Artigo Anais III CIEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-0854

HEPARINA E LISOZIMA: CARACTERÍSTICAS NANOESTRUTURAIS QUE PERMITEM À CONSTRUÇÃO DE NANOFILMES PARA REVESTIMENTO DE SUPERFÍCIES

Palavra-chaves: NANOMÉTRICA, POTENCIAL ZETA, IDOSO Pôster (PO) Avanços da ciência para o envelhecimento humano Publicado em 15 de junho de 2013

Resumo

Introdução: nanofilmes são filmes formados na escala nanométrica que conferem às superfícies onde são aplicados diferentes propriedades, como anticoagulante e antioxidante. Para que tal objetivo seja alcançado, as moléculas que formam os nanofilmes devem apresentar características nanoestruturais que permitam o uso das mesmas na construção destes nanofilmes. Dentre estas características, pode-se destacar o potencial zeta. O potencial zeta é uma análise que determina o valor e o sinal da carga de uma determinada molécula, sendo uma das principais análises utilizadas quando se vai construir estruturas na escala nano. Objetivo: selecionar moléculas que apresentem características nanoestruturais para formar nanofilmes que serão utilizados como revestimentos de pinos e parafusos utilizados em cirurgias de fratura do quadril em idosos. Metodologia: a pesquisa foi realizada mediante a análise de valores de potencial zeta de diferentes moléculas que estavam disponíveis em Teses, Dissertações e artigos científicos; sendo selecionadas aquelas moléculas que apresentaram valores de potencial zeta elevados e opostos e possuem alguma propriedade específica de interesse. Resultados e Discussão: de acordo com os trabalhos científicos analisados, decobriu-se que a solução do polissacarídio heparina isolada ou associada com outra molécula apresenta valores de potencial zeta negativo, variando de -26.1 ± 10.5 mV a -46 ± 1.4 mV e a solução da proteína lisozima isolada ou associada com outra molécula, por outro lado, apresenta valores de potencial zeta positivo, variando de +2.1 ± 0.6 mV a +25.67 ± 2.27. Estes valores permitem inferir que as mesmas interajam eletrostaticamente, havendo assim, a formação de nanofilmes. Foi identificado também que a heparina apresenta propriedade anticoagulante e a lisozima propriedade antimicrobiana, conferindo ao nanofilme formado as propriedades anticoagulante e antimicrobiana. As propriedades anticoagulante e antimicrobiana serão de grande utilidade quando os mesmos forem utilizados para revestir pinos e parafusos utilizados em cirurgias de fratura do quadril em idosos, pois diminuirá a proliferação de microrganismos assim como uma redução em uma eventual coagulação que possa ocorrer no local do implante. Como consequência, este nanofilme contribuirá para o decrécimo das mortes no período pós-cirúrgico, que ocorre principalmente em idosos. Conclusão: sendo assim, baseando-se no pontencial zeta e nas propriedades antimicrobioana e anticoagulante da heparina e lisozima, pode-se sugerir o uso das mesmas para a construção de nanofilmes para revestirem pinos e parafusos utilizados em cirurgias de fratura de quadril em idosos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.