Artigo Anais I CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

INTOXICAÇÃO POR PARACETAMOL: UM RELATO DE CASO

Palavra-chaves: ACETAMINOFENO, INTOXICAÇÃO ACIDENTAL, FÍGADO, CRIANÇA Comunicação Oral (CO) AT-01: MEDICINA
"2016-06-15 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 19262
    "edicao_id" => 43
    "trabalho_id" => 588
    "inscrito_id" => 2460
    "titulo" => "INTOXICAÇÃO POR PARACETAMOL: UM RELATO DE CASO"
    "resumo" => "O paracetamol (acetaminofeno) é metabolizado no fígado, principalmente, por três vias. Uma delas origina um metabólito de variável grau de toxicidade, atingindo principalmente o fígado, podendo causar insuficiência hepática (IH), além de danos renais e aos processos de coagulação. O diagnóstico precoce pode ser realizado após avaliação da história do paciente, bem como dos aspectos clínicos e laboratoriais. A presente pesquisa, de natureza documental, descreve um caso de intoxicação por paracetamol, com desenvolvimento de insuficiência hepática. O relato foi descrito a partir de um caso de criança do sexo feminino, atendida pelo Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande-PB (HETDLGF) e acompanhada pelo Centro de Assistência e Informação Toxicológica de Campina Grande-PB (Ceatox-CG). Os dados foram obtidos a partir do prontuário da paciente e da ficha de notificação do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan). A paciente, de dois anos, com história acidental de exposição ao paracetamol, permaneceu na unidade de saúde por 10 dias. Nos primeiros dias, observou-se alteração de enzimas hepáticas. Entre o quarto e o oitavo dia, houve alteração do Tempo de Protrombina (TP)/INR. A paciente não apresentou alteração da função renal, entretanto, instalou-se um quadro de disúria, provavelmente por um processo infeccioso. O manejo deu-se com N-acetilcisteína (NAC), para tratar a IH, e antibióticos, para a infecção urinária. Uma das limitações deste estudo foi a não realização diária dos exames específicos para os casos de intoxicação grave por paracetamol, dificultando sobremaneira o acompanhamento preciso da evolução do indivíduo em todas as etapas da intoxicação."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "AT-01: MEDICINA"
    "palavra_chave" => "ACETAMINOFENO, INTOXICAÇÃO ACIDENTAL, FÍGADO, CRIANÇA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV055_MD1_SA1_ID2460_30052016011818.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:05"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:28:10"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "FELIPE OLIVEIRA BARBOSA"
    "autor_nome_curto" => "FELIPE OLIVEIRA"
    "autor_email" => "felipeoliveira321@gmail.c"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais I CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2016"
    "edicao_logo" => "5e4a005a0a41f_16022020235418.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844e6a6a1a_22072020105342.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-15 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 19262
    "edicao_id" => 43
    "trabalho_id" => 588
    "inscrito_id" => 2460
    "titulo" => "INTOXICAÇÃO POR PARACETAMOL: UM RELATO DE CASO"
    "resumo" => "O paracetamol (acetaminofeno) é metabolizado no fígado, principalmente, por três vias. Uma delas origina um metabólito de variável grau de toxicidade, atingindo principalmente o fígado, podendo causar insuficiência hepática (IH), além de danos renais e aos processos de coagulação. O diagnóstico precoce pode ser realizado após avaliação da história do paciente, bem como dos aspectos clínicos e laboratoriais. A presente pesquisa, de natureza documental, descreve um caso de intoxicação por paracetamol, com desenvolvimento de insuficiência hepática. O relato foi descrito a partir de um caso de criança do sexo feminino, atendida pelo Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande-PB (HETDLGF) e acompanhada pelo Centro de Assistência e Informação Toxicológica de Campina Grande-PB (Ceatox-CG). Os dados foram obtidos a partir do prontuário da paciente e da ficha de notificação do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan). A paciente, de dois anos, com história acidental de exposição ao paracetamol, permaneceu na unidade de saúde por 10 dias. Nos primeiros dias, observou-se alteração de enzimas hepáticas. Entre o quarto e o oitavo dia, houve alteração do Tempo de Protrombina (TP)/INR. A paciente não apresentou alteração da função renal, entretanto, instalou-se um quadro de disúria, provavelmente por um processo infeccioso. O manejo deu-se com N-acetilcisteína (NAC), para tratar a IH, e antibióticos, para a infecção urinária. Uma das limitações deste estudo foi a não realização diária dos exames específicos para os casos de intoxicação grave por paracetamol, dificultando sobremaneira o acompanhamento preciso da evolução do indivíduo em todas as etapas da intoxicação."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "AT-01: MEDICINA"
    "palavra_chave" => "ACETAMINOFENO, INTOXICAÇÃO ACIDENTAL, FÍGADO, CRIANÇA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV055_MD1_SA1_ID2460_30052016011818.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:05"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:28:10"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "FELIPE OLIVEIRA BARBOSA"
    "autor_nome_curto" => "FELIPE OLIVEIRA"
    "autor_email" => "felipeoliveira321@gmail.c"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais I CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2016"
    "edicao_logo" => "5e4a005a0a41f_16022020235418.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844e6a6a1a_22072020105342.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-15 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 15 de junho de 2016

Resumo

O paracetamol (acetaminofeno) é metabolizado no fígado, principalmente, por três vias. Uma delas origina um metabólito de variável grau de toxicidade, atingindo principalmente o fígado, podendo causar insuficiência hepática (IH), além de danos renais e aos processos de coagulação. O diagnóstico precoce pode ser realizado após avaliação da história do paciente, bem como dos aspectos clínicos e laboratoriais. A presente pesquisa, de natureza documental, descreve um caso de intoxicação por paracetamol, com desenvolvimento de insuficiência hepática. O relato foi descrito a partir de um caso de criança do sexo feminino, atendida pelo Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande-PB (HETDLGF) e acompanhada pelo Centro de Assistência e Informação Toxicológica de Campina Grande-PB (Ceatox-CG). Os dados foram obtidos a partir do prontuário da paciente e da ficha de notificação do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan). A paciente, de dois anos, com história acidental de exposição ao paracetamol, permaneceu na unidade de saúde por 10 dias. Nos primeiros dias, observou-se alteração de enzimas hepáticas. Entre o quarto e o oitavo dia, houve alteração do Tempo de Protrombina (TP)/INR. A paciente não apresentou alteração da função renal, entretanto, instalou-se um quadro de disúria, provavelmente por um processo infeccioso. O manejo deu-se com N-acetilcisteína (NAC), para tratar a IH, e antibióticos, para a infecção urinária. Uma das limitações deste estudo foi a não realização diária dos exames específicos para os casos de intoxicação grave por paracetamol, dificultando sobremaneira o acompanhamento preciso da evolução do indivíduo em todas as etapas da intoxicação.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.