Artigo Anais I CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

PRINCIPAIS PATÓGENOS OPORTUNISTAS DECORRENTES NO CLIMATÉRIO

Palavra-chaves: VAGINITES, VAGINOSES, CIMATÉRIO Pôster (PO) AT-11: BIOMEDICINA
"2016-06-15 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 19421
    "edicao_id" => 43
    "trabalho_id" => 926
    "inscrito_id" => 43
    "titulo" => "PRINCIPAIS PATÓGENOS OPORTUNISTAS DECORRENTES NO CLIMATÉRIO"
    "resumo" => "Durante o climatério/menopausa ocorrem alterações na microbiota vaginal, deixando-a mais propensa a microorganismos externos se proliferarem. Desta forma o objetivo deste estudo foi investigar as principais diferenças entre microambiente vaginal em mulheres normais e durante o climatério/menopausa, e os principais causadores das vaginites e vaginoses decorrente dessa fase. Tratou-se de uma revisão bibliográfica, baseada em artigos científicos indexados em base de dados como LILACS e Scielo, nos períodos de 2001-2010 A microbiota vaginal normal da mulher é constituída por microorganismos aeróbios e anaeróbios que vivem em equilíbrio. Os lactobacillus são os principais componentes da flora vaginal normal, são produtores de ácido lactico e peróxido de hidrogênio a partir da fermentação de carboidratos, como por exemplo o glicogênio, reduzindo o pH vaginal entre 3,5 e 4,5 impedindo a colonização de microorganismos externos e causadores de doenças. O estrogênio é um dos principais hormônios atuantes no tecido vaginal, dentre as suas várias funções está a produção de glicogênio que é de fundamental importância para manter o pH vaginal mais ácido. O climatério é caracterizado por um hipoestrogenismo progressivo que acontece de forma fisiológica na vida da mulher, inicia-se normalemente entre os 40 anos estendendo-se até mais ou menos os 65 anos de idade, tendo como principal marco a interrupção do ciclo menstrual. O hipoestrogenismo induz consequentemente a uma diminuição dos Lactobacillus, aumentando o pH vaginal, favorecendo a proliferação de microorganismos patogênicos como bactérias anaeróbias, fungos e protozoários. A proliferação de bactérias anaeróbias, como por exemplo a Gardnerella vaginalis, provoca na maioria das vezes o aparecimento de corrimento amarelado ou acizentado de pequena intensidade e mau cheiroso comparado a peixe podre. Clinicamente pode ser identificada pela presença de corrimento de odor fétido semelhante a peixe, elevação do pH acima de 4,5 e presença de ‘’clue cells’’  ou células guia, que são células escamosas recobertas por bactérias, detectadas em esfregaço do corrimento, corado pela coloração de Gram. O aumento exagerado desses microorganismos aeróbios associados a baixa de lactobacillus, pode impedir a ativação do linfócito TCD4 localmente, deixando a mulher vulnerável ao vírus do HIV. Durante a fase do climatério também é comum as vaginites ou vulvovaginites, causadas por fungos e protozoários, que é caracterizada por inflamação dos tecidos da vagina, provocando corrimento tipo ‘’nata de leite’’, sendo acompanhado na maioria das vezes por coceira ou irritação intensa. Cerca de 40% das mulheres apresentam vaginites atróficas durante o climatério, ou seja, atrofia genital, causando sensibilidade vulvar, irritação, prurido, dispareunia e ressecamento das mucosas. A partir dos artigos selecionados para pesquisa, foram observados os principais causadores das vaginites e vaginoses onde estão a Gardnerella vaginalis como principal causador das vaginoses somando 67%, a Candida sp e Trichomonas vaginalis como os principais agentes causadores das vaginites, somando respectivamente 75% e 50% e as vaginites atróficas somando 50%. As mulheres que apresentam faixa etária entre 40-65 anos na fase do climatério, ficam mais vulneráveia a adquirirem as vaginites e vaginoses, devendo procurar sistematicamente ao ginecologista."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT-11: BIOMEDICINA"
    "palavra_chave" => "VAGINITES, VAGINOSES, CIMATÉRIO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV055_MD4_SA11_ID43_31052016235725.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:05"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:28:11"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ERICKA GARCIA LEITE"
