Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 229
AS MÁSCARAS SOCIAIS E A CONSTRUÇÃO DO FEMININO NA IDENTIDADE DE MADALENA, EM “FREI LUIS DE SOUSA”, DE ALMEIDA GARRETT

Palavra-chaves: GÊNERO;, FEMININO;, IDENTIDADE;, CULTURA;, CULTURA; Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Estudos literários, Gênero e Sexualidades Publicado em 03 de junho de 2015

Resumo

Resumo: Este presente artigo tem por finalidade analisar a construção do feminino na identidade da personagem D. Madalena de Vilhena presente na obra “Frei Luís de Sousa”, do autor Almeida Garrett, publicada em 1843. Neste intuito, a pesquisa será norteada a partir da questão identitária e da questão de gênero, a fim de contextualizar a concepção do feminino inscrito no referido texto dramatúrgico. A constante preocupação com o pecado permeado por todas as ações na obra de Garrett se traduz em uma série de discursos que visam manifestar como são estabelecidas as relações sociais e explicar a realidade em que o feminino se inscreve na época, especialmente nos âmbitos do matrimônio e da maternidade sob a perspectiva de gênero. Desse modo, Garrett propicia compreender especificamente o papel da mulher a partir do modo de pensar e agir da personagem Madalena, que segundo Bourdieu (1999) são determinados e impostos pelas instituições sociais, como a igreja, a família, o estado etc., bem como os aspectos socioculturais aos quais estavam submetidos os sujeitos que vivenciavam o período de produção da obra. A base teórica foi fundamentada nas ideias de Bourdieu (1999), Brilhante (2006), Lopes (1997), Louro (1997), Candido (1968) e do sociólogo Stuart Hall (2004), entre outros.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.