Artigo Anais XII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 234
O MITO DA FANTASIA: DISFARCES DA VIOLÊNCIA

Palavra-chaves: CINQUENTA TONS DE CINZA, CINEMA, VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, GÊNERO Comunicação Oral (CO) Mulheres, feminismos, políticas do corpo Publicado em 08 de junho de 2016

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo evidenciar a atualização dos mecanismos de propagação da cultura patriarcal, tomando como referência o filme Cinquenta tons de cinza lançado em 2015, que ilustra a conturbada relação entre o milionário Christian Grey (Jamie Dornam) e a estudante de literatura Anastasia Steele (Dakota Johnson). Embora o longa-metragem baseado na obra de E. L. James busque representar um romance sadomasoquista, o signo da fantasia é o artifício que reitera um modelo de relação pautado na dominação e na violência. Porém, quais mecanismos subjacentes fazem com que a problemática relação de gênero passe despercebida entre muitas mulheres? Para proceder à análise, tomaremos por base a lei brasileira Nº 11.340, de 07 de agosto de 2006, conhecida como Lei Maria da Penha que dispõe sobre as condutas que se configuram como violência, evidenciando especialmente cenas de violência psicológica.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.