Resumo Trabalho

INCIDÊNCIA DE DORES MUSCULOESQUELÉTICAS EM PRATICANTES DE JIU-JITSU

Autor(es): RICHARDSON SANTANA BISPO, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, MÁRIO CEZAR NASCIMENTO SANTOS, LEONARDO SANTANA CARVALHO, BRYSA MENDES CARDOSO, LUIZ HENRIQUE DA SILVA

O JIU-JÍTSU (JJ), MODALIDADE DE ARTE MARCIAL, TEM O POTENCIAL DE CONTRIBUIR PARA A SENSAÇÃO DE BEM-ESTAR DE SEUS PRATICANTES. POR OUTRO LADO, HÁ EVIDÊNCIAS CIENTIFICAS DA ALTA INCIDÊNCIA DE DORES MUSCULOESQUELÉTICAS (DM) EM PRATICANTES DE JJ, O QUE PODE INFLUENCIAR NEGATIVAMENTE NO BEM-ESTAR. SEGUNDO ALGUNS AUTORES, ESTA INCIDÊNCIA É ASSOCIADA AO TEMPO PRÁTICA. NESSE CONTEXTO, É PROFÍCUO O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS SOBRE O ASSUNTO, DE FORMA A FUNDAMENTAR MEDIDAS PROFILÁTICAS À INCIDÊNCIA DE DM EM PRATICANTES DE JJ. ASSIM, O OBJETIVO DESSE TRABALHO FOI VERIFICAR A INCIDÊNCIA DE DM EM PRATICANTES DE JJ E ANALISAR UMA POSSÍVEL CORRELAÇÃO DESSA INCIDÊNCIA COM O TEMPO DE PRÁTICA. PARA ISSO, APÓS ASSINAREM O TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO, 26 PRATICANTES DE JJ DE AMBOS OS SEXOS (IDADE X̄=22,5±5,0 ANOS; PESO X̄=72±12,7KG; ALTURA X̄=1,76±0,12M; TEMPO DE PRÁTICA X̄=25,9±24,7 MESES) RESPONDERAM O QUESTIONÁRIO Q-ADOM, QUE AVALIA A INCIDÊNCIA DE DM (LOCALIDADE ANATÔMICA E INTENSIDADE DAS DORES EM ESCALA DE 0 A 10) DURANTE O REPOUSO E DURANTE A PRÁTICA DE EXERCÍCIOS. O INSTRUMENTO TAMBÉM ANALISA O GRAU DE INTERFERÊNCIA DAS DM NA QUALIDADE DE VIDA, SENDO ANALISADO ESPECIFICAMENTE NESTE ESTUDO OS SEGUINTES ASPECTOS: REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DIÁRIAS, QUALIDADE DO SONO E ESTADO DE HUMOR. DE ACORDO COM O Q-ADOM, A INTERFERÊNCIA NEGATIVA DAS DM NESSES ASPECTOS PODE VARIAR DE “0” = SEM INTERFERÊNCIA A “10” = INTERFERÊNCIA TOTAL. A CORRELAÇÃO ENTRE A INCIDÊNCIA DE DM E O TEMPO DE PRÁTICA FOI VERIFICADA PELO TESTE DE COEFICIENTE DE PHI, SENDO ADOTADO O NÍVEL DE SIGNIFICÂNCIA DE P < 0.05. OS RESULTADOS APONTARAM QUE 73,1% DOS PARTICIPANTES SENTEM DM. A DM EM REPOUSO OCORREU EM 50% DOS LUTADORES, TENDO A COLUNA (CERVICAL OU LOMBAR) E JOELHOS COMO LOCALIDADES DE MAIOR ACOMETIMENTO, COM UM ÍNDICE DE INTENSIDADE DE DOR DE X̄=4,46±1,2. JÁ DURANTE A PRÁTICA DO JJ, 46,1% DOS PARTICIPANTES MENCIONARAM SENTIR DM E INDICARAM OS JOELHOS E COLUNA (LOMBAR) COMO OS LOCAIS DE MAIOR INCIDÊNCIA, APRESENTANDO UM ÍNDICE DE INTENSIDADE DE DOR DE X̄=4,85 ±1,9. DENTRE AQUELES QUE MENCIONARAM SENTIR DM, 47,4% INDICARAM INFLUÊNCIA NEGATIVA NA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DIÁRIAS, COM NÍVEL DE INTERFERÊNCIA DE X̄=4,3 ±2,5; 61% INFORMARAM INFLUÊNCIA NA QUALIDADE DO SONO, COM NÍVEL DE INTERFERÊNCIA DE X̄=6 ±2; 69% APRESENTARAM INFLUÊNCIA NO ESTADO DE HUMOR, COM NÍVEL DE INTERFERÊNCIA DE X̄=3,9 ±3,1. OS RESULTADOS INDICARAM NÃO HAVER CORRELAÇÃO SIGNIFICATIVA ENTRE A INCIDÊNCIA DE DM E TEMPO DE PRÁTICA DE JJ (P>0.05). POR FIM, CONCLUI-SE QUE A MAIORIA DOS PARTICIPANTES É ACOMETIDO POR DM, SENDO A COLUNA (REGIÕES LOMBAR E CERVICAL) E JOELHOS OS LOCAIS DE MAIOR ACOMETIMENTO, COM NÍVEL DE INTENSIDADE DE DOR MODERADO. ESSAS DORES INTERFEREM DIRETAMENTE NA QUALIDADE DE VIDA, PRINCIPALMENTE NA QUALIDADE DO SONO. DIANTE O EXPOSTO, CONSIDERA-SE IMPORTANTE REFLETIR SOBRE A ESTRUTURA PEDAGÓGICA DAS AULAS DE JJ, PARA QUE TAIS EFEITOS NEGATIVOS NA SENSAÇÃO DE BEM-ESTAR SEJAM AMENIZADOS.

Veja o artigo completo: PDF