    "autor_nome_curto" => "ERICKA GARCIA"
    "autor_email" => "erickacg7@hotmail.com"
    "autor_ies" => "FMN"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais I CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2016"
    "edicao_logo" => "5e4a005a0a41f_16022020235418.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844e6a6a1a_22072020105342.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-15 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 19421
    "edicao_id" => 43
    "trabalho_id" => 926
    "inscrito_id" => 43
    "titulo" => "PRINCIPAIS PATÓGENOS OPORTUNISTAS DECORRENTES NO CLIMATÉRIO"
    "resumo" => "Durante o climatério/menopausa ocorrem alterações na microbiota vaginal, deixando-a mais propensa a microorganismos externos se proliferarem. Desta forma o objetivo deste estudo foi investigar as principais diferenças entre microambiente vaginal em mulheres normais e durante o climatério/menopausa, e os principais causadores das vaginites e vaginoses decorrente dessa fase. Tratou-se de uma revisão bibliográfica, baseada em artigos científicos indexados em base de dados como LILACS e Scielo, nos períodos de 2001-2010 A microbiota vaginal normal da mulher é constituída por microorganismos aeróbios e anaeróbios que vivem em equilíbrio. Os lactobacillus são os principais componentes da flora vaginal normal, são produtores de ácido lactico e peróxido de hidrogênio a partir da fermentação de carboidratos, como por exemplo o glicogênio, reduzindo o pH vaginal entre 3,5 e 4,5 impedindo a colonização de microorganismos externos e causadores de doenças. O estrogênio é um dos principais hormônios atuantes no tecido vaginal, dentre as suas várias funções está a produção de glicogênio que é de fundamental importância para manter o pH vaginal mais ácido. O climatério é caracterizado por um hipoestrogenismo progressivo que acontece de forma fisiológica na vida da mulher, inicia-se normalemente entre os 40 anos estendendo-se até mais ou menos os 65 anos de idade, tendo como principal marco a interrupção do ciclo menstrual. O hipoestrogenismo induz consequentemente a uma diminuição dos Lactobacillus, aumentando o pH vaginal, favorecendo a proliferação de microorganismos patogênicos como bactérias anaeróbias, fungos e protozoários. A proliferação de bactérias anaeróbias, como por exemplo a Gardnerella vaginalis, provoca na maioria das vezes o aparecimento de corrimento amarelado ou acizentado de pequena intensidade e mau cheiroso comparado a peixe podre. Clinicamente pode ser identificada pela presença de corrimento de odor fétido semelhante a peixe, elevação do pH acima de 4,5 e presença de ‘’clue cells’’  ou células guia, que são células escamosas recobertas por bactérias, detectadas em esfregaço do corrimento, corado pela coloração de Gram. O aumento exagerado desses microorganismos aeróbios associados a baixa de lactobacillus, pode impedir a ativação do linfócito TCD4 localmente, deixando a mulher vulnerável ao vírus do HIV. Durante a fase do climatério também é comum as vaginites ou vulvovaginites, causadas por fungos e protozoários, que é caracterizada por inflamação dos tecidos da vagina, provocando corrimento tipo ‘’nata de leite’’, sendo acompanhado na maioria das vezes por coceira ou irritação intensa. Cerca de 40% das mulheres apresentam vaginites atróficas durante o climatério, ou seja, atrofia genital, causando sensibilidade vulvar, irritação, prurido, dispareunia e ressecamento das mucosas. A partir dos artigos selecionados para pesquisa, foram observados os principais causadores das vaginites e vaginoses onde estão a Gardnerella vaginalis como principal causador das vaginoses somando 67%, a Candida sp e Trichomonas vaginalis como os principais agentes causadores das vaginites, somando respectivamente 75% e 50% e as vaginites atróficas somando 50%. As mulheres que apresentam faixa etária entre 40-65 anos na fase do climatério, ficam mais vulneráveia a adquirirem as vaginites e vaginoses, devendo procurar sistematicamente ao ginecologista."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "AT-11: BIOMEDICINA"
