Resumo Trabalho

AÇÕES CRIATIVAS COM MATERIAIS ALTERNATIVOS COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO DO CORFEBOL

Autor(es): RENATA LAUDARES SILVAElisangela Gisele Carmo, Nara Heloisa Rodrigues, José Pedro Scarpel Pacheco, Raiana Lídice Mor Fukushima e Gisele Maria Schwartz

Corfebol É um esporte coletivo exclusivamente misto, no qual homens e mulheres jogam juntos, em igualdade de condiÇÕes, de acordo com os princÍpios que o regem. O Corfebol É pouco conhecido e difundido no Brasil, devido ao alto custo do equipamento necessÁrio para a sua prÁtica, geralmente importado da FederaÇÃo Internacional de Corfebol, ou via as duas FederaÇÕes brasileiras, centradas nos estados de SÃo Paulo e Rio de Janeiro, tendo em vista que ainda nÃo sÃo vendidos em casas de materiais esportivos. Assim, a confecÇÃo de um equipamento com material alternativo pode viabilizar a experiÊncia com a modalidade. Neste sentido, o presente estudo, de natureza qualitativa, com caracterÍsticas de relato de experiÊncia, teve por objetivo, relatar a vivÊncia da modalidade Corfebol, aplicada a alunos de GraduaÇÃo em EducaÇÃo FÍsica, com a utilizaÇÃo de um equipamento construÍdo com material alternativo, como estratÉgia didÁtico-pedagÓgica no ensino da modalidade. A experiÊncia se deu em disciplina ofertada a alunos de GraduaÇÃo em EducaÇÃo FÍsica, de uma IES pÚblica, na cidade de Rio Claro/SP, cujo tema da aula abordava o ConteÚdo Cultural do Lazer FÍsico-Esportivo, sendo ministrada a vivÊncia do Corfebol. O principal instrumento utilizado para a aula prÁtica, a cesta, foi confeccionada com material alternativo utilizado na construÇÃo civil (eletrodutos de plÁstico amarelo), material reciclado e equipamentos utilizados na iniciaÇÃo esportiva e no atletismo (base suporte para saltos). Dividiu-se a aula em dois momentos referentes a uma parte teÓrica, explanada primeiramente, seguida de uma parte prÁtica. O tempo gasto com a vivÊncia foi de duas horas para cada turma e, apÓs seu tÉrmino, procedeu-se a uma discussÃo. Os resultados da vivÊncia indicam como pontos positivos: a criatividade na confecÇÃo da cesta e o material utilizado, a possibilidade de inserÇÃo das questÕes de gÊnero a serem abordadas no Âmbito das aulas de EducaÇÃo FÍsica e o Corfebol representando uma quebra da hegemonia das modalidades esportivas tradicionais. JÁ o ponto negativo fazia relaÇÃo ao pouco tempo destinado À vivÊncia e aos fundamentos do esporte. A partir desta experiÊncia, pode-se observar que a ausÊncia da oferta desta modalidade baseada na justificada da falta de material para a sua experimentaÇÃo nÃo se sustenta, haja vista que, com criatividade e economia, podem-se confeccionar os equipamentos capazes de tornar a experiÊncia esportiva possÍvel. A vivÊncia promovida aos alunos ratifica a abertura de novas perspectivas em relaÇÃo ao ensino de diferentes modalidades esportivas, contribuindo para a ampliaÇÃo do repertÓrio motor e despertando a criatividade na utilizaÇÃo de materiais alternativos no Âmbito da EducaÇÃo FÍsica. Apoio CAPES

Veja o artigo completo: PDF