualidade da assistência prestada na imunização.Tratou-se de uma revisão integrativa da literatura onde foi realizada uma busca isolada dos descritores: enfermagem; imunização e rede de frios nas bases de dados BVS e Scielo no período de fevereiro a maio de 2017 onde foram encontrados 19 (dezenove) artigos sobre a temática. Assim fizeram parte do estudo 06 (seis) artigos e 01 (um) dissertação de mestrado, estando todos disponíveis na integra nos bancos de dados citados acima.Através deste estudo foi possível constatar o valor da enfermagem sobre a sala de vacina, o cumprimento da função de supervisão e percepção da sala de vacina, onde se realiza a partir do início do dia com a verificação da temperatura, checando as tomadas, validade dos imunobiologicos, tal como todos os aparatos fundamentais para o funcionamento da mesma, também são examinados os cartões de vacinas com prazo para a semana e notificar aos agentes de saúde para que comunique aos pais e que evitem das crianças faltarem, reforçando a importância da realização do calendário vacinal. A supervisão é um instrumento para a determinação da dinâmica das ações de saúde recomendadas, visando às múltiplas atribuições a serem praticadas, ela deve ser projetada, cumprida e analisada tendo em vista à efetividade e eficácia do andamento da sala de vacina e o atendimento oferecido aos clientes. A partir deste trabalho conclui-se que o enfermeiro tem papel fundamental e indispensável frente à sala de vacina, sobretudo, é encarregado pelo sucesso da equipe e tem presença significativa nas estratégias de saúde e políticas administrativas direcionadas a preservação de vacinas efetuadas pelo nível local e municipal da rede de frio, ainda mais, de ser responsável também por uma manutenção e boa conservação das salas de vacinação, da educação continuada, requisição de treinamentos para manuseio de novos equipamentos, capacitação da equipe, propiciando uma assistência eficiente e eficaz que cumprirá as metas esperadas e que seguirá ao encontro com o que preconiza as políticas de humanização do SUS."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT-04: Enfermagem"
    "palavra_chave" => "ENFERMAGEM, IMUNIZAÇÃO, REDE DE FRIOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV071_MD4_SA4_ID401_13052017190816.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:15"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:29:31"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GIUSEPH MARQUES ALEXANDRE"
    "autor_nome_curto" => "GIUSEPH MARQUES"
    "autor_email" => "giusephma3@outlook.com"
    "autor_ies" => "FPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais II CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "II Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a0123e6440_16022020235739.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844ec532ad_22072020105348.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-06-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 14 de junho de 2017

Resumo

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) apresenta papéis de vigilância epidemiológica das doenças imunopreviniveis por meio de previsão e envio de imunobiológicos, bem como tem a função de ensinar sobre a preservação, manuseio, transporte, abastecimento e administração das vacinas. Inclusive compete ao PNI, a recomendação apropriada quanto à refrigeração dos imunobiologicos com intuito que os mesmos conservem sua eficácia de imunização, além da restrição da luz, umidade e precaução na manipulação das vacinas, essas condutas de entre outras constituem a rede de frios. Este estudo tem como objetivo analisar a atuação do enfermeiro na sala de vacina, à luz da literatura, na perspectiva de uma melhor qualidade da assistência prestada na imunização.Tratou-se de uma revisão integrativa da literatura onde foi realizada uma busca isolada dos descritores: enfermagem; imunização e rede de frios nas bases de dados BVS e Scielo no período de fevereiro a maio de 2017 onde foram encontrados 19 (dezenove) artigos sobre a temática. Assim fizeram parte do estudo 06 (seis) artigos e 01 (um) dissertação de mestrado, estando todos disponíveis na integra nos bancos de dados citados acima.Através deste estudo foi possível constatar o valor da enfermagem sobre a sala de vacina, o cumprimento da função de supervisão e percepção da sala de vacina, onde se realiza a partir do início do dia com a verificação da temperatura, checando as tomadas, validade dos imunobiologicos, tal como todos os aparatos fundamentais para o funcionamento da mesma, também são examinados os cartões de vacinas com prazo para a semana e notificar aos agentes de saúde para que comunique aos pais e que evitem das crianças faltarem, reforçando a importância da realização do calendário vacinal. A supervisão é um instrumento para a determinação da dinâmica das ações de saúde recomendadas, visando às múltiplas atribuições a serem praticadas, ela deve ser projetada, cumprida e analisada tendo em vista à efetividade e eficácia do andamento da sala de vacina e o atendimento oferecido aos clientes. A partir deste trabalho conclui-se que o enfermeiro tem papel fundamental e indispensável frente à sala de vacina, sobretudo, é encarregado pelo sucesso da equipe e tem presença significativa nas estratégias de saúde e políticas administrativas direcionadas a preservação de vacinas efetuadas pelo nível local e municipal da rede de frio, ainda mais, de ser responsável também por uma manutenção e boa conservação das salas de vacinação, da educação continuada, requisição de treinamentos para manuseio de novos equipamentos, capacitação da equipe, propiciando uma assistência eficiente e eficaz que cumprirá as metas esperadas e que seguirá ao encontro com o que preconiza as políticas de humanização do SUS.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.