Resumo Trabalho

VULNERABILIDADE SOCIAL E A VIOLÊNCIA NO ÂMBITO ESCOLAR EXPERIÊNCIA VIVENCIADA EM UMA ESCOLA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Autor(es): GLENDA VITÓRIA BORGES BARCELLOS, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, MARCELE SOUZA DA SILVA, LILIANE DOS SANTOS FONSECA, VITOR DE SOUSA SOARES, ELIZÂNGELA CELY DA SILVA OLIVEIRA, JOSÉ HENRIQUE

A violÊncia É um problema social presente nas escolas. Um fator que contribui para a sua ocorrÊncia É a vulnerabilidade, caracterizada por um processo de exclusÃo social entre os alunos, acarretando em mÚltiplas formas de violÊncia, tais como: fÍsica, simbÓlica, verbal, revelando consequÊncias negativas para o desenvolvimento psicossocial escolar dos estudantes. O relato de experiÊncia no Âmbito do Programa Institucional de Bolsas de IniciaÇÃo À DocÊncia (PIBID) EducaÇÃo FÍsica (EF), em uma escola pÚblica de Ensino Fundamental da regiÃo metropolitana do Rio de Janeiro, investiga a relaÇÃo entre a vulnerabilidade social dos alunos e a violÊncia tÍpica daquele meio escolar. O trabalho foi desenvolvido mediante observaÇÃo na escola, a partir do desenvolvimento de dinÂmicas interativas e dialÓgicas com os alunos do sexto e nono ano. Como intervenÇÃo, foram propostas atividades lÚdicas e cooperativas, de curta duraÇÃo, visando sensibilizar os alunos para o convÍvio social harmÔnico. Em outro procedimento utilizado pelos bolsistas do PIBID, os discentes foram estimulados a refletir sobre as interaÇÕes em classe para compreenderem as causas e consequÊncias dos atos entre os atores envolvidos, buscando estabelecer empatia de modo a melhorar a interposiÇÃo nas aulas prÁticas de EF. Para o registro de informaÇÕes recorreu-se À tÉcnica de observaÇÃo sistemÁtica, de modo a apreender os relacionamentos sociais e parentais dos alunos. Os resultados, no que diz respeito À violÊncia simbÓlica percebida no meio escolar, se relacionam Àquela vivenciada no lar (falta de atenÇÃo e diÁlogo dos pais, pressÕes para a realizaÇÃo de cuidados domÉsticos e amadurecimento para o mercado de trabalho), e acabam tornando os alunos agressivos, repercutindo negativamente na relaÇÃo professor-aluno. Depreende-se que as razÕes associadas À violÊncia escolar mais evidentes, foram em relaÇÃo À ausÊncia de suporte familiar no processo existencial e acompanhamento escolar dos indivÍduos, levando-os a projetarem outros meios de chamarem a atenÇÃo, tomando atitudes mais agressivas na escola. O Bullying É outro fator que se revelou pertinente À violÊncia na escola, pois ocorre na forma de superioridade de um grupo dominante acarretando problemas psicolÓgicos Às vÍtimas. No contexto investigado foi observada a falta de sensibilizaÇÃo dos agentes escolares com as mazelas socioculturais enfrentadas pelos alunos no lar e na comunidade. Estas condiÇÕes muitas vezes passam imperceptÍveis numa sala de aula, mas sÃo visÍveis nas aulas de EF e no convÍvio dos alunos durante o recreio ou merenda. O Bullying É um fenÔmeno que tem se mostrado pernicioso para a formaÇÃo da personalidade dos alunos e deve sempre ser objeto de reflexÃo coletiva na EF e na escola. A escola precisa conhecer o interesse dos alunos para, mediante aÇÕes pedagÓgicas, conscientizÁ-los sobre o papel da educaÇÃo para a sua vida e desenvolvimento pessoal. Este trabalho foi realizado com apoio da CAPES – Edital 07/2018 – PIBID.

Veja o artigo completo: PDF