Resumo Trabalho

ASPECTOS DA GÊNESE DO TE DE OKINAWA AO KARATE DO, DA ARTE MARCIAL A MODALIDADE DE LUTA

Autor(es): JORGE HENRIQUE DE MAGALHÃES SASSO SCIASCIO, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, CARLOS JOSÉ MARTINS

O Karatê é uma manifestação corporal de luta, atualmente popularizada como arte marcial. É seguro afirmar que o Karatê recebe fortes influências do continente chinês, principalmente do Wushu (Quán-fǎ). Muitos atribuírem o início desta arte marcial chinesa a Bodhidharma, isso pode não ser a real. Estudos mais recentes não corroboram com esta versão, até este momento da história chinesa não existem evidencias que vinculem os monges a um treinamento militar monástico. No século XIV o arquipélago de Ryūkyū era um estado vassalo do Império chinês, os Heimin que ali residiam vivenciavam uma situação de desespero e exploração, por pagarem “tributos reais” altíssimos a aristocracia. Os Heimin eram constantemente achacados pelos Peichin que invadiam, cobravam e saqueavam as suas plantações, as ações violentas dos Peichin acabaram por estimular os lavradores a criarem maneiras de se prepararem para os combates. Surge ali uma forma de defesa denominada genericamente de Te de Okinawa. A casta dos Peichin, durante o século XV, atravessou momentos difíceis para conter os Heimin revoltosos, com isto, os eles passaram a estudar e assimilar a luta de mãos nuas (Te). Naquele período o reino de Ryūkyū recebia constantes visitas diplomáticas, dos representantes chineses, e em decorrência disto passou a ocorrer uma sistemática apropriação do estilo de luta chinês, o Wushu, pelos Peichin, surgiu então o Tōde. O Te também recebeu contribuições dos samurais Japoneses, que foram exilados em decorrência de confrontos entre clãs, sobretudo nos anos de 1186 e 1609, aproximadamente. Estes episódios de invasão samurai em Okinawa foram importantes para que o Te, sofresse influência da cultura, modo de vida e sistema de lutas destes guerreiros. Um aspecto importante na conformação do Tōde, diz respeito a casta social dos principais responsáveis pelo estilo, sendo que, a grande maioria dos mestres do Tōde pertenciam a classe (Shizoku) de guerreiros (Peichin), que variavam das castas mais inferiores (Chikudun) até a alta (Peekumi), porém, alguns faziam parte dos (Oyakata) Lordes, que eram das classes mais altas e privilegiadas, somente inferior a classe real os (Aji) descendente de um príncipe, ou (Oji) príncipe. Durante sua trajetória histórica o atual Karatê passou por transmutações nas formas, estilos e denominação, tendo nomes diferentes em seu processo evolutivo. Apesar do Te ter surgido a partir dos Heimin foi pelas castas mais elevadas de Okinawa que ele se forjou e se transmutou do Te para o Tōde, depois Karatê e por fim Karatê-Do. O Karatê-Do continuou sua trajetória rumo a expansão no Japão, e posteriormente ganha o mundo. O mestre com maior reconhecimento mundial a partir do início do século XX foi Gichin Funakoshi. Ele é considerado, por muitos, como o pai do karatê-Do moderno e criador do estilo Shotokan, o estilo mais popular do mundo. Mas falar sobre Funkoshi requer um artigo completo

Veja o artigo completo: PDF