Artigo Anais VII ENALIC

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-3234

Visualizações: 60
A ATITUDE DOCENTE CRÍTICA E REFLEXIVA FRENTE A MANIPULAÇÃO SOCIAL COM VISTAS A TRANSFORMAÇÃO CULTURAL POR PARTE DO COLETIVO

Resumo

A ATITUDE DOCENTE CRÍTICA E REFLEXIVA FRENTE A MANIPULAÇÃO SOCIAL COM VISTAS A TRANSFORMAÇÃO CULTURAL POR PARTE DO COLETIVO Maria Leticia de Sousa David [1]/ leticia.david@aluno.uece.br/ Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Educação de Itapipoca Francisca Joselena Ramos Barroso[2]/ Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Educação de Itapipoca Francisco Mirtiel Frankson Moura Castro [3]/ Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Educação de Itapipoca Eixo Temático: Formação inicial e continuada de professores - com ênfase na análise de experiência, programas e políticas. Resumo A Educação acontece em todas as esferas da sociedade e, por isso, afeta diretamente os indivíduos que dela integram. O processo educacional expressa-se em um fenômeno social, histórico, dinâmico e político. Em detrimento disso, a educação escolar se faz presente nos anos iniciais da vida dos indivíduos e a esses apresenta as concepções sociais. Nesse ambiente, crianças e adolescentes interagem entre si e descobrem as circunstâncias que regem a convivência social. Contudo, por inúmeras vezes, não se apresentam a esses indivíduos as relações vigentes na sociedade e esses crescem sem perceber as injustiças camufladas na sociedade. A criticidade promove a reflexão das circunstâncias sociais em que os indivíduos desprovidos de riqueza encontram-se. A partir desse reconhecimento das situações exploratórias dos cidadãos mais pobres, os indivíduos começam a entender como a desigualdade social afeta as condições de vida e aliena grande parte da população. Nessa perspectiva, a escola como parte integrante do meio social também precisa suscitar essa reflexão. Diante disso, como motivação pessoal ao desenvolvimento desse trabalho, revela-se que é essencial ao docente ser crítico e reflexivo e, por se estar em uma formação à docência, faz-se indispensável entender as contribuições dessa conduta a esse profissional. Dessa forma, como motivação acadêmica, visualiza-se essencial aos graduandos e aos licenciados conhecerem as contribuições de uma ação contrária ao senso comum pedagógico na educação. Nesse sentido, quanto à relevância social destaca-se as contribuições que os indivíduos que obtiverem contato com o texto terão quanto ao entendimento da importância da reflexão enquanto cidadãos. Dessa forma, como objetivo geral ao trabalho definiu-se: compreender que implicações a formação inicial crítica e reflexiva ocasiona à atuação docente frente às circunstâncias sociais. E como específicos: investigar que contribuições a formação inicial crítica e reflexiva desenvolve nos docentes; analisar como a atuação docente, em contraponto a reprodução das relações sociais vigentes, contribui à transformação da sociedade e por fim identificar que contribuições a prática pedagógica crítica e reflexiva ocasiona aos discentes. Os autores que fundamentaram esse trabalho foram: Brandão (1981); Minayo (2012); Farias (2009); Freire (1996) (1979); Libâneo (1994); Peres (2013) e Tardif (2010). A abordagem metodológica escolhida para a realização da pesquisa foi a qualitativa. A pesquisa desenvolvida teve como tipo a bibliográfica, que analisa teorias e a partir das mesmas formula novos pressupostos. A formação crítica e reflexiva faz com que os docentes saibam lidar com os conflitos e empecilhos que circundam o âmbito escolar; contornando-os por meio da superação das desigualdades existentes, quanto à obtenção dos saberes. Assim, denotou-se que esse profissional age com responsabilidade e competência na superação das dificuldades de aprendizagem, esforçando-se para findar numa aprendizagem coletiva. Nesse sentido, também se revelou como intrínseco à atuação docente crítica e reflexiva o desenvolvimento de atitudes que proporcionem a transformação das concepções vigentes. Essas ações provêm dos saberes que os docentes adquirem na formação e por meio da experiência profissional que obtém diariamente no trabalho que exercem. Diante dos aspectos expostos, denota-se que a prática pedagógica crítica e reflexiva ocasiona aos discentes uma aprendizagem significativa traduzida em atitudes conscientes e questionadoras diante da sociedade. Na docência essa percepção crítica e reflexiva da realidade resulta na modificação da atuação social e profissional, visto que esse atua de maneira inovadora e questionadora diante dos preceitos sociais, e a formulação de mecanismos que suscitem a reflexão também nos educandos para que esses libertem-se da alienação, essa expressa em todos os aparelhos ideológicos provindos do Estado. O papel da educação, nesse sentido, expressa-se em conscientizar a população sobre tudo o que a cerca e que, assim, seja possível a transformação social. Conclui-se, assim, que a ação docente, baseada no senso crítico, contribui para mudanças na cultura massificada e transformações nas estruturas vigentes na sociedade. Além disso, o pensamento crítico e reflexivo contribui para pensar em uma nova educação que possa estar focada em um ensino crítico e reflexivo sobre a prática pedagógica, que permeia todo o processo de ensino e aprendizagem, para que assim possa ser visto o aprender, não mais como uma doutrina que visa a manipulação social de toda a massa mas sim, como uma mudança de comportamento e um processo que permita o desenvolvimento do pensamento crítico e reflexivo humano e sua atuação ativa na sociedade. Palavras-chave: Manipulação Social, Formação Crítica e Reflexiva, Atitude Docente, Transformação Cultural Referências BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 1981. 117 p. DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu; MINAYO, Maria Cecília de Sousa. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. 108 p. FARIAS, Isabel Maria Sabino de et al. Didática e docência: aprendendo a profissão. 2 ed. Brasília: Editora Ltda, 2009. 179 p. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 54 p. ____________. Educação e Mudança. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1979, 46 p. LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. 262 p. PERES, Maria Regina et al. A formação docente e os desafios da prática reflexiva. Educação: Santa Maria. v.38. n.2. p. 289-304. maio/ago. 2013. TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.