Artigo Anais XII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 221
“CORDELISANDO” O TRANSEXUAL: ASPECTOS QUEERS EM A MULHER QUE VIROU HOMEM NO SERTÃO DA PARAÍBA E CASOU-SE E O HOMEM QUE VIROU MULHER

Palavra-chaves: LITERATURA DE CORDEL, TRANSEXUALIDADE, ESTUDOS GAYS E LÉSBICOS, TEORIA QUEER Comunicação Oral (CO) Teorias e estudos gays, lésbicos e queers

Resumo

A literatura de cordel, por quase um século, foi considerada representante de uma região notadamente ligada a uma tradição na qual eram reforçados os ideais masculinistas, patriarcais e falocêntricos: o Nordeste brasileiro. Este artefato literário, não-raro, foi tomado como representante do “espírito nordestino”. Contudo, por meio deste artigo, pretendemos analisar duas personagens cordelísticas presentes nas obras "A mulher que virou homem no Sertão da Paraíba e casou-se" (SILVA, 1970) e "O homem que virou mulher" (CAVALCANTE, s/d), que permitem uma nova visada sobre o cordel nordestino, bem como a reformulação do imaginário temático sobre o qual versa esta literatura. Obras que apresentam personagens dissidentes da heteronormativiade e que propiciam o diálogo entre um gênero literário secular e teorias contemporâneas como os Estudos de Gays e Lésbicos até a Teoria Queer. Buscamos neste trabalho revelar que o cordelista se volta para assuntos de sua época, dentre eles a sexualidade, que o gênero cordel pode discutir de forma séria e livre temas relacionados á sexualidade humana sem que imprima em seus enredos preconceitos já tão cristalizados na sociedade brasileira.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.