Resumo Trabalho

GASTO COM MEDICAMENTOS, SEGUNDO NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA ATUAL E PRÉVIO, DE APOSENTADOS DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO.

Autor(es): POLLYANNA NATALIA MICALI, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, JAMILE SANCHES CODOGNO

A aposentadoria É uma renda vitalÍcia para quem desempenhou alguma atividade laboral por um perÍodo de tempo, ou por quem, desenvolveu limitaÇÕes ao longo da vida profissional. Geralmente, estÁ associada À velhice e aos seus efeitos deletÉrios, podendo afetar em maior ou menor proporÇÃo o estado geral de saÚde, conforme o estilo de vida adotado nos anos anteriores. Dessa forma, o objetivo deste estudo É comparar o nÍvel de atividade fÍsica atual e prÉvia e gastos com medicamentos de aposentados residentes na cidade de Rio Claro-SP. Trata-se de estudo de carÁter transversal que realizou a seleÇÃo dos participantes considerando: i) seleÇÃo dos setores censitÁrios; ii) seleÇÃo dos domicÍlios; seleÇÃo de residentes aposentados. Os participantes foram classificados como: sedentÁrios, insuficiente ativos, ativos e muito ativos, atravÉs do International Physical Activity Questionare-versÃo curta. Para atividade fÍsica prÉvia foi considerado a prÁtica de atividade fÍsica fora da escola, realizada na infÂncia ou adolescÊncia, e a classificaÇÃo dos avaliados considerou o engajamento em um, dois ou nenhum dos perÍodos (infÂncia e adolescÊncia). Para computar o consumo de medicamentos foi utilizado o questionÁrio de Pimenta-adaptado. Foram excluÍdos os participantes que estavam institucionalizados, bem como, aqueles que apresentaram incapacidade ao responder aos instrumentos de pesquisa. Para anÁlise estatÍstica foram utilizados os testes nÃo-paramÉtricos de Kruskal-Wallis e Mann Whitney, com ajuste de Bonferroni, assumindo nÍvel de significÂncia de 5%. A amostra total de participantes foi de 171 aposentados de ambos os sexos, destacando maior frequÊncia das variÁveis sociodemogrÁficas: para o sexo masculino (52%), faixa etÁria entre 59-67 anos (35,1%), Casado/amasiado (81,3%), nÍvel de escolaridade atÉ segundo grau incompleto (53,8%), classe econÔmica “C” (49,1%) e tipo de aposentadoria por “tempo de contribuiÇÃo” (65,5%). A comparaÇÃo do nÍvel de AF atual e gastos com medicamentos apontou os seguintes valores em reais (R$) e intervalo interquartil (IQR): sedentÁrio de R$3.575,00 (7.276,75); insuficiente ativo de R$2.361,00 (5.317,25); ativo de R$2.377,00 (6.994,50); muito ativo de R$2.569,00 (5.572,00) e p-valor=0,17. Por outro lado, a comparaÇÃo do nÍvel de AF prÉvia apontou: AF prÉvia- nenhum de R$3.075,00 (6.432,50); AF prÉvia -1 perÍodo de R$2.092,00 (2.764,00); AF prÉvia-2 perÍodos de R$1.451,00 (2.771,00) e p-valor=0,003. Conclui-se que a prÁtica de AF ao longo da vida parece estar ligada a menor gastos com medicamentos, contribuindo para a economia financeira desta populaÇÃo que jÁ enfrenta inÚmeras alteraÇÕes no processo de aposentadoria.

Veja o artigo completo: PDF