    "palavra_chave" => "VAGINITES, VAGINOSES, CIMATÉRIO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV055_MD4_SA11_ID43_31052016235725.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:05"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:28:11"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ERICKA GARCIA LEITE"
    "autor_nome_curto" => "ERICKA GARCIA"
    "autor_email" => "erickacg7@hotmail.com"
    "autor_ies" => "FMN"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais I CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2016"
    "edicao_logo" => "5e4a005a0a41f_16022020235418.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844e6a6a1a_22072020105342.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-15 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 15 de junho de 2016

Resumo

Durante o climatério/menopausa ocorrem alterações na microbiota vaginal, deixando-a mais propensa a microorganismos externos se proliferarem. Desta forma o objetivo deste estudo foi investigar as principais diferenças entre microambiente vaginal em mulheres normais e durante o climatério/menopausa, e os principais causadores das vaginites e vaginoses decorrente dessa fase. Tratou-se de uma revisão bibliográfica, baseada em artigos científicos indexados em base de dados como LILACS e Scielo, nos períodos de 2001-2010 A microbiota vaginal normal da mulher é constituída por microorganismos aeróbios e anaeróbios que vivem em equilíbrio. Os lactobacillus são os principais componentes da flora vaginal normal, são produtores de ácido lactico e peróxido de hidrogênio a partir da fermentação de carboidratos, como por exemplo o glicogênio, reduzindo o pH vaginal entre 3,5 e 4,5 impedindo a colonização de microorganismos externos e causadores de doenças. O estrogênio é um dos principais hormônios atuantes no tecido vaginal, dentre as suas várias funções está a produção de glicogênio que é de fundamental importância para manter o pH vaginal mais ácido. O climatério é caracterizado por um hipoestrogenismo progressivo que acontece de forma fisiológica na vida da mulher, inicia-se normalemente entre os 40 anos estendendo-se até mais ou menos os 65 anos de idade, tendo como principal marco a interrupção do ciclo menstrual. O hipoestrogenismo induz consequentemente a uma diminuição dos Lactobacillus, aumentando o pH vaginal, favorecendo a proliferação de microorganismos patogênicos como bactérias anaeróbias, fungos e protozoários. A proliferação de bactérias anaeróbias, como por exemplo a Gardnerella vaginalis, provoca na maioria das vezes o aparecimento de corrimento amarelado ou acizentado de pequena intensidade e mau cheiroso comparado a peixe podre. Clinicamente pode ser identificada pela presença de corrimento de odor fétido semelhante a peixe, elevação do pH acima de 4,5 e presença de ‘’clue cells’’ ou células guia, que são células escamosas recobertas por bactérias, detectadas em esfregaço do corrimento, corado pela coloração de Gram. O aumento exagerado desses microorganismos aeróbios associados a baixa de lactobacillus, pode impedir a ativação do linfócito TCD4 localmente, deixando a mulher vulnerável ao vírus do HIV. Durante a fase do climatério também é comum as vaginites ou vulvovaginites, causadas por fungos e protozoários, que é caracterizada por inflamação dos tecidos da vagina, provocando corrimento tipo ‘’nata de leite’’, sendo acompanhado na maioria das vezes por coceira ou irritação intensa. Cerca de 40% das mulheres apresentam vaginites atróficas durante o climatério, ou seja, atrofia genital, causando sensibilidade vulvar, irritação, prurido, dispareunia e ressecamento das mucosas. A partir dos artigos selecionados para pesquisa, foram observados os principais causadores das vaginites e vaginoses onde estão a Gardnerella vaginalis como principal causador das vaginoses somando 67%, a Candida sp e Trichomonas vaginalis como os principais agentes causadores das vaginites, somando respectivamente 75% e 50% e as vaginites atróficas somando 50%. As mulheres que apresentam faixa etária entre 40-65 anos na fase do climatério, ficam mais vulneráveia a adquirirem as vaginites e vaginoses, devendo procurar sistematicamente ao ginecologista.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.